(navigation image)
Home American Libraries | Canadian Libraries | Universal Library | Community Texts | Project Gutenberg | Children's Library | Biodiversity Heritage Library | Additional Collections
Search: Advanced Search
Anonymous User (login or join us)
Upload
See other formats

Full text of "Sinopse Estatística do Estado de Goiaz 1937"

REPÚBLICA DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIb 



ESTADO DE QOIAZ 



Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 



Departamento de Estatística e Publicidade 



Sinopse Estatística do Estado 

Separata, com acréscimos, do Anuário Estatístico do Brasil 



ANO lli 



1937 













istmo,* 



Utiotnus «raficau da Imprenuu Oíicmi Ju E»tado 
Qoiània —1938 



,1$. JM 



V( 



/jomenágem ao interventor Goiano 




O DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E PUBLICIDADE, divulgando a presen- 
te SINOPSE N. 2, sente-se no dever indeclinável de, nesta página, render uma homenagem 
ao interventor Pedro Ludovico Teixeira, que, dirigindo os destinos políticos e. administrativos 
de GOIAZ, desde 1930, pela trilha da mais perfeita honestidade e do mais acendrado patriotis- 
mo, já se consagrou, no coração agradeeido de todos os goianos, como paradigma do estadista 
incorrupto e como expressão máxima do caráter formado na escola vitoriosa do civismo. 

O nosso preito de gratidão, pois, ao goiano ilustre, que, além de ter levantado, atra- 
vés dos surtos de fé e progresso, todas as forças vivas de sua terra, foi o criador dos ser- 
viços estatísticos, com o objetivo de dar impulso, por meio de elementos positivos, ás nos- 
sas atividades realizadoras. 



Editando esta SINOPSE N. 2 — separata, com 
acréscimos, do ANUÁRIO ESTATÍSTICO BRASILEIRO, ano 
III, 1937 — fazemos, aqui, a sua apresentação, pelos imposi- 
tivos do cargo que exercemos na administração pública e 
para que seja apreciado, dentro e fora de GOIAZ, o evoluir 
de nossas possibilidades, nas situações física, demográfica, 
económica, social, cultural, administrativa e política, através 
dos quadros demonstrativos que formam o volume, cuja or- 
ganização devemos ao INSTITUTO BRASILEIRO DE GEO- 
GRAFIA E ESTATÍSTICA, superiormente dirigido pelo em- 
baixador José Carlos de Macedo Soares. 

A presente publicação encerra, em suas li- 
nhas gerais, e sem perluxidade, os resultados alcançados 
pelo DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E PUBLICIDADE, 
no desempenho da patriótica função de levar ao conheci- 
mento do povo os elementos de que dispomos, para o de- 
senvolvimento de nossas atividades coletivas, muito embora 
deixe de ser um trabalho completo e perfeito sobre o as- 
sunto, por falta, ainda, entre nós, de coordenação harmónica, 
atinente á colheita de dados da vida económica, financeira 
e social do ESTADO, além da orientação técnico-científica 
que nos falha, pela ausência de funcionários com conheci- 
mentos de sociologia, economia política e ciência adminis- 
trativa. 

Logo, porém, que nos sejam fornecidos outros 
recursos, advindos da racionalização dos trabalhos, com a re- 
forma administrativa do ESTADO, ainda no corrente ano, 
pela vontade férrea do interventor Pedro Ludovico Teixeira, 



APRESENTAÇÃO 



o DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E PUBLICIDADE po- 
derá divulgar obra de maior realce, com o esclarecimento das 
questões ligadas aos principais problemas da terra goiana, 
isto, aliás, por meio de elementos justos e de excepcional 1 

relevância. 

Alimentamos esta esperança, porque o chefe 

do executivo estadual vem oferecendo o melhor apoio ao nosso 
DEPARTAMENTO, na execução de seus serviços, disposto, 
como se vê, a atender ao apelo vibrante do prefaciador desta 
SINOPSE, quando diz : «E' preciso que os governos regionais, 
acompanhados pelos municipais, secundem, eficazmente, os 
propósitos da administração federal, no sentido de proporcio- 
nar ao país a documentação estatística, há muito exigida 
pela sua civilização, pela sua cultura e pelos interesses que 
precisa defender nas relações económicas e políticas da so- 
ciedade internacional ». 

O aparelhamento estatístico federal, assentado 
em bases sólidas e modernas, e dentro da reorganização im- 
posta pelo presidente Getulio Vargas, é, hoje, um dos mais 
perfeitos do mundo e já está exercendo grande importância 
no movimento de nossas forças económicas. Alguns governos 
regionais, seguindo o exemplo, já conformaram, também, os 
seus órgãos estatísticos, prestando, destarte, um grande 
serviço ao BRASIL. 

A nossa vez não tardará, visto como todos os 
átos do interventor Pedro Ludovico, plasmados em ideais 
nobres, são pela conquista magnifica dos melhores destinos 
para GOIAZ. E, assim, em dias porvindouros, ou seja, quando 
ds divulgação de outros trabalhos, poderemos oferecer esta- 
tísticas mais completas e atuais, capazes de orientar, como 
uma bússola, e de modo seguro, a direção de todas as ini- 
ciativas. 

Era o que nos cumpria dizer, fazendo esta 
apresentação. 

GOIÂNIA, SETEMBRO DE 1938. 

J. GOMES DE LIMA 

Diretor de Estatística e Publicidade. 



FM1E1FÁCIO 



A presente edição do Anuário Estatístico do Brasil aparece em 
muito maior tomo que a edição de 1936, abrangendo a mais, sem contar os 
quadros retrospectivos que encerram o volume, 209 unidades tabulares, 
(57 •/•) sobre 368. 

Das 50 séries de tabelas da edição de 1936, apenas 28 ou 56'/. 
atingiam— pelo menos em alguns de seus dados — o ano anterior; dos 56 gru- 
pos tabulares deste volume, nada menos de 46, ou 82 '/., contêm, entre as 
suas informações, dados relativos ao ano próximo findo, senão ao próximo 
ano de 1937. 

Na primeira edição do Anuário preparada sob a responsabilidade 
do Instituto, foi forçoso incluir, para estatísticas importantes, alguns da- 
dos menos atuais (de Í907 para os telefones, de 1917 para os auxílios mú- 
tuos e beneficência, de 1920 para os melhoramentos urbanos); no presente 
volume nenhuma série de quadros deixa de atingir, no todo ou em parte, 
pelo menos o ano de 1934. 

— «*.o> — 

Além da maior riqueza e atualidade da matéria informativa que 
este volume divulga sobre uma grande variedade de aspectos da vida nacio- 
nal, e ao contrário do que aconteceu tanto na edição de 1912 como na de 
1936, ocorre ainda que o Anuário Estatístico do Brasil já não é apenas o re- 
positório de dados da estatística federal. Ao invés disso, é notável — sem em- 
bargo de ainda estar longe do seu razoável limite — o contingente fornecido 
pelos departamentos regionais de estatística, hoje colaboradores normais, no 
seio do I. N. E., das cinco repartições que, na administração federal, centra- 
lizam, não mais a elaboração, mas a simples coordenação dos levantamen- 
tos numéricos destinados a integrar a estatística geral brasileira. 

Mesmo não aludindo aos numerosos quadros em que as informa- 
ções procedem necessariamente de serviços estaduais, ou em cujo preparo 
os órgãos regionais de estatística colaboraram desigualmente, segundo suas 
possibilidades de momento, já sobem a nada menos de oito os inquéritos 
que o Instituto levou a efeito com a colaboração sistemática das agências 
de estatística cujo plano de operação está na órbita dos Governos esta- 
duais. 

São objéto de tais inquéritos— a divisão territorial (administrativa 
e judiciária), a superfície e a população dos municípios, a rede rodoviária, 
os pequenos veículos terrestres, os carris urbanos, os telefones e o ensino 
primário geral. E como alguns desses assuntos são de caráter fundamental, 
aquela colaboração assume significado relevante, uma vez que, nos respecti- 
vos Sectores, a unidade do trabalho estatístico está plenamente assegurada, 



não sendo mais possível a lamentável incoerência de resultados que tanto 
desvalorizava os levantamentos numéricos até ha pouco elaborados paralela- 
mente pela União e pelos Estados. 

O que quer dizer que, a esse segundo aspecto também, o terceiro 
número do Anuário exprime um notável progressso da estatística brasileira. 

Fruto de intenso labor, em curto lapso de tempo e com recursos 
materiais menos que modestos, o êxito que já conseguiram as atividades do 
Instituto Nacional de Estatística reflete a virtualidade admirável do princí- 
pio de cooperação inter- administrativa, de cuja prática esta entidade cons- 
titue, entre nós, a primeira experiência em grande estilo. 

Ha circunstâncias, porém, que tornam particularmente expressivos 
os primeiros resultados obtidos. 

O Instituto, segundo a estrutura inicial que lhe atribuiu o decreto 
n. 24.609, de 6 de Julho de 1934,— marco memorável por vários títulos em 
nossa história administrativa— consta de órgãos da estatística geral e de or- 
ganizações dedicadas a pesquizas especializadas. O quadro das agências de 
estatística geral compõe-se de 5 repartições federais, 22 regionais e tantas 
de caráter local quantos os municípios, que já eram 1.478 em 31 de Dezem- 
bro de 1936. 

Embora já estivesse completo o elenco das repartições federais 
quando o Instituto iniciou suas atividades, os elementos que compunham 
aquela parte do sistema trabalhavam — e ainda hoje trabalham — com pessoal 
e material notoriamente insuficientes para a grande tarefa que lhes compete. 

E essa situação, sem embargo de já se haver modificado algum 
tanto, exige ainda amplas reformas, afim de que se possa transformar como 
pedem as responsabilidades da instituição. 

O quadro regional, por sua vez, estava desfalcado de muitas uni- 
dades, e as restantes arrastavam vida difícil, sobrecarregadas de tarefas a 
que não podiam fazer face, por isso que, além de mal aparelhadas, não con- 
tavam, no seu escasso pessoal, senão raros elementos capazes de manejar 
com segurança a técnica exigida pelos serviços estatísticos. Sem dúvida, 
também a esse aspecto as circunstâncias vão-se tornando, hoje, bem menos 
desfavoráveis. Com o apoio do Presidente Getulio Vargas, o instituto já con- 
seguiu a criação dos órgãos regionais de estatística que nos faltavam, e re- 
formas corajosas já se fizeram, como as verificadas em Pernambuco, Alagoas, 
Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte. Paraíba, Minas Gerais e Baía, ao 
passo que outras se estão processando em quasi todas as unidades da Fede- 
ração, no sentido de assegurar a eficiência precisa aos antigos serviços re- 
gionais de estatística, sejam os de caráter geral, sejam os de finalidade es- 
pecializada. Mas, o que está conseguido é ainda quasi nada em face do que 
se torna preciso realizar para que o Instituto tenha, no plano administrativo 
regional, os elementos de ação que lhe são imprescindíveis. 

Na ordem municipal, finalmente, o quadro das respectivas agências 
de estatística já possue mais da metade dos elementos de que deve constar. 
Todavia, não sendo ainda bastante numeroso o corpo profissional de onde pudes- 
sem sair candidatos qualificados para as agências recem-instituídas, tornou- 
se forçoso confiá-las a funcionários cuja especialização terá de ser obtida 
'lentamente, como se está fazendo, em estágios e cursos nas repartições cen- 
trais. Donde a impossibilidade de ser apreciável, por enquanto, o contingente 
das administrações municipais na elaboração das estatísticas nacionais, fora 
das informações relativas ás próprias atividades. 

Por outro lado, se é exato que a estatística fornece o material mais 
precioso para o desenvolvimento da geografia humana, é também certo que 
ela estará tolhida em seus impulsos de expansão e de aperfeiçoamento sem 



a base indispensável, que só a geografia física lhe pode trazer— o conheci- 
mento do território. 

No Brasil, até agora, a própria estatística teve de suprir a falta dos 
elementos cartográficos de que carecia, sem o que bem pouco poderia ter 
feito. Mas tal trabalho não podia ser senão precariamente ezecutado, desvian- 
do, além disso, recursos que já eram escassos para a tarefa normal dos ór- 
gãos de estatística. 

Daí a preocupação, que orientou logo de começo as atividades do 
Instituto Nacional de Estatística, de promover os trabalhos geográficos, mas 
de maneira que eles tendessem a tomar o impulso enérgico que se fazia 
mister, não mais enfraquecendo os recursos destinados ao desenvolvimento 
dos serviços estatísticos, ou seja em um regime de cooperação tal que a 
uns e outros só trouxesse benefícios, acréscimo de intensidade e as facilida- 
des precisas, sem desviá-los do âmbito que lhes deve caber normalmente, 
nem privá-los dos elementos de ação indispensáveis aos seus próprios fins. 

Como fruto excelente dessa orientação, obteve o Instituto, em vir- 
tude da criação do Conselho Brasileiro de Geografia, nele integrado (decreto 
n. 1.527, de 24 de Março de 1937), e já regulamentado pela Resolução n. 31, 
de 10 de Julho de 1937, do Conselho Nacional de Estatística, a instituição 
apropriada— e gizada em linhas paralelas ás do plano vigente no seu campo 
originário — do grande sistema dos Serviços Geográficos Brasileiros, cuja ar- 
ticulação com o sistema dos serviços de estatística está assegurada na es- 
trutura ampla e flexível deste Instituto, para o qual, em virtude disso, ambos 
os Conselhos— o de Fstatística e o de Geografia— já pediram ao Governo a 
nova denominação de "Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística". 

Portanto, se tão significativas realizações a estatística brasileira já 
levou a efeito, sob os impulsos que lhe pôde dar a entidade e que os seus 
destinos foram entregues, sem embargo das sensíveis lacunas que o quadro 
institucional desse grande organismo ainda apresenta, o seu labor ha de ser, 
seguramente, de inédita fecundidade, desde que esteja integrado e perfeita- 
mente ajustado o sistema totalitário e rigorosamente orgânico ora preposto 
ás suas realizações. E sendo certo, por outra parte, que a nossa organização 
estatística, suprindo uma lacuna muito sensível, já conseguiu realizar a car- 
tografia rudimentar dos municípios, estudando -lhes os limites e avaliando-lhes 
as áreas, e obteve assim — embora precariamente ainda— a base necessária 
aos levantamentos numéricos da população, da produção, etc, póde-se espe- 
rar confiantemente que o recem-instituído sistema dos serviços geográficos, 
submetido ao mesmo espírito que orientou o novo surto dos serviços estatís- 
ticos, consiga rapidamente os mais profícuos resultados. Esse enriquecimento 
da nossa geografia abrirá possibilidades muito mais largas ás atividades do 
Instituto no campo da estatística, o que, por sua vez, acarretará novas e va- 
liosas aquisições no campo do conhecimento antropogeográfico do Brasil. 

— «:o:»— 

Dando continuidade á prática iniciada na edição anterior, foram or- 
ganizadas 22 separatas regionais do Anuário, as quais, com o título "Sinopses 
Estatísticas", asseguram a desejável vulgarização dos dados numéricos refe- 
rentes a cada uma das Unidades Federadas. A série de tais Sinopses, porém, 
cuja impressão, em virtude de Resolução do Conselho Nacional de Estatís- 
tica, está a cargo dos governos regionais, ficará este ano enriquecida de um 
volume de síntese nacional, por meio do qual, em distribuição gratuita, a Di- 
retoria de Estatística Geral, do Ministério da Justiça, divulgará, globalmente 
para o Brasil, dados correlatos aos dos volumes regionais. 

E como ilustração correspondendo ao esquema fundamental da es- 



tatistica brasileira, que o Anuário de 1936 divulgou, o presente número in- 
cluirá também o esquema estrutural do Instituto Nacional de Estatística. 

Finalmente, cumpre registrar que na presente edição se começa a 
publicar o apêndice retrospectivo previsto na Resolução n. 35 da Assembleia 
Geral do Conselho Nacional de Estatística, devendo o apêndice de compa- 
ração internacional, a que alude a mesma Resolução, ter início na edição 
de 1938. 

— «:o:» — 

O Instituto Nacional de Estatística está cumprindo fielmente a difícil 
missão que lhe foi confiada. 

Suas responsabilidades, porém, crescem de vulto na hora presente, 
pois dos empreendimentos que lhe competem, a Nação espera o conhecimento 
minudente e sistemático das condições existenciais do país, conhecimento 
sem o qual estariam destinados a insucesso todos os esforços de reconstru- 
ção e progresso com que o novo regime político vai procurar correspon- 
der á sua vocação histórica. 

E' preciso, por conseguinte, que os governos regionais, acompanha- 
dos pelos governos municipais, secundem eficazmente os propósitos da ad- 
ministração federal no sentido de proporcionar ao país a documentação es- 
tatística ha muito exigida pela sua civilização, pela sua cultura e pelos in- 
teresses que precisa defender nas relações económicas e políticas da socie- 
dade internacional. 

Esta presidência espera qua assim aconteça. 



cíosé (Scu^oo de Ç)K acedo êoazes, 
Presidente do Instituto Nacional de Estatística 



rinc E 



SITUAÇÃO FÍSICA 

Caracterização do Território 
I — Posição geográfica do Estado — 1937 

1. Posição dos pontos extremos 15 

2. Distâncias entre as linhas geográficas extremas 15 

II — limites e área do Estado — 1937 

1. Extensão da linha divisória e sua distribuição 15 

2. Área territorial e sua distribuição 16 

IH — Geologia 

Distribuição do Território do Estado, por eras e sistemas geológicos . 17 

IV — Bacias hidrográficas 

Distribuição do Território e da energia hidráulica do Estado, segundo 

a classificação oficial das bacias hidrográficas brasileiras ... 17 

V — Categoria, posição e altitude das sedes municipais — 1936 (31— XII) 

1. Quadro sistemático 18 

2. Quadro resumo . . 19 a 21 

Climatologia 

I — Principais normais meteorológicas da Capital do Estado 23 

II — Observações meteorológicas anuais na Capital do Estado — 1935 

1. Características da Estação 22 

2. Observações relativas á pressão barométrica, temperatura e humida- 

de do ar 22 

3. Observações relativas á nebulosidade, chuva, vento, evaporação e 

insolação . . 24 

III — Distribuição numérica das estações da rede meteorológica e hidrométrica federal 24 

Divisão Territorial — 1936 (IH— XII) 

I — Quadro resumo da divisão judiciária e administrativa 25 

II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 

1. Comarcas 26—27 

2. Termos 28—29 

3. Municípios 31 a 34 

4. Distritos 35 a 39 

IH — Distribuição numérica das circunscrições superiores— judiciárias e adminis- 
trativas 

1. Comarcas 40 

2. Termos 41 

3. Municípios 42 

SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA 
Estado da População 
I — Principais dados demográficos do Estado, segundo os recenseamentos gerais 45 
II — Principais dados demográficos do município da Capital, segundo os recen- 
seamentos gerais 46 

III — População do Estado e do município da Capital, e taxas de crescimento, 

segundo os recenseamentos gerais 47 

IV — Arrolamento predial e domiciliário do Estado e do município da Capital, 

segundo os recenseamentos gerais . 47 



— 10 — aiNOrtJB KÔTATÍSTICA DO ESTADO 



V — População recenseada em 1920 no Estado, segundo a presença e a residên- 

cia (efetivos "de fato" e "de direito") 43 

VI — População natural do Estado e recenseada em 1920 no Distrito Federal . 49 
Vir - Estimativa da população do Estado em 31 de Dezembro de 1936 

1. População, segundo as zonas íisiográficas 50 

2. População, segundo as comarcas 50 

3. População, segundo os termos 51 

4. População, segundo os municípios 52 

VIII População do Estado e do município da Capital em 31 de Dezembro de 

1936, e seu confronto com as médias dos efetivos demográficos das 

circunscrições administrativas e judiciárias 52 

IX — Distribuição numérica das Comarcas, Termos e Municípios, segundo seus 

efetivos demográficos em 31 de Dezembro de 1938 53 

Movimento da população 
I — Movimento do Registro Civil 

1. Sinopse dos nascimentos, casamentos e óbitos registrados no Estado, 

segundo as informações recebidas na Diretoria de Estatística 

Geral — 1933 / 34 54 

2. Sinopse dos nascimentos, casamentos e óbitos registrados no muni- 

cípio da Capital, segundo as informações recebidas na Diretoria 

de Estatística Geral — 1933 / 34 54 

1' — Movimento de entrada de imigrantes e trabalhadores encaminhados pelo 

Departamento Nacional do Trabalho — 1916 / 1936 ..... 55 

SITUAÇÃO ECONÓMICA 

Produção extrativa 
Principais produtos da indústria extrativa vegetal no quinquénio de 1932 / 19?6, 
comparativamente com a média quinquenal de 1927 / 1931 

1. Quantidade 59 

2. Valor 59 

Produção agrícola ■ . . 

I — Área 'cultivada das principais culturas, no quinquénio de 1932/1936 . . 60 

II — Rendimento médio das principais culturas, no quinquénio de 1932 / 1936 ' . 61 

III — Produção anual das principais culturas, no quinquénio de 1932 / 1936, com- 
parada com a média quinquenal de 1927/1931 

1. Quantidade . .... 62 

2. Valor . . 63 

Produção pecuária 
I — População pecuária em 1935 

1. Efetivo do gado existente . . . . . . . . . 64 

2. Valor do gado existente 64 

II — Gado abatido nos matadouros municipais — 1931 / 1935 65 

Produção industrial 

l indústria- <!e eletricidade — 1936 ..... .... 66 

II Indústrias sujeitas ao imposto de consumo 

1. Número de fábricas — 1935 67 

2. Quantidade dos principais artigos tributados — 1925/1935 . . 68 a 71 
III Indústria açucareira — 1934 / 1936 . 72 

Estradas de ferro — 1935 (31 —XII) 
I — Extensão da rede em tráfego, segundo sua composição ..... 72 

II — Desenvolvimento da rede em tráfego . 72 

Rodoviação 

I Extensão da rede rodoviária — 1930 / 1936 (31— XII) 73 

II — Automóveis e outras espécies de veículos terrestres existentes no municí- 
pio da Capital — 1936 (81— XII) 73 

Correios e telégrafos — 1935 
I — Condições gerais do serviço 74 



ÍNDICE —11 — 

II — Tráfego postal 

1. Movimento geral . . ;:, 

2. Movimento especial 76 

III — Tráfego telegráfico 77 

Propriedade imobiliária 
I — Transcrições de transmissões de imóveis 

1. Movimento geral— 1924/193.3 . • 78 

2. Movimento das transmissões por compra e venda— 1924/1933 . 79 
II — Inscrições de hipotecas convencionais 

1. Movimento geral — 1924/1933 '. . 80 

2. Movimento discriminado — 1933 81 

Movimento bancário — 1936 (31-X1I) 

I — Resumo do aiivo e passivo dos estabelecimentos bancários em funcionamento 82 

II — Relação nominal dos estabelecimentos bancários em funcionamento . 83 

III — Número de estabelecimentos bancários em funcionamento, por sede . . 83 

Comércio — 1936 
Preços correntes dos principais géneros alimentícios no comércio varejista da Capital 

1. Primeiro semestre 84 

2. Segundo semestre 85 

3. Resumo anual 86 

Salários — 1935/ 1936 
Preços correntes do trabalho rural, sem sustento, nos principais ofícios ... 87 

Rendimentos — 1928/1936 
Arrecadação do imposto cedular e global sobre a renda ...... 87 

SITUAÇÃO SOCIAL 

Melhoramentos urbanos — 1936 (31-XII) 
Serviços de abastecimento d'água potável, de esgotos sanitários e de iluminação 

pública, existentes nas sedes municipais 91 

Assistência médico-sanitária — 1933/1935 

I — Número dos estabelecimentos de assistência 

II — Capacidade dos estabelecimentos de assistência .... 

III — Principais instalações existentes nos estabelecimentos de assistência 

IV — Efetivo do pessoal nos estabelecimentos de assistência 94 

V — Movimento dos estabelecimentos de assistência com internamento 95 

VI — Movimento dos estabelecimentos de assistência sem internamento . 96 

Despesas públicas com a assistência médico-sanitária — 1932/1934 
I — Discriminação, segundo as principais rubricas ....... 97 

II — Discriminação, segundo a finalidade 98 

Asilos e recolhimentos — 1932/1934 

Número de instituições ede asilados 99 

Previdência e assistência social 
Caixa Económica Federal — 1934/1935 100 

Trabalho 

I — Serviço de identificação profissional — 1933/1936 101 

II — Convenções de trabalho — 1936 

Distribuição das convenções realizadas pela Inspetoria Federal do Tra- 
balho, segundo o tipo convencional e os grupos de empregados 

abrangidos 101 

III — Sindicatos oficialmente reconhecidos — 1931/1936 102 

SITUAÇÃO CULTURAL 
Educação — 1932/1934 

I — Ensino em geral 

1. Unidades escalares 

2. Corpo docente I<« 



— 12 — SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 

3. Matrícula geral 109 

4. Matrícula efetiva 110 

5. Frequência 111 

6. Aprovações em geral 112 

7. Conclusões de curso 113 

II — Ensino primário geral (comum e supletivo) 

1. Estabelecimentos escolares 114 

2. Prédios escolares 115 

3. Aparelhamento escolar 116 

4. Instituições escolares 117 

5. Unidades escolares 118—119 

T5. Turnos 120 

7. Classes 121 

8. Pessoal docente .. . 122 

9. Matrícula geral 123 

10. Matrícula efetiva .............. 124 

11. Frequência média 125 

12. Aprovações em geral ... 126 

13. Conclusões de curso . 127 

Bibliotecas — 1934/1935 

Número de instituições e efetivos bibliográficos 128 

Diversões — 1934 

Teatros e outras casas de espetáculos . 129 

Imprensa periódica — 1934 

Periódicos arrolados, segundo a sede, a dependência administrativa e a tiragem média 130 

Despesas públicas com a assistência cultural — 1932/1934 

I — Discriminação, segundo as principais rubricas ■ ...-■ 131 

II — Discriminação, segundo a finalidade 132 

Cultos — 1933/1934 

I — Culto católico ... . . .' ....'. . . . . ... 133 • 

II — Culto protestante . > . 133 

Suicídios — 1934 

Número de ocorrências, por sexos ■ ..... 134 

SITUAÇÃO ADMINISTRATIVA E POLÍTICA 

Finanças públicas 
I — Finanças federais no Estado — 1936 

1. Receita arrecadada . . . . . . .... . ' 1S9 

2. Despesa efetuada 139 

II — Finanças estaduais 

1. Receita orçada — 1936/1937 140 

2. Despesa fixada — 1936/1937 ........ 140 

3. Receita arrecadada e despesa efetuada — 1907/1936 .... 141 

III — Finanças municipais — 1907/1936 

Receita arrecadada e despesa efetuada . . .... . 142 

IV — Finanças federais, estaduais e municipais (resumo) — 1935 

Receita arrecadada e despesa efetuada . 143 

Segurança pública — 1935 

Polícia Militar . . .... . 144 

Repressão 

I — Prisões existentes —1936 ...... .... 145 

II — Número de condenados existentes em 30 de Junho de 1934 ..'"•". . . 145 

Representação política 

I — Eleição do Poder Legislativo da União — 1934 (14— X) . . . . . 146 

II — Constituição do Poder Legislativo — 1937 . 146 

Apêndice 

O Estado e o Brasil — Breve confronto estatístico . . . . . . . . '., 161 



Situaçõa íísica 



SITUAÇÃO FÍSICA 



— 15 



CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO 

7 — Posição geográfica do Estado — 1937 
1. Posição dos pontos extremos 





PONTOS 


Coordenadas 


LADOS 


Latitude 
. s. - 


Longitude 

W. Ge. 


Norte .... 


Rio Tocantins na divisa com Maranhão . . . 


5 o 


09' 24" 


48? 26' 09" 


Sul 


Rio Paranaíba, á montante da confluência 










com o Aporé 


19° 


29' 21" 


50° 51' 54" 


Este 


Serra Taguatinga na divisa com Baía . . 


13° 


08' 15" 


45° 31' 39" 


Oeste .... 


Rio Araguaia ao sul de Santa Rita do Ara- 












17° 


28' 51" 


53° 13' 27" 











2. Distâncias entre as linhas geográficas extremas 


Especificaçãc 


Dados 
numéricos 




Latitudes J 


Ao Norte 


5 o 09' 24" S. 


Direção 


extremas j 


Ao Sul 


19° 29' 21" S. 


N. - S. 


Diferença < 


Em ângulo 

- Em Km 


14° 19' 57" 
1,586 




Longitudesl 


A Leste 


45° 31' 39" W.Gr. 


Direção 


extremas I 


A Oeste 


53° 13' 27" W.Gr. 


L. - 0. 


Diferença < 


Em ângulo 

Em Km 


7» 41 > 4 g» 

827 



77 — Limites e área do Estado — 7537 
1. Extensão da linha divisória e sua distribuição 



Lados 


Unidades confrontantes 


Extensão da linha divisória 


Km. 


% 


Norte e Nordeste 

Este 

Sueste 

Sul e Oeste . 

Noroeste" g . 


Maranhão 

Baía 

Minas Gerais 

Mato Grosso 

Pará .... 


643 
1.267 
1.621 

665 


17,63 
12,62 
24,87 
31,82 
13,06 


TOTAL 


5.094 


100,00 



— 16 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO 

II — Limites e área do Estado — 1937 
2. Área territorial e sua distribuição 



ESPECIFICAÇÃO 



Dados numéricos 



hm* 



Área territorial 



Área média 



Do Estado . 

Do município da Capital 



Na divisão admi- 
nistrativa 



Na divisão judi- 
ciária 



Dos municípios 
Dos distritos 

Das comarcas 
Dos termos 
Dos distritos 



DISTRIBUIÇÃO DA ÁREA DO ESTADO 



Segundo os fusos 
horários do terri- 
tório nacional, em 
relação á hora de 
Greenwich 



Segundo o reves- 
timento ílo- 
rístico 



I. Menos 2 horas 

II. Menos 3 horas 

m. Menos 4 horas 

IV. Menos 5 horas 



I. Matas 

n. Cerrados . 

III. Caatingas . 

TV. Vegetação litorânea 

V. Campos 

VI. Campos inundáveis 
Vil Pantanais 

VIII. Outras áreas 



Segundo as zonas 
fisiográficas 



I. Norte 

II. Planalto 

m. Centro 

IV. Sul . 
V. 



660.193 
9.648 

12.004 
4.050 

24,452 
12.004 
4.050 



100,00 
1,46 

1,82 
0,61 

3,70 
1,82 
0,61 



100,00 



251.509 


38,10 


248.336 


. 37,61 


68.783 


10,42 


80.177 


12,14 


2.951 


0,45 


8.437 


1,28 


372.614 


56,44 


64.114 


9,71 


80.031 


12,12 


59.559 


9,02 


83.875 


12,71 



SITUAÇÃO FÍSICA 



17 — 



CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO 

III — Geologia 
Distribuição do território do Estado, por eras e sistemas geológicos 



Era 



s te mas 



Cenozóica 



Mesozóica 



Paleozóica 



Proterozoica . 
Arqueozoica . 
Áreas não estudadas 
TOTAL 



Quaternário 
Neogêneo . 
Eogêneo . 
Total da era 
Cretáceo . 
Triássico . 
Total da era 

Permiano . 
Carbonífero 
Devoniano . 
Siluriano . 
Pressiluriano 
Eopaleozoico 
Total da era 

Algonquiano 

Arqueano . 



Dados numéricos 



Km* 



7.360 
37.440 
44.800 



118.320 
27.040 
145.280 
324.753 



1,11 
5,67 
6,78 



9,61 

17,92 

4,10 

22,00 

49,20 



100,00 



IV — Bacias Hidrográficas 

'Distribuição do território e da energia hidráulica do Estado, segundo 
a classificação oficial das bacias hidrográficas brasileiras 









Dados numéricos 


E s p e 


cificaçãe 


Absolutos 


% 




í t 


Bacia do Amazonas .... 


525.813 


79,65 




n. 


Bacia do Nordeste .... 


— 







m. 


Bacia do São Francisco . 


— 







IV. 


Bacia de Leste 


— 


— 


Área ( Km» ) 


V. 


Bacia do Paraguai .... 


— 


— 


VI. 


Bacia do Paraná .... 


134.380 


20,35 




vn. 


Bacia do Uruguai .... 


— 


— 




vm. 


Bacia do Suleste .... 
TOTAL ...... 


— 


— 




660.193 


100,00 




í i- 


Bacia do Amazonas 


765.300 


68,93 




n. 


Bacia do Nordeste .... 


— 


— 




m. 


Bacia do São Francisco . 


— 


— 




IV. 


Bacia do Leste .... 


— 





Energia hidráulica 
( Avaliação em H.P. ) 1 


V. 


Bacia do Paraguai .... 


— 


— 


VI. 


Bacia do Paraná .... 


344.908 


31,07 




vn. 


Bacia da Uruguai .... 


— 


— 




vm. 


Bacia do Suleste .... 
TOTAL 


— 


— 




1.110.200 


100,00 



— 18 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO 

V— Categoria, posição e altitude das sedes municipais — 1936 (31 -XII) 
1. Quadro sistemático 



N. de 


Sedes Municipais 


Categoria 


COORDENADAS GEOGRÁFICAS 


Posição r 


elaflvamente 
Capital 


Minde 
(m) 


ORDEM 


Desig- 
nação 


Data da 
investidura 


Latitude 

S. 


Longitude 
W.Gr. 


Ramo 


Distância em 

linha rata 

(Km.) 


1 


Anápolis .... 
Arraias 


cid. 


31— 7—907 


16°19'30" 


48°58'02" 


NE 


60 | 970 


2 


« 


1— 8—914 


13°03'00" 


46°41'00" 


NNE 


489 580 


3 


Bananeiras .... 


vila 


21— 1—931 


17°43'00" 


49°39'00" 


sso 


121 630 


4 


Bela Vista .... 


cid. 


5— 6—896 


16°58'33" 


48°57'12" 


SE 


44 700 


5 


Bôa Vista do Tocantins 


« 


28— 7—858 


6°31'00" 


47°40'?1" 


NNE 


1.164 I 131 


6 


Bonfim 


« 


5—10—857 


16°39'08" 


48°36'39" 


ENE 


77 


917 


7 


Buriti Alegre . . . 


« 


30— 5—927 


18°02'00" 


49°19'00" 


SSO 


150 


620 


8 


Caldas Novas . . . 


« 


21— 6—923 


17°41'15" 


48°39'06" 


SSE 


128 


510 


9 


Campo Formoso . . 
Catalão . . . k . 


« 


8— 7—909 


16°59'30" 


48°15'30" 


ESE 


112 


950 


10 


« 


20— 8—859 


18?1Q'05" 


47°57'19" 


SSE 


216 


842. 


11 


Cavalcanti .... 


vila 


11—11—831 


13°46'00" 


47°23'00" 


NNE 


381 


800 


12 


Conceição do Norte 


« 


14—10—854 


12°17'00" 


47°31'21" 


NNE 


530 


400 


13 


Corumbá . . . . . 


cid. 


9_ 7_902 


15°55'27" 


48°44'03" 


NNE 


100 


950 


14 


Corumbaíbá. ... 


« 


28— 5—912 


18f9'30" 


48°28*30" 


SSE 


181 


650 


15 


Cristalina .... 


vila 


18— 7—916 


16°47'30" 


47°35'20" 


ESO 


182 


950 


16 


Crixás(l) 


« 


11—11—831 


14°40'00" 


49°35'00" 


NNO 


230 


610 


17 


Formosa . . . . ; 


cid. 


21— 7—877 


15°32'07" 


47"18'21" 


ENE 


246 


905 


18 


Goiandira .... 


vila 


6— 3—931 


18°09'00" 


47°07'00" 


SSE 


202 


813 


19 


Goiânia (Capital) . . 


cid. 


2— 8—935 


16°43'30" 


49°16'30" 


— 


— 


760 


20 


Goiaz ...... 


« 


17— 9—818 


15°56'36" 


50»08'00" 


NO 


126 


520 


21 


Inhúmas . . . . . 


vila 


19— 1—931 


16°21'00" 


49°30'30" 


NNO 


31 


800 


22 


Ipamerí 


cid. 


15— 4—890 


17°43'17" 


48°09'54" 


SE 


162 


727 


23 


Itaberaí 


« 


22— 7—903 


16°01'30" 


49°49'00" 


NNO 


95 


770 


24 


Jaraguá 

Jataí . . . .:...■ 




29— 7—882 


15°45'32" 


49°20'09" 


NNO' 


105 


700 • 


25 


« 


31— 5—895 


17°53'06" 


51°42'36" 


OSO 


. 281 


708 


26 


Mineiros 


vila 


24— 5—905 


17°34'12" 


52°32'36" 


oso 


354 


800 


27 


Morrinhos .... 


cid. 


29— 8—882 


17°42'00" 


49°07'21" 


SSE 


116 


677 


28 


Natividade .... 


« 


1— 8—914 


11°48'00" 


47°50'21" 


NNE 


591 


500 


29 


Novo Horizonte . . 


vila 


7— 6—911 


16°26'00" 


49»59'00" 


ONO 


82 


650 


30 


Palma ...... 


cid. 


5—10—857 


12°38'00" 


48°07'21" 


NNE 


487 


270 


31 


Palmeiras .... 


« 


6— 7—905 


16°47'30" 


49°53'30" 


OSÓ 


66 


533 


32 


Paraúna 


vila 


10—11—934 


16°38'00" 


50°20'30" 


ONO 


114 


800 


33 


Pedro Afonso . . . 


« 


25— 7—898 


8°57'59" 


48°10'47" - 


NNE 


857 


150 


34 


Pirinópolis .... 


cid. 


2— 8—853 


15°47'00" 


49°08'21" 


NNE 


100 


740 


35 


Pires do Rio (2). . 


« 


29— 8—884 


17°18'58" 


48<>29'26" 


ESE 


109 


740 


36 


Planaltina .... 


vila 


19— 3—891 


15°37'00" 


47»36'30" 


ENE 


212 


950 


37 


Porto Nacional . . 


cid. 


13— 7—861 


10°42'23" 


48»25'10" 


NNE 


667 


210 


38 


Posse ...... 


« 


29— 7—918 


14°07'00" 


45''57'30 ,, 


ENE 


454 


920 


39 


Pouso Alto .... 


« 


18—11—886 


17°18'25" 


49°02'51" 


SSE 


68 


726 


40 


Rio Bonito .... 


« 


25— 6-932 


16°57'00" 


52°02'00" 


OSO 


293 


735 


41 


Rio Verde .... 


« 


31— 7—882 


17»43'30" 


50<>53'00" 


oso 


204 


800 


42 


Santa Luzia .... 


« 


5—10—867 


16°15'00" 


47 56'21" 


ENE 


157 


960 


43 


S. Maria do Araguáia(3) 


vila 


26— 7—919 


9°00'00" 


49°49'30" 


NNO 


852 


120 


44 


Sta. Maria Taguatinga 


« 


10—11—868 


12°16'30" 


45°54'00" 


NNE 


608 


700 


45 


Santana 


« 


4— 7—931 


14°44'30" 


49»05'00" 


NNE 


217 


450 


46 


Sta. Rita do Paranaíba 


cid. 


27— 7—915 


18°25'10" 


49ol3'09" 


SSE 


190 


320 


47 


Sta. Rita do Pontal . 


vila 


2— 8—935 


17°29'30" 


48°40'00" 


SSE 


110 


550 


« 48 


Santa Terezinha . . 


« 


20— 6—895 


12°01'20" 


48°32'40" 


NNE 


519 


250 


49 


São Domingos . . 
São João da Aliança 


« 


14—10—854 


13°30'00" 


46«08'80" 


NE ■ 


492 


700 


50 


« 


8— 8—884 


14°43'00" 


47°20'30" 


NNE 


313 


500 


51 


São José do Duro . 


« 


26— 8—884 


11°18'30" 


45°50'00" 


NNE 


700 


800 


52 


São José do Tocantins 


« 


1— 4—833 


14°28'30" 


48°27'37" 


NNE 


263 


700 


53 


S. Vicente do Araguaia 


« 


21— 7—913 


5°47'30" 


48<>15'00" 


NNE 


1.211 


90 


54 


Sítio da Abadia . . 


« 


27— 7—875 


14°42'00" 


46°15'00" 


ENE 


390 


850 


55 


Trindade 


cid. 


20— 6—937 


16°37'30" 


49°29'00" 


ONO 


23 


780 



NOTA— Salvo anotação em contrário, as designações das sedes municipais são extensivas aos respectivos municípios 
(1) Sede flo município de Pilar. — (2) Sede do município de Sta. Cru». — (3) Sede do município de Coura Magalnães. 



SITUAÇÃO FÍSICA 



— 19 — 



CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO 

V— Categoria, posição e altitude das sedes municipais— 1936 (31-XII) 
2. Quadro resumo 



ESPECIFICAÇÃO 



Data da investidura 



I— EXTREMOS 



Da sede municipal (como vila ou cidade) 
mais antiga (Palma) .... 



Na categoria 
atual 



Coordenadas geográfi- 



Situação 



Longitude 
W.Gr. 



Altitude 

(M.) 



Distância da 
Capital (Km). 



Da vila mais antiga (Crixás 
(-=-) e Cavalcanti) 

Da cidade mais antiga 
(Goiaz) .... 



Mais setentrional (S. Vi- 
cente do Araguaia) . 
Mais meridional (S. Rita Pa- 
ranaíba . . . . 



Mais oriental (S. José do 
Duro) .... 



Mais ocidental (Mineiros) 



Maior (Anápolis) . 

Menor (S.Vicente do Ara- 
guaia) . 



Maior (S. Vicente do Ara- 
guaia) .... 

Menor (Trindade) . 



II — DISTRIBUIÇÃO NUMÉRICA DAS SEDES 
Categoria 



Segundo a categoria e 
a data da investidura 



Vilas 
Cidades 



Até 1550 

De 1551 a 1600 

« 1601 « 1650 

« 1651 « 1700 

« 1701 « 1750 

« 1751 « 1800 

« 1801 « 1850 

« 1851 < 1900 

« 1901 « 1936 



(-Í-) — Sede do município de Pilar 



20 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO 



V — Categoria, posição e altitude das sedes municipais — 1936 (31 - XII) 
2. Quadro resumo 





Especificação 


Dados 
j numéricos 










« 6 o « 7° 






« 7° « 8° 






« 8 o « 9° ........ 






« 9° « 10° 






« 10° € li» 




Segundo a latitude < 


« 11" « 12° 




« 12° «13° . 


4 




« 13° « 14° 


- ' 3 




« 14° «15° . 


6 




« 15° « 16° . . 


6 




« 16° « 17° . • 


14 




« 17° « 18° 


10 




« 18° « 19° ...... 


5 




Entre 45° e 46° . 


3 




« 46° « 47° ........ . 


3 




« 47° « 48° • . . . . 


1 '. 10 


Segundo a longitude 


« 48° « 49° 


17 


W. Gr. 




16 




« 50° «51° 


3 




« 51° «52° ........ . 


1 




« 52° « 53° .....' . . 


2 




Ao N 






A NNE . . 


17 




« NE 


2 




c ENE . . . . 


6 




« E 







€ ESE . 


3 




«SE ........... 


2 


Segundo a situação 


c SSE . 


8 


relativamente & Capital 1 


Ao S ........... 






A SSO ... 


2 




« SO 






« OSO 


5 




«0 ....... 






€ ONO . 


3 




«NO 


1 




« NNO . . ........ 


5 









SITUAÇÃO FÍSICA 



— 21 



CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO 

V— Categoria, posição e altitude das sedes municipais— 1936 (31-XII) 
2. Quadro resumo 



ESPECIFICAÇÃO 



Segundo a distância 

relativamente á 

Capital (Km.) 



Segundo a altitude 
(M.) 



400 



Até 50 

De 51 a 100 

101 « 200 

201 « 300 
301 

401 « 500 

501 « 600 

600 « 700 

701 « 800 

801 « 900 

901 «1.000 

1.001 e mais 



Até 50 . 

De 51 a 100 

101 « 200 

201 « 300 

301 « 400 

401 « 500 

501 t 600 

601 « 700 

701 < 800 

801 < 900 

901 «1.000 

1.001 e mais 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



C LI MATOLOGI A 

II — Observações meteorológicas anuais na Capital do Estado — 1935 
1. Características da estação 



Especificação 


Indicações numéricas 


Classe . 




(D 


Coordenadas 


Latitude S . 

Longitude W. Gr 


15°55' 
50-08 


Coeficiente de redução do barómetro á gravidade normal (CG.), em m/m . 


—16 


Altitude (M.) 


1 Da estação (H) 

1 ' Da cuba do barómetro (Hb.) 


520.00 

- 520.00 

• 



(1) Estação de 2. a classe (Goiaz) 



2. Observações relativas á pressão barométrica, temperatura e 


humidade do ar 




OBSERVAÇÕES 


MESES 


Pressão 
baromé- 
trica a 
0°C. 


Temperatura centígrada á sombra 


Humidade do ar 


Média 
das 

máximas 


Média 
das 

mínimas 


Máxima absoluta 


Mínima absoluta 


Média 
compen- 
sada 


Termó- 
metro 
húmido 


Tensão 
do vapor 
(m/m) 


Humidade 
relativa 
(%) 




Graus 


Data 


Graus 


Data 


I . 


717.7 


29.7 


19.7 


35.8 


15 


18.0 


24 


23.8 


22.6 


19.5 


87.8 


II . 








18.1 


29.8 


20.2 


33.6 


18 


16.8 


18 


23.8 


22.6 


19.7 


88.3 


III . 








17.9 


31.2 


20.0 


35.0 


13 


18.2. 


8 


24.4 


22.8 


19.7 


85.1 


IV . 








18.8 


29.9 


19.5 


32.2 


10 


16.8 


30 


23.3 


22.0 


lf.8 


86.9 


V . 








, 20.3 


29.8 


16.8 


31.8 


15 


10.6 


30 


21.9 


20.0 


16.5 


82.3 


VI . 








20.9 


30.7 


14.4 


32.6 


12el8 


11.2 


3 


21.0 


18.6 


14.6 


77.7 


VII . 








21.2 


31.5 


14.3 


34.4 


24 


11.2 


31 


21.2 


18.5 


14.1 


73.8 


VIII . 








20.5 


33.0 


15.5 


35.4 


26 


11.6 


25 


22.7 


18.8 


13.8 


66.1 


XI . 








18.4 


34.7 


18.5 


37.6 


23 


14.6 


5 


25.4 


21.4 


16.7 


68.2 


X . 








18.1 


33.4 


20.0 


35.8 


15 


18.0 


2 


25.4 


22.8 


19.0 


78.4 


XI . 








17.6 


31.2 


20.0 


35.0 


4e20 


17.6 


4 


24.3 


22.5 


19.2 


83.4 


XII . 








17.7 


30.6 


20.6 


36.0 


3 


18.4 


1 


24.5 


23.1 


20.1 


86.9 


Ano 








718.9 


31.3 


18.3 


37.6 


23 IX 


10.6 


38 V 


23.5 


21.3 


17.6 


80.4 



SITUAÇÃO FÍSICA 



23 



CLIMATOLOGIA 

/ — Principais normais meteorológicas da Capital do Estado 



specifica çáe 



Resultados 



Estação 



Coordenadas 



Altitude (M.) 



Latitude austral 
Longitude W. Gr. 



Normais anuais 
(Período de 8 anos : 
1912 a 1919) 



Pressão barométrica a o — Média (m/m) 



Temperatura 

centigrada á 

sombra 



Média 



Absoluta 




Máxima 
Mínima 



Humidade I Tensão do vapor-Média (m/m) 
do ar í Humidade relativa-Média (%) 



Nebulosidade média (0—10) 



Chuva 



Vento 



Altura total 
em 24 



Í Quantidade] 
(m/m) {Máxúnaerr 
Número de dias 



Velocidade média (m.p.s.) 
Direcões predominantes 



Evaporarão total (m/m) 
Insolação total . 



(1)— Estação de 2a. classe (Goiaz) 



24 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



CLI M ATOLOGIA 

II— Observações meteorológicas anuais na Capital do Estado 
3. Observações relativas á nebulosidade, chuva, vento, 
evaporação e insolação 



1935 









OBSERVAÇÕES 




Nebulosi- 
dade 
(0-10) 


Chuva 


V e n 


t o 


! 
Evaporação 

total 

(m/m) 


Insolação 


MESES 


Altura total 
(m/m) 


Máxima em 24 horas 


Direções Pre- 
dominantes 


Velocidade 
em 
m.p.s. 


total 




Altura 

(m/m) 


Data 


la, 


2a. 


(horas e 
décimos) 


I 


8.0 


520.6 


67.2 


19 


C 


E 


0.6 


37.0 


103.4 


II 






8.6 


228.6 


32.6 


12 


C 


E 


0.6 


• 35.7 


135.8 


III 






7.4 


274.5 


74.4 


21 


C 


E 


0.7 


48.4 


158.0 


IV 






7.2 


114.6 


20.4 


5 


C 


E 


0.8 


42.6 


158.1 


V 






4.7 


48.0 


17.9 


10 


C 


E 


1.3 


57.1 


226.5 


VI 






2.8 


0.0 


0.0 


- 


NE 


C 


1.4 


74.1. 


275.3 


VII 






3.3 


0.0 


0.0 


— 


NE 


E 


1.5 


92.0 


287.3 


vin 






3.5 


0.0 


0.0 


- 


E 


C 


1.4 


129.8 


262.7 


IX 






- 


36.7 


33.2 


30 


C 


E . 


1.4 


125.6 


218.7 


X 






7.6 


173.0 


36.6 


7 


C 


E 


0.9 


31.2 


199.0 


XI 






7.9 


304.1 


69.2 


26 


c 


E 


1.0 


24.9 


173.5 


XII 






7.9 


314.0 


39.0 


5 


c 


E. 


0.5 


. 39.0 


178.0 


Ano . 






- 


2014.1 


74.4 


21-m 


c . 


E 


1.0 


737.4 


2376.3 



III 



Distribuição numérica das estações da rede meteorológica e 
hidrométrica federal 



Especificação 1 Dad ° s 

numéricos 


Especificação 


Dados 
numéricos 


REDE DO DEPARTAMENTO DE 1 

AERONÁUTICA CIVIL 

1936 (31— XII) 

Número total .... 

Discriminação 
Observatório mereorológico . 
De 2a. classe e aérológicas . 
De 2a. classe .... 
De 3a. classe .... 

Termo-pluviométricas 

Rádio-emissoras 

Postos semafóricos . . '. 

Pluviométricas .... 


11 

2 
3 
6 


Plúvio hidrométricas 
DEPARTAMENTO NACIONAL DE 
PRODUÇÃO MINERAL 
(Serviço de Aguas) 1937 (31—10) 
Número total . . . 

Discriminação 
Postos pertencen- í Hidro-pluviomé tricôs 
tes ao Serviço { Pluviométricos 
de Aps iHidrométricos 

Postos partieolares í Hidro-pluviométricos 
que eooperam eom ot Pluviométricos 
Serviço de Apas IHidrométricos 


1 
1 



SITUAÇÃO FÍSICA 



25 



DIVISÀO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

1 — Quadro resumo da divisão judiciária e administrativa 



ESQUEMA GERAL 



Número de 



Divisão judiciária 



Comarcas 



Classificadas 
por entrâncias 



De I a . entrância 
« 2*. « 
« 3». « 
« 4 a . « 
« 5 a . « 
« ent. especial 



Sem especificação de entrâncias 
Total 



Termos 
Distritos de paz 



Divisão 
administrativa 



Área média das 
unidades terri- 
toriais 



(Km.2) 



{Cidades 
Tendo por sedes < 
[ Vilas . 
Total 

Distritos administrativos 

(Das comarcas 
Dos termos .... 
Dos distritos de paz . 



Na divisão admi- 
nistrativa 



Dos municípios 

Dos distritos administrativos 



55 
163 

33 
22 
55 
163 

24.452 
12.004 
4.050 

12.004 
4.050 



NOTAS : I — Este e os seguintes quadros sobre divisão territorial acham-se organizados de 
acordo coma documentação coligida pela ' l. a secção da Diretoria de Estatística Geral, levando-se em 
conta igualmente as informações complementares fornecidas pelas Repartições Regionais de Estatística. 
Não havendo ainda, na matéria, nem legislação sistemática, nem registros na devida ordem, os dados 
coligidos apresentavam numerosas lacunas e incertezas que foram supridas da melhor forma, sendo 
possível, entretanto, que pesquizas mais demoradas tragam ao trabalho algumas retificações. 

II — De acordo com o critério firmado pelo Conselho Nacional de Estatística as comarcas que 
não se sub-dividem em termos consideram-se constituídas por uma única circunscrição dessa categoria, 
computando-se igualmente como um distrito os municípios que não apresentam, no quadro administra- 
tivo, sub-divisão distrital. 

III — Salvo algum erro de informação que não se tenha podido corrigir, não estão incluídas no 
quadro da divisão territorial as circunscrições ainda não instaladas. 



— 26 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
1. Comarcas 





Designação 


Entrân- 
cia 


A'rea 


Divisa© 


N°. de 
ordem 


Km* 


% 


Termos componentes 


Circunscrições menores 
abrangidas 


Municí- 
pios 


Distritos 




Indiciá- 
rios 


Adminis- 
[ trativos 


1 


Alto Tocantins (Sede 
Porto Nacional) , 

Anápolis .... 

Bela Vista 

Bôa Vista do Tocantins . 

Bonfim . 

Buriti Alegre . . 

Catalão .... 

Corumbá .... 

Corumbaíba . 
Formosa .... 

Goiânia (Capital) . 
Goiaz .... 

Ipamerí .... 


3a. 

2a. 
2a. 
3a. 

2a. 
la. 

2a. 

la. 

la. 
2a. 

la. 
3a. 

2a. 


164.198 

2.800 
2.376 
70.894 

3.850 
2.264 

12.800 

16.320 

3,800 
12.557 

11.592 
93.639 

7.309 


24,87 

0,42 
0,36 
10,75 

0,58 
0,34 

1,94 

2,47 

0,58 
1,90 

1,75 
14,19 

1,11 


Porto Nacional 
Pedro Afonso . . . 
Santa Teresinha . 
Total . 

Anápolis . 

Bela Vista . 

Bôa Vista do Tocantins 
Couto de Magalhães 
São Vicente do Araguaia 
Total . 

Bonfim .... 

Buriti Alegre . . . 
Bananeiras 

Total . . .. 

Catalão . 

Goiandira. 

Total . 

Corumbá . . . 

São José do Tocantins -. 

Tostai . . . 

Corumbaíba . 

Formosa 
Planaltina. 

São João da Aliança . 
Total . , . 

Goiânia .... 
Trindade . . . 
Total . 

Goiaz 

Novo Horizonte 
Palmeiras .... 
Paraúna . . 
Pilar ... . . 
Total . 

Ipamerí .... 




7 
6 
2 


7 
6 
2 


2 
3 

4 




15 

5 

1 

5 
6 

4 


15 

" 5 

1 

5 
6 

4 


5 
6 




15 

3 

1 
, 1 


15 
3 

1 

1 


7 




2 

2 
3 


2 

2 
3 


8 


i 


5 

1 
4 


5 

1 

4 


9 
10 




5 
2 

2 
1 
2 


5 
2 

2 
1 

2 


11 




5 

6 
1 


5 

6 
1 


12 




7 

12 
2 
3 
1 
2 


7 

12 
2 
3 
1 
2 


13 


5 
1 


20 

4 


20 

4 



NOTA — As denominações das comarcas são comuns ás respectivas 
cousa não estiver indicada entre parêntesis. 



sempre que outra 



SITUAÇÃO FÍSICA 



— 27 - 



DIVI ÁO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 



II 



Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
1. Comarcas 





Designação 


Eníiân- 
cia 


ÁREA 


Divisão 


N. de 
ordem 


Km.= 


% 


Termos componentes 


Circunscrições menores 
abrangidas 


Municí- 
pios 


Distritos 




Judiciá- 
rios 


Adminis- 
trativos 


14 


Jataí . . 

Morrinhos 

Natividade 

Pirenópolis . . . 
Pouso Alto . 
Riachão (Sede Posse) 

Rio das Almas (Sede Ja- 
raguá) 

Rio das Pedras (Sede 
Itaberaí) . 

Rio Paraná (Sede Arraias) 

Rio Verde 
Santa Cruz . 

Santa Luzia . 

Santa Rita do Paranaíba 

Torres do Rio Bonito 
(Sede Rio Bonito) . 


2». 
2». 

3 a . 

2*. 
2*. 

2*. 

2\ 
2\ 
3 a . 

2\ 
2\ 

2*. 

2\ 
2 a . 


47.135 
8.856 

32.030 

5.444 
3.000 
21.186 

23.287 
3.750 
33.300 

21.315 
8.770 

19.536 

12.760 
15.425 


7,14 
1,33 

4,85 

0,83 
0,46 
3,21 

3,53 
0,56 
5,05 

3,23 
1,33 

2,96 

1,93 
2,34 


Jataí .... 
Mineiros 

Total . 

Morrinhos 
Caldas Novas 
Santa Rita do Pontal . 
Total . 

Natividade 
Conceição do Norte 
Palma .... 
São José do Duro . 

Total . 
Pirenópolis 
Pouso Alto . 

Posse .... 
São Domingos 
Sitio d' Abadia , 
Total . 

Jaraguá .... 
Santana .... 
Total . 

Itaberaí . 
Inhumaas 

Total . 

Arraias .... 

Cavalcante 

St a . Maria do Taguatinga 

Total . 
Rio Verde 

Santa Cruz . 
Campo Formoso 
Total . 

Santa Luzia . 
Cristalina 

Total . 
Santa Rita do Paranaíba 

Rio Bonito . . . 




4 
2 


4 
2 


15 




6 

2 
3 
1 


6 

2 
3 

1 


16 




6 

4 
1 
3 
3 


6 

4 

1 
3 
3 


17 
18 
19 




11 

2 

2 

4 
4 
3 


11 

2 

2 

4 
4 
3 


20 




11 

3 
3 


11 

3 
3 


21 




6 
2 
1 


6 

2 
1 


22 




3 

3 

5 
2 


3 

3 

5 
2 


23 
24 




10 
4 

3 

2 


10 
4 

3 

2 


25 




5 

2 
1 


5 

2 
1 


26 
27 




3 

2 

3 


3 
2 

3 


Estado 


- 


660.193 


100,00 


— 55 


163 


163 



28 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DIVISÀO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 



II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
2. Termos 





Designação 


Comarcas a qae 
pertencem 


Á REA 


Divisa 


© 




N. de 
urdem 


Km.* 


% 


Municípios 


Distritos 








componentes 


ladicii- 
rios 


Adminis- 
trativos 


l 


Anápolis . . . , 


Anápolis 


2.800 


0,42 


Anápolis. . 


5 


5 


2 


Arraias . . . , 


Rio Paranã 


9.144 


1,39 


Arraias . . . - . 


3 


3 


3 


Bananeiras , 


Buriti Alegre 


1.400 


0,21 


Bananeiras . . . 


1 


1 


4 


Bela Vista . 


Bela Vista 


2376 


0,36 


Bela Vista 


1 


1 


5 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


36.248 


5,49 


Bôa Vista do Tocantins 


5 


5 


6 


Bonfim . . . ■ . 


Bonfim 


3.850 


0,58 


Bonfim . 


3 


3 


7 


Buriti Alegre 


Buriti Alegre 


864 


0,13 


Buriti Alegre. 


1 


1 


8 


Caldas Novas 


Morrinhos 


2.668 


0,40 


Caldas Novas ■ ■ . 


3 


3 


9 


Campo Formoso . 


Santa Cruz 


3.500 


0,53 


Campo Formoso . 


2 


2 


10 


Catalão . 


Catalão 


10.300 


1,56 


Catalão ... '. 


2 


2 


11 


Cavalcante . 


Rio Paranã 


15.500 


2,35 


Cavalcante . . . 


' 5 


5 


12 


Conceição do Norte . 


Natividade 


8.098 


1,23 


Conceição do Norte . 


1 


1 


13 


Corumbá 


Corumbá 
Corumbaíba 


4.427 


0,67 


Corumbá . . 


1 


1 


14 


Corumbaíba . 


3.800 


0,58 


Corumbaíba . . . 


2 


2 


15 


Couto Magalhães (1) . 


Bôa Vista do Tocantins 


32.546 


4,93 


Couto Magalhães . 


6 


6 


16 


Cristalina 


Santa Luzia 


6.730 


1,02 


Cristalina 


1 


1 


17 


Formosa. 


Formosa 


7.735 


1,17 


Formosa. 


2 


2 


18 


Goiandira 


Catalão 


2.500 


0,38 


Goiandira 


3 


3 


19 


Goiânia (Capital) . 


Goiânia 


9.648 


1,46 


Goiânia . . . 


6 


6 


20 


Goiaz . . . 


Goiaz 


40.286 


6,10 


Goiaz 




12 


12 


21 


Inhumas . . . . 


Rio das Pedras 


1.150 


0,17 


Inhumas 




1 


1 


22 


Ipamerí . 


Ipamerí 


7.309 


1,11 


Ipamerí 




4 


4 


23 


ítaberaí . 


Rio das Pedras 


2.600 


0,39 


ítaberaí 




2 


2 


'24 


Jaraguá . 


Rio das Almas 


5.287 


0,80 


Jaraguá 




3 


3 


25 


Jataí . 


Jataí 


26.777 


4,06 


Jataí 




4 


4 


26 


Mineiros . . 


Jataí 


20.358 


3,08 


Mineiros 




2 


2 


27 


Morrinhos 


Morrinhos 


3.388 


0,51 


Morrinhos . . . 


2 


2 



NOTA: — As denominações dos termos são comnns ás respectivas sedes, sempre que outra cansa não estiver indicada. 

(1) Sede : Santa Maria do Araguaia. ' • , 



SITUAÇÃO FÍSICA 



29 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 



II 



Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
2. Termos 





Designa ç 


Comarcas a tme 
ã o 

pertencem 


Á REA 


Divisa 


e 


N. de 
ordem 


Km.= 


% 


Municípios 


Distritos 








componentes 


Judicia 
rios 


• Adminis- 
trativos 


28 


Natividade 


. Natividade 


12.891 


1,95 


Natividade 


4 


4 


29 


Novo Herizonte 


. Goiaz 


3.005 


0,46 


Novo Horizonte 




2 


2 


30 


Palma . 


. Natividade 


7.282 


1,10 


Palma . 




3 


3 


31 


Palmeiras 


. Goiaz 


9.635 


1,46 


Palmeiras 




3 


3 


32 


Paraúna . 


. Goiaz 


4.100 


0,62 


Paraúna . 




1 


1 


33 


1 Pedro Aíonso 


• Alto Tocantins 


67.806 


10,27 


Pedro Afonso 




6 


6 


34 


Pilar 


. Goiaz 


36.613 


5,55 


Pilar 




2 


2 


35 


Pirenópolis . 


. Pirenópolis 


5.444 


0,83 


Pirenópolis 




2 


2 


36 


Planaltina 


. Formosa 


2.704 


0,41 


Planaltina 




1 


1 


37 


Porto Nacional 


■ Alto Tocantins 


86.077 


13,04 


Porto Nacional 




7 


7 


38 


Posse 


. Riachão 


4.335 


0,66 


Posse 




4 


4 


39 


Pouso Alto . 


. Pouso Alto 


3.000 


0,46 


Pouso Alto . 




2 


2 


40 


Rio Bonito 


. Torres do Rio Bonito 


15.425 


2,34 


Rio Bonito 




3 


3 


41 


Rio Verde 


. Rio Verde 


21.315 


3,23 


Rio Verde 




4 


4 


42 


Santa Cruz . 


. Santa Cruz 


5.270 


0,80 


Santa Cruz . 




3 


3 


43 


Santa Luzia . 


. Santa Luzia 


12.806 


1,94 


Santa Luzia . 




2 


2 


44 


Sta. Maria do Tagua 


tingaj Rio Paranã 


8.656 


1,31 


Sta. Maria do Taguatinga 


2 


2 


45 


Santana . 


. Rio das Almas 


18.000 


2,73 


Santana . 


3 


3 


46 


Sta. Rita do Paraná 


íba . Sta. Rita do Paranaíba 


12.760 


1,93 


Sta. Rita do Paranaíba 


2 


2 


47 . 


Sta. Rita do Ponta 


il . Morrinhos 


2.800 


0,42 


Sta. Rita do Pontal 


1 


1 


48 


Sta. Terezinha 


. Alto do Tocantins 


10.315 


1,56 


Sta. Terezinha 


2 


2 


49 


São Domingos 


. Riachão 


8.542 


1,29 


São Domingos 


4 


4 


50 


Sao João da Aliai 


iça . Formosa 


2.118 


0,32 


São João da Aliança . 


2 


2 


51 


São José do Duro 


. Natividade 


3.759 


0,57 


São José do Duro 


3 


3 


52 


São José do Toca 


ntins Corumbá 


11.893 


1,80 


São José do Tocantins 


4 


4 


53 


S. Vicente do Araç 


•uáia Bôa Vista do Tocantins 


2.100 


0,32 


S. Vicente do Araguaia 


4 


4 


54 


Sítio da Abadia 


. Riachão 


8.309 


1,26 


Sítio da Abadia . 


3 


3 


55 


Trindade 


. Goiânia 


1.944 


0,29 


Trindade 


1 


1 




Estado . 


■II - 


660.193 


100,00 


- 


163 


163 



30 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DIVISÀO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 



// — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
3. Municípios 



N°. de 


Designação 


Data da 
criação ou 


Circunscrições judiciárias 
a que pertencem 


ÁREA 


Distritos 












ordem 




restauração 


Termos 


Comarcas 


Km*- 


% 




1 


Anápolis 


15.9.887 


Anápolis 


Anápolis 


2.-800 


0,42 


1— Anápolis 
2— Aracatí 
3— Nerópolis 
4— Nova Veneza 
5— 8. Sebastião do Gapoeiráo 


2 


Arraias 


1.4.883 


Arraias 


Rio Paraná 


9.144 


1,39 


1— Arraias 
2— Chapéu 
3— Campos Belos 


3 


Bananeiras . 


21.1.931 


Bananeiras 


Buriti Alegre 


1.400 


0,21 


1 — Bananeiras 


4 


Bela Vista . 


5.6.896 


Bela Vista 


Bela Vista 


2.376 


0,36 


1— Bela Vista 


5 


Goa Visla do Tocantins ■ 


31.7.852 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


36.248 


5,49 


1 — Bôã Vista do Tocantins 
2— Filadélfia 
3— Nova Aurora do Coco 
4— Bôa Esperança 
5— Diamantina 


6 


Bonfim . 


18.6.833 


Bonfim 


Bonfim 


3.850 


0,58 


1— Bonfim 
2— Vianópolis 

3— Leopoldo de Bulhões 


7 


Buriti Alegre 


24.6.920 


Buriti Alegre 


Buriti Alegre 


864 


0,13 


1— Buriti Alegre 


8 


Caldas Novas . 


5.7.911 


Caldas Novas 


Morrinhos 


2.668 


0,40 


1— Caldas Novas 
2— Bôa Vista úo Marzanão 
3— São Sebastião do Sapé 


9 


Campo Formoso 


12.7.906 


Campo Formoso 


Santa Cruz 


| 3.500 


0,53 


1— Campo Formoso 
2— Ubatan 


10 


CatalSo 


1.4.833 


CatalSo 


Catalão 


10.300 

| 


1,56 


1— Catalão 

2— jtto. António do Bio Verde 


11 


Cavalcante . 


11.11.831 


Cavalcante 


Riachão 

- 


• 15.500 


2,35 


1— Cavalcante 
2— Veadeiros 
3— Nova Roma 
4 — Lages 
5— São Domingos 


12 


Conceição do Norte 


14.10.854 


Conceição do Norte 


Natividade 


! 8.098 


1,23 


1— Conceição do Norte 


13 


Corumbá . 


23.6.875 


Corumbá 


Corumbá 


! 4.427 


0,67 


1 — Corumbá 



I. As denominações dos municipios são comuns ás respectivas sedes, sempre que outra cousa não estiver indicada. 
!!. A nomenclatura distrital reíere-se simultaneamente ao quadro administrativo e indiciário. 



SITU AÇÃO FÍSICA 



31 — 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
3. Municípios 



N. de 


Designação 


Data da 
criação on 


Circunscrições judiciárias 
a que pertencem 


A' 


rea 


Distritos 












ordem 




restauração 


Termos 


Comarcas 


Km.= 


% 




!l 

14 ^Corumbaíba . . . 


12.7.905 


Corumbaíba 


Corumbaíba 


3.800 


0,58 


1 — Corumbaíba 

2 — Areão 


15 


Couto Magalhães . 
(Sede Santa Maria 
do Araguaia) 


26.7.919 


Couto Magalhãss 


3õa Vista do Tocantins 


32.546 


4,93 


1 — Santa Maria do 

Araguaia 
2 — Couto Magalhães 
3— Bela Vista 
4 — Salobro 
5 — Tabacão 
6 — São Domingos do 

Pau d 'Arco 


16 


Cristalina . . . . 


18.7.916 


Cristalina 


Santa Luzia 


6.730 


1,02 


1 — Cristalina 


17 


Formosa . . . . 


11.8.843 


Formosa 


Formosa. 


7.735 


1.17 


1 — Formosa 
2 — Santa Rosa 


18 


Goiandira . . . . 


6.3.931 


Goiandira 


Catalão 


2.500 


0,38 


1 — Goiandira 

2 — Cumarí 

3 — -Nova Aurora 


19 


Goiânia . . . . 


2.8.935 


Goiânia 


Goiânia 


9.648 


1,46 


1— Goiânia 

2 — Campinas 
3 — Aparecida 
4 — São Geraldo 
5 — Hidrolandia 

6—8. Sebastião do Ribeirão 


20 


Goiaz . . . . . 


11.2.736 


Goiaz 


Goiaz 


40.286 


6,10 


1 — Santana de Goiaz 

2 — Carmo 

3 — Davinópolis 

4 — Ourofino 

5— Barra 

6 — St a Rita d' Antas 

7 — Leopoldina 

8-8. José de Mossãmedes 
9— Registro do Araguaia 
io—8. José do Araguaia 

11 — Cachoeira 
12— Rio Claro 


21 


Inhumas . . . . 


19.1.931 


Inhumaa 


Rio das Pedras 


1.150 


0,17 


1— Inhumas 


22 


Ipamerí . . . . 


12.9.870 


Ipamerí 


Ipamerí 


7.309 


1.11 


1 — Ipamerí 

2 — Sl° António do Cavalheira 

3— Urutaí 

4— Campo Alegre 


23 


Itaberaí . . . . 


9.11.868 


Itaberaí 


Rio das Pedras 


2.600 


0,39 


1 — Itaberaí 

2 — Cruzeiro do Sul 



— 32 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
3. Municípios 



!•• de 


Designação 


Data da 
criação ou 


Circunscrições judiciárias 
a que pertencem 


ÁÍ2EA 


Distritos 












ardem 




restauração 


Termos 


Comarcas 


Km=- 


% 




24 


Jaraguá .... 


1.7.833 


Jaraguá 


Rio das Almas 


5.287 


0,80 


1— Jaraguá 

2 — Sao Franeiseo das Chagas 

3— Petrolina 


25 


Jataí 


29.7.882 


Jataí 


Jataí 


26.777 


4,06 


1— Jataí 

2— S- Francisco da Pimenta 

3— Cassú 

4— Serra do Calezal 


26 


Mineiros. . . 


24.5.905 


Mineiros 


Jataí 


20.358 


3,08 


1— Mineiros 
2— Sta. Rita do Aragnáia 


27 


Morrinhos . . . 


19.7.871 


Morrinhos 


Morrinhos 


3.388 


0,51 


1— Morrinhos 
2— Jardim da Luz 


28 


Natividade . . . 


1.4.833 


Natividade 


Natividade 


12.891 


1,95 


1— Natividade 
2— Entre Rios 
3— Santana da Chapada 
4— São Miguel e Almas 


29 


Novo Horizonte . 


7.6.911 


Novo Horizonte 


Goiaz 


3.0G5 


0,46 


1 — Novo Horizonte 
2— Nazário 


30 


Palma 


25.2.814 


Palma 


Natividade 


7.282 


1,10 


1— Palma 

2— São Joaquim 

3— Jatibá 


31 


Palmeiras . . . 


19.12.887 


Palmeiras 


Goiaz 


9.635 


1,46 


1— Palmeiras 
2— Alegrete 
3— Agua Limpa 


32 


Paraúna . ". . . 


10.11.934 


Paraúna 


Goiaz 


4.100 


0,62 


1 — Paraúna 


33 


Pedro Afonso . . 


25.7.898 


Pedro Afonso 


Alto Tocantins 


67.806 


10,27 


1— Pedro Afonso 
2— Santanópolis 
3— Tocantínia 
4— Barriguda 
5— Bôa Sorte 
6— Cangalha 


34 


Pilar 


11.11.831 


Pilar 


Goiaz 


36.613 


5,55 


1— Crixás 
2— Pilar 


35 


- 
Pirenópolis . . . 


10.7.832 


Pirenópolis 


Pirenópolis 


1 5.444 

i 


0,83 


1— Pirenópolis 
2 — N- 8. da Conceição 


36 


Planaltina . . . 


19.3.89Í 


Planaltina 


Formosa 


2.704 


0,41 


1— Planaltina 



SITUAÇÃO FÍSICA 



— 33 — 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
3. Municípios 



N. de 


Designação 


Data da 
criação ou 
restauração 


Circunscrições judiciárias 
a que pertencem 


A'rea 


Distritos . 


ordem 


Termos 


Comarcas 


Km.» 


% 


37 


Porto Nacional 


11.11.831 


Porto Nacional 


Alto Tocantins 


86.077 


13,04 


1— Porto Nacional 
2— Pedra de Amolar 
3— N.S. do Monte do Carmo 
4— N. 8. do RrejiÉo 
5— Bom Jesas da Ponta Alta 
6— Balisa 
7— Coco 




Posse .... 


19.7.872 


Posse 


Riachao 


4.335 


0,66 


1— Posse 
2— Boa Vista da Posss 
3— Riachão 
4— Iracema 


39 


Pouso ÀltO . . 


2.8.869 


Pouso Alto 


Pouso Alto 


3.000 


0,46 


1— Pouso Alto 
2—8. Sebastião do Atolador 


40 


Rio Bonito . . 


29.7.873 


Rio Bonito 


Torres do Rio Ronilo 


15.425 


2,34 


1— Rio Bonito 
2— Bom Jardim 
3— Balisa 


41 


Rio Verde . . 


6.11.854 


Rio Verde 


Rio Verde 


21.315 


2,23 


1— Rio Verde 
2— Chapadâo 
3— Cachoeira Alta 
4— Quirinópoli8 


42 


Santa Cruz . . 


1.4.833 


Santa Cruz 


Santa Cruz 


5.270 


0,80 


1— Pires do Rio 
2— Santa Cruz 
3— Cristianópolis 


43 


Santa Luzia . 


1.4.833 


Santa Luzia 


Santa Luzia 


12.806 


1,94 


1— Santa Luzia 
2— Brazlandia 


44 


81a. Maria do Taguatinga 


10.11.868 


81a. Maria do Taguatinga 


Rio Paranã 


8.656 


1,31 


l — Sta. Maria do Taplinga 
2— Aurora 


45 


Santana . . . 


4.7.931 


Santana 


Rio das Almas 


18.000 


2,73 


1— Santana 
2— Amaro Leite 
3— Descoberto 


46 


Sla. Rita do Paranaiba 


16.7.909 


81a. Rita do Paranaiba 


Sta- Rita do Paranaiba 


12.760 


1,93 


1— Sta, Rita do Paranaiba 
2— Divinópolis 



34 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DIVISÀO TERRiTORIAL-1936 (31-Xll) 



II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
3. Municípios 



N e . de 


Designação 


Data da 
criação on 


Circunscrições judiciárias 
a que pertencem 


ÁREA 


Distritos 












ordem 




restauração 


Termos 


Comarcas 


Km=- 


% 




47 St.» Rita do Pontal 


2.8.935 


Santa Rita do Pontal 


Morrinhos 


2.800 


0,42 


i— Santa Rita do Pontal 


48 jst.» Terezinha . . 


20.6.895 


Santa Terezinha 


Alto Tocantins 


10.315 


1,56 


1 — Santa Terezinha 
2— Santa União 


49 São Domingos . . 


14.10.854 


São Domingos 


Rio Paranã 


8.542 


1,29 


1 — São Domingos 
















2 — Mucambo 
















3— S. João do Balheíro 
















4 — Guarani 


50 


São João da Aliança 


8.8.884 


São loão da Aliança 


Formosa 


2.118 


0,32 


1— São loão da Aliança 

2— Forte 


51 


São José do Duro . 


26.8.884 


São José do Duro 


Natividade 


•3.759 


0,57 


1 — S- José do Duro 
2 — fissões 
3— Matão ' 


52 


S. José do Tocantins 


1.4.833 


S. losé do Tocantins 


Corumbá 


11.893 


1,80 


1— S. José" do Tocantins 

2— Mimoso 
3 — Muquem 
4— Traíras 


53 


São Vicente do Araguaia 


21.7.913 


8. Vicente do Araguaia 


Bôa Vista do Tocantins 


2.100 


0,32 


i—S. Vicente do Araguaia 

2 — Petrolina 
3 — Peneaúma 

4— 8!° António da Cachoeira 


54 


Sítio d' Abadia . . 


27.7.875 


Sitio d' Abadia 


Riachão 


8.309 


1,26 


1 — -Sitio d' Abadia 

2— Flores 

3 — Santa Catarina 


55 


Trindade . . . . 


16.7.920 


Trindade 


Goiânia 


1.944 


0,29 


1— Trindade 


II 
Estado . . . 






660.193 


100,00 


-.- 



SITUAÇÃO FÍSICA 



DIVISÀO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

II — Prontuário Geral da divisão judiciária e administrativa 
4. Distritos 



N. de 




Circunscrições superiores a que pertencem 




Categoria 


Desiçnaç 




Natureza 


da 

sede 


ordem 


Municípios 


Termos 


Comarcas 


1 


Agua Limpa 


. . Palmeiras 


Palmeiras 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


2 


Alegrete 


. . Padeiras 


Palmeiras 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


3 


Amaro Leite. 


. . Santana 


Santana . 


Rio das Almas 


Jud. e Adm. 


Pov. 


4 


Anápolis . 


. . Anápolis 


Anápolis 


Anápolis 


Jud. e Adm. 


Cid. 


5 


Aparecida . 


. . Goiânia 


Goiânia 


Goiânia 


Jud. e Adm. 


Pov. 


6 


Aracatí 


. . Anápolis 


Anápolis 


Anápolis 


Jud. e Adm. 


Pov. 


7 


Areião . . 


. . Corumbaíba 


Corumbaíba 


Corumbaíba 


Jud. e Adm. 


Pov. 


8 


Arraias . . 


. . Arraias 


Arraias 


Rio Paraná 


Jud. e Adm. 


Cid. 


9 


Aurora . . 


. . Sta. "Maria do Tapatinoa 


Sta. Maria do Tagnatinga 


Ria Paraná 


Jud. e Adm. 


Pov. 


10 


Balisa . . 


. . Porto Nacional 


Porto Nacional 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


11 


Balisa . . 


. . Rio Verde 


Rio Verde 


Rio Verde 


Jud. e Adm. 


Pov. 


12 


Bananeiras 


. . Bananeiras 


Bananeiras 


Buriti Alegre 


Jud. e Adm. 


Vila 


13 


Barra . . 


. . Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


14 


Barriguda . 


. . Pedro Afonso 


Pedro Afonso 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


15 


Bela Vista 


. . Bela Vista 


Bela Vista 


Bela Vista 


Jud. e Adm. 


Cid. 


16 


Bela Vista 


. . Couto Magalhães 


Couto Magalhães 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


17 


Bôa Esperanç 


i - -Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


18 


Bôa Sorte 


. . Pedro Afonso 


Pedro Afonso 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


19 


Bôa Vista do Marzag 


iO . . Caldas Novas 


Caldas Novas 


Morrinhos 


Jud. e Adm. 


Pov. 


20 


Bôa Vista da 


Posse Posse 


Posse 


Riachão 


Jud. e Adm. 


Pov. 


21 


Bôa Vista do Tocantio 


s . -Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Cid. 


22 


Bom Jardim 


. . Rio Bonito 


Rio Bonito 


Torres do Bio Branco 


Jud. e Adm. 


Pov. 


23 


Bom Jesns da Ponte 


Alta • Porto Nacional 


Porto Nacionai 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


24 


Bonfim . . 


. . Bonfim 


Bonfim 


Bonfim 


Jud. e Adm. 


Cid. 


25 


Braslândia 


. . Santa Luzia 


Santa Luzia 


Santa Luzia 


Jud. .e Adm. 

- 


Pov. 


26 


Buriti Alegre 


. . Buriti Alegre 


Buriti Alegre 


Buriti Alegre 


Jud. e Adm. 


Cid. 


27 


Cachoeira . 


. . iGoiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


28 


Cachoeira Alt 


i . . |Rio Verde 


Rio Verde 


Rio Verde 


Jud. e Adm. 


Pov. 


29 


Caldas Novas 


. .[Caldas Novas 


Caldas Novas 


Morrinhos 


Jud. e Adm. 


Cid. 



N0T1S 



-I Ao denominações dos distritos são comuns ás respectivas sedes, sempre que 
II Na penúltima coluna, as abreviações indicam a natureza "judiciária"e 



cousa não estiver indicada. 
de cada distrite. 



36 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



D1VISÀO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 



II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
4. Distritos 



N°. de 




Circunscrições superiores a 


ijue pertencem 




Categoria 




Designação 








Natureza 


da 










ordem 




Municípios 


Termos 


Comarcas 




sede 


30 


Campinas . . . 


Goiânia 


Goiânia 


Goiânia • 


Jud. e Adm. 


Pov. 


31 


Campo Alegre . 


Itapemerí 


Itapemerí 


Itapemerí 


Jud. e Adm. 


Pov. 


32 


Campo Formoso 


Campo Formoso 


Campo Formoso 


Santa Cruz 


Jud. e Adm. 


Cid. 


33 


Campos Belos . 


Arraias 


Arraias 


Rio Paranã 


Jud. e Adm. 


Pov. 


34 


Cangalha . . . 


Pedro Afonso 


Pedro Afonso 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


35 


Carmo .... 


Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


36 


Cassú . ." . . 


Jataí 


Jataí 


Jataí 


Jud. e Adm. 


Pov. 


37 


Catalão . . . 


Catalão 


Catalão 


Catalão 


Jud. e Adm. 


Cid. 


38 


Cavalcante . . 


Cavalcante 


Cavalcante 


Rio Paranã 


Jud. e Adm. 


Vila 


39 


Chapéu. . . . 


Arraias 


Arraias 


Rio Paranã 


Jud. e Adm. 


Pov. 


40 


Chapadão . . . 


Rio Verde 


Rio Verde 


Rio Verde- 


Jud. e Adm. 


Pov. 


41 


Coco .... 


Porto Nacional 


Porto Nacional 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


42 


Conceição do Norte 


Conceição do Norte 


Conceição do Norte 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Vila 


43 


Corumbá . . . 


Corumbá 


Corumbá 


Corumbá 


Jud. e Adm.. 


Cid. 


44 


Corumbaíba . . 


Corumbaíba 


Corumbaíba 


Corumbaíba 


Jud. e.Adm. 


Cid. 


45 


Couto Magalhães 


Couto Magalhães 


Couto Magalhães 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Vila 


46 


Cristalina . . . 


Cristalina 


Cristalina 


Santa Luzia 


Jud. e Adm.- 


Vila 


47 


Cristianópolis 


Santa Cruz 


Santa Cruz 


Santa Cruz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


48 


Crixás .... 


Pilar 


Pilar 


Pilar 


Jud. e Adm. 


Pov. 


49 


Cruzeiro do Sul 


Itaberaí 


Itaberaí 


Rio das Pedras 


Jud. e Adm. 


Pov. 


50 


Cumarí. . . . 


Goiandira 


Goiandira 


Catalão 


Jud. e Adm. 


Pov. 


51 


Davinópolis . . 


Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


' 52 


Descoberto . . 


Santana 


Santana 


Rio das Almas 


Jud. é Adm. 


Pov. 


53 


Diamantina . . 


Bôa Visia do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud: e Adm. 


Pov. 


, 54 


Divinópolis . . 


Sta. RitadoParanaiba 


Sta. Rita do Paranaiba 


Sta. Rita do Paranaiba 


Jud. e Adm. 


Pov. 


55 


Entre Rios . . 


Natividade 


Natividade 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Pov. 


56 


Flores .... 


Sítio d'Abadia 


Sítio d' Abadia 


Riachãp 


Jud. e Adm. 


Pov. 


57 


Formosa . . . 


Formosa 


Formosa 


Formosa 


Jud. e Adm. 


Cid. 


58 


Forte .... 


São João da Aliança 


São João da Aliança 


Formosa 


Jud. e Adm. 


Pov. 



SITUAÇÃO FÍSICA 



37 — 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
4. Distritos 



N°. de 




Circunscrições superiores a 


que pertencem 




Categoria 




Designação 








Natureza 


da 










árdom 




Municípios 


Termos 


Comarcas 




sede 


59 


Filadélfia . . . 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


60 


Goiandira . . . 


Goiandira 


Goiandira 


Catalão 


Jud. e Adm. 


Cid. 


61 


Goiânia . . . 


Goiânia 


Goiânia 


Goiânia 


Jud. e Adm. 


Cid. 


62 


Guarani . 


São Domingos 


São Domingos 


Rio Paranã 


Jud. e Adm. 


Pov. 


63 


Hidrolandia . . 


Goiânia 


Goiânia 


Goiânia 


Jud. e Adm. 


Pov. 


64 


Itabevaí ... 


Itaberaí 


Itaberaí 


Rio das Pedras 


Jud. e Adm. 


Cid. 


65 


Itapemerí . . . 


Itapemerí 


Itapemerí 


Itapemerí 


Jud. e Adm. 


Cid. 


66 


Inhunias . . . 


Inhumas 


Inhumas 


Rio das Pedras 


Jud. e Adm. 


Vila 


67 


Iracema . . . 


Posse 


Posse . . . 


Riachão 


Jud. e Adm. 


Pov. 


68 


Jaraguá . . . 


Jaraguá 


Jaraguá 


Rio das Almas 


Jud. e Adm. 


Cid. 


69 


Jardim da Luz . 


Morrinhos 


Morrinhos 


Morrinhos 


Jud. e Adm. 


Pov. 


70 


Jataí .... 


Jataí 


Jataí 


Jataí 


Jud. e Adm. 


Cid. 


71 


Jatobá .... 


Palma 


Palma 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Pov. 


72 


Lages .... 


Cavalcante 


Cavalcante 


Rio Paranã 


Jud. e Adm. 


Pov. 


73 


Leopoldina . . 


Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


74 


Leopoldo de Bulhões • 


Bonfim 


Bonfim 


Bonfim 


Jud. e Adm. 


Pov. 


75 


Mucambo . . . 


São Domingos 


São Domingos 


Rio Paranã 


Jud. e Adm. 


Pov. 


76 


Matão .... 


S. José do Duro 


S. José do Duro 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Pov. 


77 


Mimoso . . . 


8. José do Tocantins 


S. José do Tocantins 


Corumbá 


Jud. e Adm. 


Pov. 


78 


Mineiros . . . 


Mineiros 


Mineiros 


Jataí 


Jud. e Adm. 


Vila 


79 


Missões . . . 


S. José do Duro 
Morrinhos 


S. José do Duro 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Pov. 


80 


Morrinhos . . . 


Morrinhos 


Morrinhos 


Jud. e Adm. 


Cid. 


81 


Muquem . . . 


S. José do Tocantins 


8. José do Tocantins 


Corumbá 


Jud. e Adm. 


Pov. 


82 


Natividade . . 


Natividade 


Natividade 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Cid. 


83 


Nazário . . . 


Novo Horizonte 


Novo Horizonte 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


84 


Nerópolis . . . 


Anápolis 


Anápolis 


Anápolis 


Jud. e Adm. 


Pov. 


85 


Nossa Senhora do Brejinho 


Porto Nacional 


Porto Nacional 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


86 


Nossa Senhora da Conceição 


Pirenópolis 


Pirenópolis 


Pirenópolis 


Jud. e Adm. 


Pov. 


87 


Nossa Sr. do Monte do Carmo 


Porto Nacional 


Porto Nacional 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 



38 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 



II — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
4. Distritos 



N°. de 




Circui>scriçõe 


5 superiores a que pertencem 




Categoria 




Designação 






Natureza 


da 










ordem 




Municípios 


Temes 


Comarcas 




sede 


88 


Nova Aurora . . 


Goiandira 


Goiandira 


Catalão 


Jud. e Adm. 


Pov. 


89 


Nova Aurora do Coco 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


90 


Novo Horizonte . . 


Novo Horizonte 


Novo Horizonte 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Vila 


91 


Nova Roma . . . 


Cavalcante 


Cavalcante 


Rio Paraná 


Jud. e Adm. 


Pov. 


92 


Nova Veneza • . . 


Anápolis 


Anápolis 


Anápolis 


Jud. -e Adm. 


Pov. 


93 


Ourofino . ,. . . 


Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. é Adm. 


Pov. 


94 


Palma 


Palma 


Palma 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Cid. 


95 


Palmeiras . . . . 


Palmeiras 


Palmeiras 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Vila 


96 


Paraúna . . . . 


Paraúva 


Paraúva 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Vila 


97 


Pedra de Amolar . 


Porto Nacional 


Porto Nacional 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


98 


Pedro Afonso . . 


Pedro Afonso 


Pedro Afonso 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Vila 


99 


Pereaúma . 


8- Vicente do Araguaia 


8. Vicente do Araguaia 

Jaraguá 


Bôa Vista do Tocantins 

Jaraguá 


Jud. e Adm. 


Pov. 


100 


Petrolina . . . . 


Jaraguá 


Jud. e Adm. 


Pov. 


101 


Petrolina . 


8- Vicente do Araguaia 


8. Vicente do Araguaia 

Pilar • 


Bôa Vista do Araguaia 

Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


102 


Pilar ...... 


Pilar 


Jud. e Adm. 


Vila 


103 


Pires do Rio . . . 


iSanta Cruz 


Santa Cruz 


Santa Cruz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


104 


Pirenópolis . . . 


Pirenópolis 


Pirenópolis 


Pirenópolis 


Jud. e Adm. 


Cid. 


105 


Planaltina . . . . 


Planaltina 


Planaltina 


Formosa 


Jud. e Adm. 


Cid. 


106 


Porto Nacional . . 


Porto Nacional 


Porto Nacional 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Cid. 


107 


Posse ;'."'.'.. 


Posse 


Posse 


Riachão 


Jud. e Adm. 


Cid. 


108 


Pouso Alto . . . 


Pouso Alto 


Pouso Alto 


Pouso Alto 


Jud. e Adm. 


Cid. 


109 


Quirinópolis . . . 


Rio Verde 


Rio Verde 


Rio Verde 


Jud. e Adm. 


Pov. 


110 


Registro do Araguaia 


Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


111 


Riachão . . . . 


Posse 


Posse 


Posse 


Jud. e Adm. 


Pov. 


112 


Rio Bonito . . 


Rio Bonito 


Rio Bonito 


Torres do Rio Branco 


Jud. e Adm. 


Cid. 


113 


Rio Glaro . . . . 


iGoiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


114 


Rio Verde . . 


Rio Verde 


Rio Verde 


Rio Verde 


Jud. e Adm. 


Cid 


115 


Salobro . . . 


Couto Magalhães 


Couto Magalhães 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 












\ 





SITUAÇÃO FÍSICA 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

7/ — Prontuário geral da divisão judiciária e administrativa 
4. Distritos 



N. de 




Circunscrições superiores a que pertencem 




Categoria 


Designação 




Natureza 


da 










órdeni 




Municípios 


Termos 


Comarcas 




sede 


116 


Santana . . . 


Santana 


Santana 


Rio das Almas 


Jud. e Adm. 


Vila 


117 


Santanópolis . . . 


Pedro Afonso 


Pedro Afonso 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


118 


Santana da Chapada 


Natividade 


Natividade 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Pov. 


119 


Santana de Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Cid. 


120 


Santa Catarina 


Sitio d'Abadia 


Sitio d'Abadia 


Riachão 


Jud. e Adm. 


Pov. 


121 


Santa Cruz 


Santa Cruz 


Santa Cruz 


Santa Cruz 


Jud. e Adm. 


Cid. 


122 


Santa Luzia 


Santa Luzia 


Santa Luzia 


Santa Luzia 


Jud. e Adm. 


Cid. 


123 


Santa Maria do Tagnatinga 


SIa. Maria do Tagnatinga 


St". Maria de Tagnatinga 


Rio Paranã 


Jud. e Adm. 


Vila 


124 


Santa Maria do Araguaia (1) 


Couto Magalhães 


Couto Magalhães 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


125 


Santa Rita d' Antas 


Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


126 


St a Rita do Araguaia 


Mineiros 


Mineiros 


Jataí 


Jud. e Adm. 


Pov. 


127 


Santa Rita do Paranaiba 


Sta. Rita do Paranaiba 


Sta. Rita do Paranaiba 


Sta. Rita do Paranaiba 


Jud. e Adm. 


Cid. 


128 


St" Rita do Pontal 


Santa Rita do Pontal 


Sta. Rita do Pontal 


Morrinhos 


Jud. e Adm. 


Vila 


129 


Santa Rosa 


Formosa 


Formosa 


Formosa 


Jud. e Adm. 


Pov. 


130 


Santa Terezinha 


Santa Terezinha 


Santa Terezinha 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Vila 


131 


Santa União 


Santa Terezinha 


Santa Terezinha 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


132 


Santo António da Cachoeira 


S. Vicente do Arapáia 


8. Vicente do Araguaia 


Rôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


133 


Santo António do Cavalheiro 


Itapemerí 


Itapemerí 


Itapemerí 


Jud. e Adm. 


Pov. 


134 


Santo António do Rio Verde 


Catalão 


Catalão 


Catalão 


Jud. e Adm. 


Pov. 


135 


São Domingos 


Cavalcante 


Cavalcante 


Rio Paraná 


Jud. e Adm. 


Pov. 


136 


São Domingos 


São Domingos 


São Domingos 


Rio Paraná 


Jud. e Adm. 


Vila 


137 


São Domingos do Pau d'Arco 


Couto Magalhães 


Couto Magalhães 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


138 


São Francisco das Chagas 


Jaraguá 


Jaraguá 


Rio das Almas 


Jud. e Adm. 


Pov. 


139 


São Geraldo 


Goiânia 


Goiânia 


Goiânia 


Jud. e Adm. 


Pov. 


140 


São João da Aliança 


S. João da Aliança 


5. João da Aliança 


Formosa 


Jud. e Adm. 


Vila 


141 


S. João do Galheiro 


São Domingos 


São Domingos 


Rio Paraná 


Jud. e Adm. 


Pov. 


142 


São Joaquim 


Palma 


Palma 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Pov. 


143 


S. José do Araguaia 


Goiaz 


Goiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


144 


São José do Duro 


S. José do Duro 


S. José do Duro 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Vila 


145 


S. José de Mossamedes 


Goiaz 


Soiaz 


Goiaz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


146 


8. José do Tocantins 


S. José do Tocantins 


S. José do Tocantins 


Corumbá 


Jud. e Adm. 


Vila 


. 147 


São Miguel 


Natividade 


Natividade 


Natividade 


Jud. e Adm. 


Pov. 


148 


S. Sebastião do Atalador 


Pouso Alto 


Pouso Alto 


Pouso Alto 


Jud. e Adm. 


Pov. 


149 


S. Sebastião do Capoelrão 


Anápolis 


Anápolis 


Anápolis 


Jud. e Adm. 


Pov. 


150 


S. Sebastião da Pimenta 


Jataí 


Jataí 


Jataí 


Jud. e Adm. 


Pov. 


151 


S. Sebastião do Sapé 


Caldas Novas 


Caldas Novas 


Morrinhos 


Jud. e Adm. 


Pov. 


152 


5. Sebastião do Ribeirão 


Goiânia 


joiânia 


Goiânia 


Jud. e Adm. 


Pov. 


153 


S. Vicente do Araguaia 


S. Vicente do Araguaia 


S. Vicente do Araguaia 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Vila 


154 


Serra do Caporal 


Jataí 


Jataí 


Jataí 


Jud. e Adm. 


Pov. 


155 


Sitio d' Abadia 


Sitio d'Abadia 


Sitio d' Abadia 


Riachão 


Jud. e Adm. 


Vila 


156 


Taboão 


Couto Magalhães 


Douto Magalhães 


Bôa Vista do Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


157 


Tocantínia 


Pedro Afonso 


Pedro Afonso 


Alto Tocantins 


Jud. e Adm. 


Pov. 


158 


Traíras 


S. Tose do Tocantins 


i. José do Tocantins 


Corumbá 


Jud. e Adm. 


Pov. 


159 


Trindade 


Trindade 


Trindade 


Goiânia 


Jud. e Adm. 


Cid. 


160 


Ubatan 


Campo Formoso 


Campo Formoso 


Santa Cruz 


Jud. e Adm. 


Pov. 


161 


Urutaí 


Itapemerí 


[tapemerí 


[tapemerí 


Jud. e Adm. 


Pov. 


162 


Viadeiros 


Cavalcante 


Cavalcante 


Rio Paraná 


Jud. e Adm. 


Pov. 


163 


Vianópolis 


Bonfim 


Bonfim 


Bonfim 


Jud. e Adm. 


Pov. 



(1) Distrito da sede do município de Conto Magalhães. 



— 40 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DIVISÃO TERRITORIAL-1936 (31-XII) 

III — Distribuição numérica das circunscrições superiores, 
judiciárias e administrativas 

1. Comarcas 



Número 



COMARCAS EXISTENTES . 








27 


DISCRIMINAÇÃO : 


Compreendendo apenas 1 termo 
« 2 termos . 






10 
9 


Segundo o número de termos < 


3 

< 4 « 






6 

1 


abrangidos 


5 . : : 

« mais de 5 termos 
Compreendendo apenas 1 município 
« 2 municípios 






1 

10 
9 


Segundo o número de municípios 


«3c 






6 


abrangidos 


• 4 « 
« 5 « 






1 
1 




« mais de 5 municípios 




— 






Compreendendo apenas 1 distrito 




1 






« 2 distritos 






5 




Distritos 


3 






4 




judiciários 


« 4 * 

5 
« 6 a 10 distritos 






2 
5 

5 


Segundo o núme- 
ro de distritos < 




11 « 15 
k « ■ mais de 15 distritos 






4 
1 


abrangidos 




Compreendendo apenas 1 distrito 
« 2 distritos. 




• ' 


1 
5 




Distritos 


3 

4 «■'.'-.-■; 






4 




administrativos ' 






2 






« 5 « 






5 






« 6 a 10 distritos 






5 






11 «15' 




4 






« mais de 15 distritos . 




1 






Até 50 Knv 









De 51 a 100 Km* . 






— 






« ■■ 101 « 500 « 






— 






501* 1.000 « 






— 




Em números 


c 1.001 « 5.000 « 






7 




absolutos 


5.001 « 10.000 '« 

10.001 « 50.000 « 

« 50.001 « 100.000 « 

« 100.001 « 150.000 « 

« 150.001 « 200.000 « 






4 
13 
2 

1 ~ 


Segundo a área < 




« mais de 200.000 < 
Até 0,01 % . . . . 




i _ 






De 0,02 a 0,05 % 












Em números pro- 


0,05 < 10,10 « 












porcionais á área 


0,11 « 0,50 « 








; 4 




da respectiva 


0,51 c 1,00 « 








4 




Unidade Po- 


« 1,01 « 5,00 « 








14 




lítica 


5,01 « 10,00 « 
10,01 « 15,00 -c 
15,01 c 20,00 « 








2 
2 




> 


« .mais de 20,00 < \ . . . . 


1 ■ J 



SITUAÇÃO FÍSICA 



— 41 — 



DIVISÃO TERRITORIAL - 1936 (31-XII) 

III— Distribuição numérica das circunscrições superiores, 
judiciárias e administrativas 







2. Termos 










E s p e 


cificação 


1 Numera 


TERMOS EXISTENTES . | „ 


DISCRIMINAÇÃO : 

Segundo o número de municípios 
abrangidos 


( Compreendendo apenas l^município 

4 2 municípios 
\ « 3 « . . 
) . 4 « 

> 5 « 




55 




l l mais de 5 municípios 




1 - 






Compreendendo apenas 1 distrito 
« 2 distritos , 






16 




Distritos judi- 
ciários 


4 
5 






12 
8 
3 

1 4 
1 

11 
16 


Segundo o núme- 
ro de distritos 
abrangidos 




« 6 a 10 distritos 

« 11 < 15 

' mais de 15 « . 

Compreendendo apenas 1 distrito 
« 2 distritos 








Distritos admi- 
nistrativos 


« -4 t 

5 






12 
8 
3 
4 
1 






« 6 a 10 distritos 

« 11 < 15 

» mais de 15 € 








Em números 
absoluto» 


Até 50 Km= 

De 51 a 100 Km* 

101 » 500 « 

501 « 1.000 « 

1.001 « 5.000 « 

5.001 « 10.000 « 

« 10.001 < 50.000 « 

50.001 « 100.000 < 

100.001 « 150.000 « 

150.001 « 200.000 « 

« mais de 200.000 « 








1 
22 
14 
16 

2 


Segundo a área . 










Em números 
proporcionais 
á área da res- 
pectiva Unida- 
de Política 


Até 0,01 % • 

De 0,02 a 0,05 % ] 

c 0,06 « 0,10 < 

0,11 « 0,50 €..-■.. 
< 0,51 « 1,00 ..... 

1,01 « 5,00 < . 

« 5,01 « 10,00 « 

« 10,01 « 15,00 « 

« 15,01 « 20,00 « 

« mais de 20 % . 


15 
11 
24 
3 
2 




Il 



— 42 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DIVISÃO TERRSTOsiAL-1936 (31-XII) 

III — Distribuição numérica das circunscrições superiores, 
judiciárias e administrativas 







3. Municípios 








Especificação 


Número 


MUNICFPIOS EXISTENTES . . . • ,. . . 


55 


DISCRIMINAÇÃO: 








Compreendendo apenas 1 distrito 
« 2 distritos 






11 

ie 




Distritos 


3 

« 4 « 






12 

8 




judiciárioi ' 


« 5 

c 6 a 10 distritos 
11 « 15 






3 

4 
1 


Segundo o núme- 
ro de distritos <j 




■« mais de 15 ditristos 






" 


abrangidos 




Compreendendo apenas 1 distrito 
« 2 distritos. 






li 
16 




Distritos 


3 « . 






12 
8 




administrativos ■ 


5 
« 6 a 10 distritos 

11 < 15 
« mais de 15 distritos 




' ; 


3 

4 

1 







Até 


50 Km» 


















De 


51 a 100 Km« 






|| . — 






« 


101 « 500 c . 
501 « 1.000 « 






11 7 




Em números 
absolutos 


\ 


1.001 « 5.000 « 
5.001 « 10.000 « 
10.001 « 50.000 * ■ 






22 

; 14 

!, 16 






! 


50,001 « 100.000 < 
100.001 « 150.000 < 
150.001 « 200.000 « 
mais de 200.000 « 






í 2 


Segundo a área 












í Até 


0,01 % -. . . . '.'•' . . 1 






De 


0,02 a 0,05 % 










1 — 




Em números pro- 


« 


0,06 « 0,10 « 












| - 




porcionais á área 


c 


0,11 « 0,50 « 












15 




da respectiva 


« 


0,51 « 1,00 « 












11 




Unidade Po- 


« 


1,01 « 5,00 « 












24 




lítica 


r 


5,01 « 10,00 « 
10,01 t 15,00 « 
15,01 « 20,00 « 
mais de 20,00 < 












3 

2 








II ', 



Situação Semagráfica 



SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA 



— 45 — 



ESTADO DA POPULAÇÃO 



/ — Principais dados demográficos do Estado, segundo os 
recenseamentos gerais 





f i c a ç ã o 


Resultados censitários 


E s p e c i 














1 8 7 2 


18 9» 


1900 


I92C 


Totais ........: 


160.395 
80.340 


227.572 
112.583 


255.284 
127.822 


511.919 




Homens 


259.538 


Segundo o sexo * 














Mulheres . . 


80.055 


114.989 


127,462 


252.381 




Solteiros 


111.395 


154.797 


174.361 


357.539 


Segundo o estado civil 


Casados 


41.992 


61.420 


68.048 


131.051 




Viúvos 


7.008 


11.355 


12.875 


23.329 




'Nacionais . 


160.028 


227.510 


253.435 


509.840 


Segundo a nacionalidade < 














Estrangeiros 


367 


62 


1.849 


2.079 




De menos de 1 ano . 


5.483 


5.044 


8.671 


13.068 




« 1 ano . 


3.156 


5.676 


7.422 


13.230 




c 2 anos . 


3.610 


6.511 


7.269 


17.589 




« 3 « . 


3.873 


6.539 


7.439 


16.890 




« 4 « . 


4.140 


6.711 


7.271 


16.467 




« 5 a 9 anos . 


23.068 


32.340 


37.270 


77.051 






18.559 


29.868 


29.647 


67.295 




«c 15 a 29 « 


51.278 


64.581 


75.853 


145.973 


Segundo a idade < 


« 30 a 39 « 


20.323 


29.902 


31.446 


60.978 




« 40 a 49 « 


12.272 


19.306 


20.639 


41.472 




« 50 a 59 « 


7.186 


11.151 


11.704 


22.138 




« 60 a 69 « 


3.686 


5.976 


5.264 


11.330 




« 70 a 79 « 


1.913 


2.187 


2.178 


3.951 




c 80 a 89 « 


991 


936 


744 


1.489 




« 90 a 99 « 


520 


269 


275 


428 




« 100 a mais anos . 


186 


117 


66 


110 




« idade ignorada . 


151 


458 


2.128 


2.460 




Sabendo ler e escrever 


22.663 


24.904 


55.562 


78.530 


Segundo o grau de 












instrução 


Não sabendo ler nem 
escrever . 

Produção, transformação, 


137.732 


202.668 


199.722 


433.389 




circulação e distrbuição 
da riqueza 


84.766 


- 


110.236 


142.570 


Segundo as profissões 


Administração e profis- 
sões liberais 


1.397 


_ 


1.027 


2.829 




Outras categorias 


74.232 


- 


144.021 


366.520 


Segundo os defeitos 


'Cegos .... 


414 


- 


238 


670 


físicos 


Surdos-mudos 


724 


— 


305 


2.767 



4b 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



ESTADO DA POPULAÇÃO 



II — Principais dados demográficos do município da Capital, 
segundo os recenseamentos gerais. 





ficação 


Resultados censitários 


E s p e c i 














1 8 7 2 


1 8 9 o 


l9.ee 


1 9 2 o 


Totais ........: 


19.159 

9.859 


17.181 
8.890 


13.475 
6.474 


21.223 




["Homens 


10.494 


Segundo o sexo 










l_ Mulheres . . 


9.300 


8.291 


7.001 


10.729 


■ 


'Solteiros 


13.287 


11.433 


.— 


. 14.579 


Segundo o estado civil < 


\ Casados ... 


5.039 


4.640 


- 


5.331 


,' 


^ Viúvos ■ ... 


833 


1.108 


. - 


1.313 




fNacionais . 


19.097 


17.156 


_ 


21.009 


Segundo a nacionalidade < 


1 












[Estrangeiros 


62 


25 


— 


214 




De menos de 1 ano . 


1.048 


420 


- 


527 




« 1 ano . .. . 


279 


349 


-— 


463 




« 2 anos . 


328 


422 


— 


686 




« 3 « . 


338 


. 429 


— 


631 




c 4 c . . . . 


429 


432 


— • 


625 




.« 5 a 9 anos . 


2.158 


2.164 


— 


2.980 




« 10 a 14 anos 


2.009 


2.034 


— ' 


2.586 




« 15 a 29 « 


6.481 


4.819 


— 


6.412 


Segundo a idade 


« 30 a 39 « 


2.400 


2.577 


— 


2.506 




« 40 a 49 « 


1.534 ' 


1.756 


— 


1.838 




« 50 a 59 « 


956 


1.019 


: — ■ 


1.059 




« 60 a 69 « • ■ 


535 . 


477 


— 


558 




« 70 a 79 « 


302 


166 


— 


212 




« 80 a 89 « 


203 


78 


— 


69 




« 90 a 99 « . . 


116 


24 


— 


19 




« 100 a mais anos . 


37 


4 


— 


6 




« idade ignorada . 


6 


11 


— ' 


46 


' 


Sabendo ler e escrever 


3.476 


3.647 


— 


5,691 


Segundo o grau de 










instrução 


Não sabendo ler nem 
escrever . . . 












15.683 


13.534 




15.532 




Produção, transformação, 












circulação e distribuição 








4.731 




da riqueza 


• — 


— 




Segundo as profissões 


Administração e profis- 












sões liberais 


— 


— 


— 


797 


*' 


Outras categorias 


- 


..'.'-' 


— 


15.695 


Segundo os defeitos 


'Cegos. 


- 


- 


- 


23 


físicos 


Surdos-mudos 


— 


— 


— 


138 



SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA 



47 



ESTADO DA POPULAÇÃO 



III — População do Estado e do município da Capital, e taxas de 
crescimento, segundo os recenseamentos gerais 



Especificação 


Dados numéricos 


Do Estado 


. Da Capital 


í 1872 

„ , , 1890 . . . ..... 

População recenseada -í 

j 1900 

[ 1920 

r 1872 a 1890 

Crescimento médio J m t m " 

anual | 

t 1900 « 1920 


160.395 
227.572 
255.284 
511.919 

0,0196 
0,0116 
0,0360 


19.159 

17.181 
13.475 
21.223 

0,0234 



IV — Arrolamento predial e domiciliário do Estado e do Município 
da Capital, segundo os recenseamentos gerais 





E s p c c i 










Dados numéricos 






Do Estado 


Da Capital 


Censo de 1872 


/ Números 
l absolutos 

1 Números 


í Prédios . 
( Domicílios 

( Densidade predial . 








25.683 
25.222 

6,25 


2.944 
2.891 

6,51 




! relativos 


( Densidade domiciliária 








6,36 


6,63 


Censo de 1900 


Números 
l absolutos 

f Números 

l relativos 


í Prédios . 
( Domicílios 

í Densidade predial . 
( Densidade domiciliária 








47.033 
46.338 

5,43 
5,51 


- 


Censo de 1920 


j Números 
l absolutos 

1 Números 

1 relativos 


r Prédios . 
^ Domicílios 

í Densidade predial . 
^ Densidade domiciliária 








70.939 
68.752 

7,22 
7,45 


3.872 
3.271 

5,48 
6,49 



NOTA — Não foram divulgados os algarismos do censo de 1900 relativos á Capital, nem os do censo 
de 1890, quer quanto á Capital, quer quanto ao Estado. 



48 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



ESTADO DA POPULAÇÃO 

V— População recenseada em 1920 no Estado, segundo a presença e a 
residência (Efetivos "de fato" e "de direito") 



Especificação 



numéricos 



Especificação 



numéricos 



POPULAÇÃO DE FATO OU PRESENTE 



População presente no Estado 
nele residente 

População presente no Estado 
nele não residente ....... 



Da qual : 



Residente 

no 

Brasil 



No Distrito Federal 
Em Alagoas . . 
No Amazonas 
Na Baía . 
No Ceará . . . 
No Espirito Santo 
No Maranhão 
Em Mato Grosso 
Em Minas Gerais 
No Pará . . . 
Na Paraíba . . 



510.607 
1.312 

19 

2 

3 

631 

7 

1 

132 

23 

342 



Residente 



Brasil 
(Conclusão) 



Residente 
fora do 
Brasil 



No Paraná .... 
Em Pernambuco . . . 
No Piauí . . . . . 
No Rio de Janeiro . . 
No Rio Grande do Norte 
No Rio Grande do Sul 
Em Santa Catarina . . 
Em São Paulo - . . . 
Em Sergipe . . . : 
No Território do Acre 
Soma .... 



Na América 
Na A'sia . 
Na -Europa 



Em países não especific. 



Total da população de fato 



POPULAÇÃO DE DIREITO OU RESIDENTE 



População residente no Estado e 
nele presente 

População residente no Estado 
mas dele ausente 



Da qual : 



Presente 

no 

Brasil 



No Distrito Federal 
Em Alagoas . . 
No Amazonas . . 
Na Baía . . . 
No Ceará . . . 
No Espírito Santo 
No Maranhão . . 
Em Mato Grosso 
Em Minas Gerais 
No Pará . . . 
Na Paraíba . . 



510.607 
766 



34 
59 
82 
171 
139 
11 





No Paraná ..... 


30 




Em Pernambuco ... 


1 




No Piauí 


5 


Presente 


No Rio de Janeiro . . 
No Rio Grande do Norte 


17 
2 




No Rio Grande do Sul 


— 


(Conclusão) 


Em Santa Catarina . . 
Em São Paulo . . . 


3 

102 




Em Sergipe .... 
No Território do Acre 


1 




l Soma .... 


763 




Na América .... 


— 


Ausente 
do 


Na A'sia- . ... . . 

Na Europa , . : . 


3 


Brasil 


Em países não especific. 


— 




Soma .... 


3 


Total da 


população de direito . . 


511.373 



SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA 



— 49 



ESTADO DA POPULAÇÃO 

VI — População natural do Estado e recenseada em 1920 no Distrito Federal 













H À È 


I T 


ANTE 


S 








Idade 


Solteiros 


(D 


Casados 


Viúvos 


Total 




Homens 


Mulheres 


Soma 


Homens 


Mulheres 


Soma 


Homens 


Mulheres 


Soma 


Homens 


Mulheres 


Soma 


Dia 


























Môses 


l 


- 


í 














i 


- 


í 




V . . | 


1 


i 


2 














1 


í 


2 




2 . ... 


l 


1 


2 














i 


í 


2 




3 . . . 


2 


— 


2 














2 


- 


2 




4 . . . 


2 


- 


2 














2 


- 


2 




5 . . . 


- 


A 


4 
















4 


4 




6 . . . 


5 


2 


7 














5 


2 


7 




7 . . . 


2 


4 


6 














2 


4 


6 




8 "... . ; 


9 


3 


12 














9 


3 


12 




9 . . . 


3 


- 


3 














3 


- 


3 




10 a 14 . 


10 


17 


27 














1 io 


17 


27 


Anos/ 


15 . . . 

16 a 20 . 


1 
35 


2 

14 


3 

49 




í 


í 


: 





_ 


1 

{ 35 


2 

15 


3 

50 




21 . . . 


10 


5 


15 


- 


í 


í 


- 


- 


- 


1 10 


6 


16 




22 a 29 . 


40 


13 


53 


7 


10 


17 


- 


2 


2 


í 47 


25 


72 




30 < 39 . 


8 


16 


24 


26 


18 


44 


3 


6 


9 


j 37 


40 


77 




40 < 49 . 


7 


10 


17 


27 


22 


49 


2 


7 


9 


| 36 


39 


75 




50 c 59 . 


2 


6 


8 


17 


7 


24 


3 


10 


13 


j 22 


23 


45 




60 « 69 . 


— 


2 


2 


12 


3 


15 


3 


7 


10 


1 15 


12 


27 




70 < 79 . 














1 


2 


3 


■ 1 


2 


3 




80 c 89 . 


- 


- 


- 


1 


- 


1 


- 


- 


— 


j 1 


— 


1 




90 « 99 . 


- 


1 


1 


- 


- 


- 


- 


- 


— 


■ ~ 


1 


1 




b 100 e + 




















1 — 






Ignorada . . . 


- 


1 


1 














í 


1 


1 


TOTAL . 


139 


102 


241 


90 


62 


152 


12 


34 


46 


241 


198 


439 



(1) Inclusive os de estado civil ignorado. 



— 50 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



ESTADO DA POPULAÇÃO 

VII— Estimativa da população do Estado em 31 de Dezembro de 1936 
1. População, segundo as zonas fisiográficas 





POPULAÇÃO (ESTIMATIVA) 


Zonas fisiográficas 


POPULAÇÃO (ESTIMATIVA) 


Zenas fisiográficas 


Absoluta 


Relativa 


Absoluta 


Relativa 




Por km» 


% 


Por km* 


% 


I — Norte 

11— Planalto . . . . 


227.225 
117.141 
143.573 


l 

2 
2 


30,06 
15,49 

18,99 


IV— Sul ....... 

V— Sudoeste . . . . 

Total 


202.709 
65.382 


3 
1 


26,81 
8,65 


m— Centro 


756.030 


1 


100,00 





2. População segundo as comarcas 










POPDLAÇÃO (ESTIMATIVA) 


Comarcas 


POPULAÇÃO (ESTIMATIVA) 


Comarcas 


Absoluta 


Relativa 


Absoluta 


Relativa 




Por km* 


% i 


Por km» 


% 


i Alto Tocantins (sede Forto Racional) 


39.920 


0,2 


5,23 


15 Morrinhos . . . . 


42.466 


5 


5,62 


2 Anápolis 


23.375 


8 


3,09 


16 Natividade . . . . 


29.750 


0,9 


3,94 


3 Bela Vista 


6.727 


3 


0,89 


17 Pirenópolis .... 


12.055 


2 


1,59 


4 Bôa Vista do Tocantins 


56.698 


0,8 


7,76 


18. Pouso Alto 


19.617 


7 


2,59 


5 Bonfim 


15.566 


4. 


2,06 


19 Riachão (sede Posse) 


36.475 


2 


4,83 


6 Buriti Alegre .... 


12.928 


6 


1.71 


20 Rio das Almas (sede Jaraguá) ■ 


35.748 


2 


4,73 


7 Catalão ....... 


36.169 


3 


4,79 


21 Rio das Pedras (sede Itaberaí) 


23.352 


6 


3,09 


8 Corumbá 


21.419 


1,3 


2,83 


22 Rio Paraná (sede Arraias) . . 


31.790 


0,9 


4,21 


9 Corumbaíba .... 


19.316 


5 


2,55 


23 Rio Verde .... 


26.403 


1,2 


3,49 


10 Formosa 


24.922 


2 


3,30 


24 Santa Cruz .... 


31.377 


4 


4,15 


11 Goiânia (Capital) . . 


26.586 


2 


3,52 


25 Santa Luzia .... 


20.732 


1,1 


2,74 


12 Goiaz 


80.954 


0,9 


10,70 


26 Sta. Rita do Paranaíba 


21.342 


2 


2,82 


13 Ipamerí 


19.764 
26.855 


3 

0,6 


2,61 
3,55 


27 Torres do Rio Bonito (sede R. Bonito) 

Estado . . . 


12.124 


0,8 


1,60 


14 Jataí . 


756.030 


1,1 


100,00 



NOTA — As denominações das comarcas são comuns ás respectivas sedes, sempre que 
o-itra cousa não estiver indicada entre parêntesis. 



SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA 



— 51 — 



ESTADO DA POPULAÇÃO 

VII— Estimativa da população do Estado em 31 de Dezembro de 1936 
3. População segundo os termos 





POPULAÇÃO (ESTIMATIVA) 






POPULAÇÃO (ESTIMATIVA) 


Termos 


Absoluta 


Relativa 


Termos 


Absoluta 


Relativa 




Por Knu 


% 


Por Km* 


% 


1 Anápolis 


23.375 


8 


3,09 


29 Novo Horizonte . . 


8.629 


3 


1,14 




12.783 


1.4 


1,69 


30 Palma. . . . 




6.743 


0,9 


0,89 


3 Bananeiras .... 


8.019 


6 


1,06 


31 Palmeiras . . 




10.810 


1,1 


1,43 


4 Bela Vista .... 


0.727 


3 


0,89 


32 Paraúna . . . 




12.604 


3 


1,67 


5 Bôa Vista do Tocantins 


30.830 


0,8 


4,08 


33 Pedro Afonso . 




18.287 


0,2 


2,42 




15.566 


4 


2,06 


34 Pilar .... 




17.963 


0,4 


2,38 


7 Buriti Alegre . . . 


4.909 


6 


0,65 


35 Pirenópolis . . 




12.055 


2 


1,59 


8 Caldas Novas . . . 


10.709 


4 


1,42 


36 Planaltina . . 




6.913 


3 


0,91 


9 Campo Formoso . . 


11.852 


3 


1,57 


37 Porto Nacional 




14.792 


0,1 


1,96 


10 Catalão 


28.703 


3 


3,80 






12.937 


3 


1,71 


11 Cavalcante .... 


6.418 


0,4 


0,85 


39 Pouso Alto . . 




19.617 


7 


2,60 


12 Conceição do Norte . 


4.748 


0,6 


0,63 


40 Rio Bonito . . 




12.124 


0,8 


1,60 


13 Corumbá 


14.073 


3 


1,86 


41 Rio Verde . . 




26.403 


1,2 


3,49 


14 Corumbaíba .... 


19.316 


5 


2,55 


42 Santa Cruz . . 




19.525 


4 


2,58 


15 Couto Magalhães (1) 


14.939 


0,4 


1,98 


43 Santa Luzia . 




16.393 


1,3 


2,17 


16 Cristalina .... 


4.339 


0,6 


0,57 


44 Sf.MariadoTaguatinga 


12.589 


1,5 


1,67 




12.875 


2 


1,70 




12.101 


0,7 


1,60 


18 Goiandira ... . . 


7.466 


3 


0,99 


46 St a . Rita do Parahaíba 


21.342 


2 


2,82 


19 Goiânia (Capital) . 


18.970 


2 


2,51 


47 St". Rita do Pontal . 


11.831 


4 


1,56 


20 Goiaz 


30.948 


0,8 


4,09 


48 Santa Terezinha . . 


6.441 


0,6 


0,85 


21 Inhumas 


7.114 


6 


0,94 


49 São Domingos. . . 


13.872 


2 


1,83 


22 Ipamerí 


19.764 


3 


2,62 


50 S. João da Aliança . 


5.134 


2 


0,68 


23 Itaberaí 


16.238 


6 


2,15 


51 S. José do Duro . . 


4.727 


1,3 


0,63 


24 Jaraguá 


23.917 


5 


3,16 


52 S. José do Tocantins 


7.346 


0,6 


0,97 


25 Jataí ...... 


17.421 


0,6 


2,30 


53 S. Vicente do Araguaia 


12.9.29 


6 


1,71 


26 Mineiros .... 


9.434 


0,4 


1,25 


54 Sítio d' Abadia . . 


9.666 


1,2 


1,28 




19.656 
13.532 


6 

1 


2,60 
1,79 




7.616 


4 


1,01 








28 Natividade .... 


Estado . . 




756.030 


1,1 


100,00 



NOTA — As denominações dos termos são comuns ás respectivas sedes, sempre que outra cousa nâo 
estiver indicada. 

(1) Sede: Santa Maria do Araguaia. 



— 52 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



ESTADO DA POPULAÇÃO 



VII— Estimativa da população do Estado em 31 de Dezembro de 1936 
4. População segundo os municípios 



Municípios 



P0PDLA(Ã0 (ESTIMATIVA) 



Absoluta 



Relativa 



Municípios 



POPULAÇÃO (ESTIMATIVA) 



Absoluta 



Relativa 



Par Km 



Anápolis . 

Arraias 

Bananeiras 

Bela Vista 

Bôa Vista do Tocantins 

Bonfim . . . 

Buriti Alegre . 

Caldas Novas . 

Campo Formoso 

Catalão . 

Cavalcante 

Conceição do Norte 

Corumbá. 

Corumbaíba . 

Couto Magalhã 

Cristalina 

Formosa . 

Goiandira 

Goiânia 

Goiaz . 

Inhumas 

Ipamerí 

Itaberaí 

Jaraguá 

Jataí . 

Mineiros 

Morrinhos 

Natividade 



(D 



23.375 
12.783 

8.019 

6.727 
30.830 
15.566 

4.909 
10.709 
11.852 
28.703 

6.418 

4.748 
14.073 
19.316 
14.939 

4.339 
12.875 

7.466 
18.970 
30.948 

7.114 
19.764 
16.238 
23.917 
17.421 

9.434 
19.656 
13.532 



3,09 
1,69 
1,06 
0,89 
4,08 
2,06 
0,65 
1,42 
1,57 
3,80 
0,85 
0,63 
1,86 
2,55 
1,98 
0,57 
1,70 
0,99 
2,51 
4,09 
0,94 
2,62 
2,15 
3,16 
2,30 
1,25 
2,60 
1,79 



Novo Horizonte 
Palma. . . 
Palmeiras 
Paraúna . . 
Pedro Afonso 
Pilar . . . 
Pirenópolis . 
Planaltina . 
Porto Nacional 



Pouso Alto . 
Rio Bonito . 
Rio Verde . 
Santa Cruz . 
Santa Luzia 
Sf.Maria do Taguatinga 
Santana . 
St a . Rita do Paranaíba 
St*. Rita do Pontal . 
Santa Terezinha-. 
São Domingos. . 
S. João da Aliança 
S. José do Duro . 
S. José do Tocantins 
S. Vicente do Araguaia 
Sítio d' Abadia . . 
Trindade . . . . 

TOTAL . . 



8.629 

6.743 
10.810 
12.604 
18.287 
17.963 
12.055 
6.913 
14.792 
12.937 
19.617 
12.124 
26.403 
19.525 
16.393 
12.589 
12.101 
21.342 
11.831 
6.441 
13.872 
5.134, 
4.727 
7.346 
12.929 
9.666 
7.616 



1,14 

L43 
1,67 
2,42 
2,38 
1,59 
0,91 
1,96 
1,71 
2,60 
1,60 
3,49 
2,58 
2,17 
1,67 
1,60 
2,82 
1,56 
0,85 
1,83 
0,68 
0,63 
0,97 
1,71 
1,28 
1,01 



NOTA — As denominações dos termos são comuns ás respectivas sedes, sempre que oiitra cousa 
estiver indicada. 

(1) Sede: Santa Maria do Araguaia. 



VIII — População do Estado e do Município da Capital em 31 de Dezembro 

de 1936, e seu confronto com as médias dos efetivos demográficos 

das circunscrições administrativas e judiciárias 



Especificação 


Dados numéricos 


Absolutos 


% 


População / Do Estado 


756.030 
18.970 

13.746 
4.638 

28.001 
13.746 
4.638 


100,00 
2,51 


í Na divisão / Dos municípios 

1 administrativa \ Dos Distritos 

População 1 

média 1 %T ,. . - í Das comarcas . 

Na divisão \ D 


1,82 
1,61 

3,70 
1,82 


1 radicaria \ Dos distrit0 s . . . 


0,61 







% 



s. 



m 



SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA 



-53- 



IX 



ESTADO DA POPULAÇÃO 

Distribuição numérica das Comarcas, Termos e Municípios segundo 
seus efetivos demográficos em 31 de Dezembro de 1936 



E 


specificação 


Distribuição nu 


mérica 












Comarcas 


Termos 


. Municípios 


Número total . . 


27 


55 


55 


D i s c r i m 


i n a ç ã o : 










Até 2.500 hab. . . ' . 


_ 


— 


_ 




De 2.501 a 5.000 . 






— 


4 


4 




5.001 « 10.000 . 






1 


14 


14 




10.001 « 25.000 . 






13 


33 


33 




25.001 « 50.000 . 






11 


4 


4 


Segundo a popula- 


50.001 « 75.000 . 






1 


— 


— 


ção absoluta 


75.001 « 100.000 . 






1 


— - 


— 




100.001 « 250.000 . 






— 


— 


— 




250.001 « 500.000 . 






— 


— 


— 




500.001 « 750.000 . 






— 


— 


— 




750.001 « 1.000.000 . 






— 


— 


— 




« 1.000.001 e mais hab. . 






— 


— 


— 




Menos de 1 hab. por km= . 






7 


16 


16 




De 1 a 3 hab. por km= 






9 


14 


14 




3 « 6 i c c . 






7 


17 


17 




6 « 10 « 






4 


8 


8 




« 10 « 15 « « c . 






— 


— 


— 


Segundo a densidade ( 


< 15< 20 « 






— 


— 


— 


demográfica 


« 20 « 30 « 






— 


— 


— 




« 30 « 50 « 






— - 


— 


— 




^ 50 « 100 « 






— 


— 


— 




« 100 « 300 « 






— 


— 


— 




« 300 « 600 « 






— 


— 


— 




« mais de 600 « « « 






~ 


— 


— 




Até 0,1% do total 






— 


— 


— 




De 0,1 a 0,5% do total . 






— 


— 


— 




« 0,5 c 1,0% « « . 






1 


13 


13 




1,0 « 2,0% « « . 






3 


23 


23 




', « 2,0 « 3,0% « « . 






■ 7 


13 


13 


Segundo a propor- 
cionalidade per- < 


3,0 * 4,0% « « . 






7 


4 


4 


centual 


« 4,0 « 5,0% « « . 






5 


2 


2 




5,0 « 10,0% « « . 






3 


— 


— 




* 10,0 « 15,0% « « . 






1 


— 


— 




« 15,0 « 20,0% « « . 






— 


— 


— 




c 20,0 « 25,0% c « . . 






— 


— 


— 




» mais de 25,0% « 













54 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



MOVIMENTO DA POPULAÇÃO 

/ — Movimento do Registro Civil 

1. Sinopse dos nascimentos, casamentos e óbitos registrados no Estado segundo 
as informações recebidas na Diretoria da Estatística Geral — 1933/1934 







Dados numéricos 




19 3 3 1 9 7 * 






Nascimentos < 


Nascidos vivos ......... 

Nascidos mortos . . . 

Total . . . 


22.250 

99 

22.349 


15.267 

94 

15.361 


Casamentos - 
0'bitos 


( Nascidos vivos por 1.000 habitantes . 
Coeficientes < 

(^ Nascidos mortos por 1.000 nascimentos 

' Total . . 

' Coeficiente por 1.000 habitantes 

' Total 

[ Coeficiente por 1.000 habitantes . . . . 


31,62 

- 4,43 

2.577 . 

3,66 
3.288 

4,67 


21,18 
6,12 

2.107 
3,01 

2.617 
3,63 



NOTA — Este e os dois seguintes quadros ainda não exprimem rigorosamente aspectos da realida- 
de demográfica brasileira, pois os dados neles consignados apresentam grandes deficiências, já quanto ao 
movimento de inscrições, já quanto á coleta respectiva. Seu números, porém, constituem um depoimento 
cujo exame é indispensável para orientar a ação do Governo e a própria opinião pública sobre as medi" 
das que devam assegurar a eficiência de um serviço público de natureza fundamental para a vida do 
país. O assunto, aliás, está sendo cuidadosamente estudado pelo Instituto Nacional de Estatística. 



2. Sinopse dos nascimentos, casamentos e óbitos registrados no município da 

Capital segundo as informações recebidas na Diretoria de 

Estatística Geral — 1933 / 1934 



Especificação 



Dados numéricos 



«97* 



Nascidos vivos 
Nascidos mortos 
Total . " . 



,Casamentos 
0'bitos 



Coeficientes 
Total 



Nascidos vivos por 1.000 habitantes . 
Nascidos mortos por 1.000 nascimentos 



Coeficiente por 1.000 habitantes 
Total 



Coeficiente por 1.000 habitantes 



1.665 
57,21 
7,81 
183 
6,34 



1.113 
37,66 

132 
4,47 

137 
4,64 



NOTA — O plano geral adotado pelo Instituto inclúe, em seguida a este quadro, uma tabela so- 
bre óbitos registrados em 1936 nos municípios das Capitais regionais, segundo os dados do serviço fede- 
ral de bio-estatística. Essa tabela deixa de aparecer neste volume por não haver o aludido serviço obti- 
do as informações referentes á Capital do Estado. 



SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA 



55 



MOVIMENTO DÂ POPULAÇÃO 



II — Movimento de entrada de imigrantes e trabalhadores encaminhados 
pelo Departamento Nacional do Trabalho — 1916 / 1936 



Especificação 


Dados numéricas 


Total no período de 1916/1936 ". 


650 




~ 


' 1916 . 


1 






1917 


13 




Quinquénio 
1916—1920 i 


1918 . 

1919 


9 






1920 


82 






Soma 


105 







í 1921 


86 






1922 


51 




Quinquénio 
1921—1925 


1923 

1924 . . . . 


342 






1925 


15 






Soma . 


494 


Discriminação / 

por quinquê- ' 

nios . 




' 1926 

1927 


21 
5 




Quinquénio 
1926—1930 


1928 

1929 . . . . . " . 


2 
7 






1930 ....... 


1 






Soma 


36 






f 1931 


3 






1932 


- 




Quinquénio 
1931—1935 


| 1933 . . 

■ 1934 ....... 


6 
2 






1935 


4 






V Soma 


15 




Ano de 1936 . 




— 


Média anual 






31 









Sttuaçâa Umòmka 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



m 



PRODUÇÃO EXTRATIVA 

Principais produtos da indústria extrativa vegetal no quinquénio de 1932/1936, 
comparativamente com a média quinquenal de 7927/1931 

1. Quantidade 







Quantidade ( em toneladas ) 




Produtos 


Nédia em 
1927-1931 


1932 1933 


1934 1935 


1936(1) 


Babassú 


372 


420 401 


654 1.058 


560 


Borracha 


— 


.— 


— 


_ , _ 


- 


Castanha 


— 


— 


— 


- ' — 




Cera de canaúba 


- 


- 


- 


- ! 


- 


Erva-mate 


— 


— 


— ., 


- 


- 


- 


Madeiras 


_ 


- 


- 


- 


- 


— 


TOTAL 


372 


420 


401 


654 


1.508 


560 



NOTAS: I — A estatística nacional, donde foram extraídos os algarismos deste quadro, engloba, 
sob a rubrica "diversos", os Estados pequenos produtores em relação a cada produto, o que impede a per- 
feita regionalização dos respectivos resultados. 

II — Nessa estatística, os dados relativos á produção de madeiras referem-se apenas á exporta- 
ção e comércio de cabotagem. 

III — O plano geral adotado pelo Instituto inclue, antes desta tabela, um quadro sobre os prin- 
cipais produtos da indústria extrativa mineral, o qual deixa de aparecer neste volume por serem negativas 
as informações referentes ao Estado. 

(1) Estimativa. 

2. Valor 



- 




Valer (em contes de réis) 




Produtos 


Média em 
1927-1931 


1932 


1933 


1934 


1935 


1936(1) 


Babassú 


194 


202 


200 


392 


741 


672 


Borracha 


— 


- 


- 


— 


- 


- ' 


Castanha 


- 


— 


- i 


- 


— 


Cera de canaúba 


— 


- 


_ \ _ 


— 


- 


Erva-mate 


- 


- 


— 


- 


- 


Madeira» 


- 


— 


- 


- 


- 


- 


TOTAL 


194 


202 


200 


392 


741 


672 



NOTAS : I — Vejam-se as observações do quadro precedente. 

II — O valor da borracha, castanhas e madeiras foi calculado pelo preço médio da exportação. 

(1) Itflmativ». 



60- 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



. PRODUÇÃO AGRÍCOLA 



I — Área cultivada das principais culturas, no quinquénio de 1932 / 1936 



Predutos 




A'rea 


cultivada (hectares) 
















1932 


1933 


1934 


1935 


1936 (1) 


Abacaxi. . , . . 


40 


30 


30 


35 


36 


Alfafa . . . . . 


- 


- 


- 


- 


- 


Algodão 


- 


- 


- 


- 


1.830 


Arroz 


36.440 


65.390 


65.790 


59.680 


68.100 


Aveia 


- 


■ - 


- 


- 


- 


Banana 


490 


624 


620 


600 


620 


Batata 


150 


150 


150 


160 


130 


Cacau 


- 


■ - 


- 


- 


- 


Café ...... 


17.490 


15.260 


15.100 


15.890 


16.000 


Cana de açúcar . . 


9.300 


8.350 


8.330 


7.980 


7.000 


Centeio 


- 


- 


- 


- 


- 


Cevada ...... 


- 


- ■ 


- 


' - ' 


."■ - ' 


Coco 


' - 


- 


- 


- 


- 


Feijão 


24.000 


25.100 


26;010 


24.350 


24.780 


Fumo ..... 


960 


1.090 


1,170 


1.090 


1.200 


Laranja 


80 


106 


108 


110 


115 


Mandioca .... 


5.180 


6.400 


5.760 


7.190 


7.320 


Milho ...... 


118.720 


137.660 


130.680 


133.670 


135.000 


Trigo . . -. ■ ". . 


- 


- 


- 


- 


- 


Uva 


' - 


- 


- 


- ^ 


— 


TOTAL. . . . 


212.850 


260.160 


254.748 


250.755 


262.131 



NOTAS — I. Este e os demais quadros sobre a produção agrícola reproduzem a nomenclatura com- 
pleta da estatística nacional donde foram extraídos os respectivos algarismos. Como nessa estatística, po- 
rém, só aparecem para cada cultura as produções cujo volume já tenha apreciável significação económi- 
ca, a regionalização dos dados apresentará certa deficiência, deixando de registrar a produção de algumas 
culturas já praticadas, mas ainda em pequena escala. — II. O total da área cultivada no Brasil nos di- 
versos anos não coincide com a soma das respectivas parcelas por Estados, em virtude de não ter sido 
possível distribuir regionalmente uma pequena parte referente ao algodão e á videira, que, entretanto, fi- 
gura nos resultados gerais. 

(1) O» dado» ainda estão sujeito» á retifieaçao. 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



— 61 — 



PRODUÇÃO AGRÍCOLA 



II — Rendimento médio das principais culturas, no quinquénio de 
1932 1 1936 









Rendimento por hectare 




Produtos 


Unidades 


























1932 


1933 


1934 


1935 


1936 (1) 


Abacaxi 


Fruto 


9.530 


11.670 


11.000 


9.510 


9.720 


Alfafa 


Quilo 


- 


- 


- 


- 


- 


Algodão (2) . . . 


« 


- 


- 


- 


- 


600 


Arroz 


« 


1.350 


1.340 


1.370 


1.520 


1.300 


Aveia 


« 


- 


- 


- 


- 


- 


Banana 


Cacho 


1.100 


1.040 


1.070 


1.130 


1.100 


Batata 


Quilo 


10.700 


11.100 


10.700 


10.000 


9.230 


Cacau 


« 


- 


- 


- 


- 


- 


Café 


« 


340 


440 


300 


260 


270 


Cana de açúcar . . 


Tonelada 


49 


48 


49 


41 


35 


Centeio 


Quilo 


- 


.- 


- 


- 


-. 


Cevada ..... 


« 


- 


- 


- 


- 


- 


Coco ...... 


Fruto 


- 


- 


- 


- 


- 


Feijão 


Quilo 


1.080 


980 


950 


990 


920 


Fumo 


1 


1.250 


1.240 


1.200 


1.300 


1.250 


Laranja 


Caixa 


220 


220 


220 


230 


220 


Mandioca .... 


Quilo 


23.200 


18.000 


18.100 


16.900 


16.800 


Milho 


< 


1.940 


1.500 


1.610 


1.580 


1.420 


Trigo 


« 




- 


- 


- 


- 


Uva 


' 


- 


- 


- 


- 





(1) Os dados ainda estão sujeitos á retificação. — (2) Em caroço. 



-62 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PRODUÇÃO AGRÍCOLA 

III — Produção anual das principais culturas, no quinquénio de 
1932/1936, comparada com a média quinquenal de 1927/1931 

1. Quantidade 



Quantidade 



Nédia em 
1927 / 1931 



1932 1933 1934 1935 1936(1) 



Abacaxi 

Açúcar 

Aguardente . . . 

Álcool 

Alíafa 

Algodão (caroço de) 
Algodão (rama) . . 

Arroz 

Aveia 

Banana 

Batata ..... 

Cacau 

Café 

Cana de açúcar . . 
Centeio ..... 

Cevada 

Coco ...... 

Farinha de mandioca 
Feijão .... 

Fumo. .... 

Laranja .... 

Mandioca . 

Milho 

Trigo 

Úva 

Vinho .... 



Fruto 
Sc. 60 Kg. 
Litro 

Tonelada 



Sc. 60 Kg. 
Quilo 
Cacho 
Tonelada 
Sc. 60 Kg. 
« « « 
Tonelada 
Quilo 

Fruto 
Sc. 60 Kg. 

Quilo 
Caixa 
Tonelada 
Sc. 60 Kg. 
Quilo 



Litro 



(2) 350.000 
240.400 
801.790 
21.000 



120 

1.059.843 

(2) 620.300 
2.170 

143.915 
(2) 407.800 



418.666 

1.113.400 

16.200 

(2) 132.500 

3.164.766 



381.000 

380.000 

1.300.000 

30.000 



820.000 



537.500 
1.600 



100.000 
455.800 



400.000 



1.200.000 

17.700 

120.000 

3.833.330 



350.000 
334.000 
346.000 
25.000 



330.000 

340.000 

1.042.000 

30.000 



650.000 
1. 



112.150 
400.800 



384.000 
408.000 

1.356.000 
23.000 
115.200 

3.441.400 



75 G00 
408.000 



408.000 
410.000 

1.400.000 
24.200 
122.400 

3.500.000 



333.000 
273.700 
700.000 
20.000 



675.000 
1.600 



70.000 
327.700 



405.000 
400.000 

1.420.000 
25 300 
121.500 

3.520.000 



(1) Os dados ainda estão sujeitos á retificação. — (2) Produção do ano de 1931. 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



63 



PRODUÇÃO AGRÍCOLA 

III— Produção anual das principais culturas, no quinquénio de 1932/1936, 

comparada com a média quinquenal de 1927/1931 

2. Valor 



Valor (cm contes de réis) 



Média em 
1927/1931 



1932 



1933 



1934 



1935 



Abacaxi .... 

Açúcar 

Aguardente . . . 

Álcool 

Alfafa 

Algodão (caroço de) . 
Algodão (rama) . . 

Arroz 

Aveia 

Banana 

Batata . . . . . 

Cacau 

Café ....... 

Cana de açúcar . . 

Centeio 

Cevada 

Coco ...... 

Farinha de mandioca 

Feijão 

Fumo 

Laranja 

Mandioca .... 

Milho 

Trigo ...... 

Uva 

Vinho 



TOTAL 



(2) 69 
5.072 



73 

240 

17.043 



4.604 
10.277 

3.870 
(2) 133 



520 
21 



699 
400 



4.800 

6.450 

3.000 

144 



63 
10.020 



845 
415 



4.608 

6.120 

3.119 

219 



4.406 

7.380 

3.500 

218 



67 

10.674 

525 

18 



878 
512 



4.860 

7.200 

3.834 

258 



(1) Os 



ainda estão sujeitos á ratificação. (2) Produção do ano de 1931. 



— 64 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PRODUÇÃO PECUA'RIA 



I— População pecuária em 1935 
1. Efetivo do gado existente 



Zonas 


Efetives (cabeças) 


NÚMEROS RELATIVOS 


fisie^rá- 


OADO MAIOR 


GADO MENOR 


TOTAL 


Cabeças por 
100 km* 


Cabeças por 


ficas 


Bovinos 


Eqiiínos 


Asininos o 

muares 


Suínos 


Caprinos 


Lanígeros 


100 bab. 


Norte : . . . 
Planalto . . . 
Centro . . . . 

Sul 

Sudoeste . . . 


1.451.000 
548.000 
571.000 
830.000 
600.000 


122.100 
36.400 
42.900 
42.600 
24.000 


33.150 
12.500 
28.700 
22.150 
9.500 


216.000 
145.200 
233.500 
281.500 
135.000 


31.200 

7.430 
7.920 
12.700 
7.150 


28.900 
10.800 
14.100 
30.100 
16.100 


1.882.350 
760.330 
898.120 

1.219.050 
791.750 


505 

. 1.186 

1.122 

2.047 

944 


848 
665 
641 
616 
1.240 


TOTAL . . 


4.000.000 


268.000 


106.000 


1.011.200 


66.400 


100.000 


5.551.600 


841 


752 







2. Valor do gado existente 












Valor 


(em cenles d 


e réis) 






Zonas fisic£ráficas 


BI 


DO MAIOR 


DADO MENOR 


TOTAL 




Bovinos 


Equinos 


Asininos e 
muares 


Suínos 


Caprinos 


Lanígeros 


Absoluta 


% 


Norte ...... 


132.041 


14.408 


10.476 


6.264 


250 


222 


163.660 


34,19 


Planalto . . . . . 


41.100 


3.494 


2.575 


3.630 


37 


49 


50.885 


10,63 


Centro 


61.668 


4.848 


7.405 


3.269 


55 


64 


77.309 


16,15 


Sul 


104.580 


5.538 


6.601 


4.223 


102 


120 


121.164 


25,31 


Sudoeste 


58.200 


3.072 


2.508 


1.755 


46 


85 


65.666 


13,72 


TOTAL . . . 


397.589 


31.360 


29.564 


19.141 


490 


540 


478.684 


100,00 



SITUAÇÁO ECONÓMICA 



65 — 



PRODUÇÃO PECUA'RIA 

II — Gado abatido nos matadouros municipais — 1931 / 1935 











Dados 


num 


erices 








1931 


1932 


1933 


1934 


1935 (1) 






Bovinos . . . . 


24.893 


26.985 


26.47C 


28716 


30.000 




Número 

de 
cabeças 


Suinos 

Ovinos 

Caprinos .... 


21.438 
435 
425 


25.380 
345 
406 


24.606 
31C 

423 


27.358 
254 
499 


28.000 
300 
500 






Total. . . . 


47.191 


53.116 


51.809 


56.827 


58.800 


Gado abatido' 


















Bovinos .... 


100 


108 


106 


115 


121 






Suinos 


100 


118 


115 


128 


131 




Números 
índices 


Ovinos 


100 


79 


71 


58 


69 






Caprinos .... 


100 


96 


100 


117 


118 






Total. . . . 


100 


113 


110 


120 


125 






Bovinos .... 


3.510.700 


3.745.900 


3.734.800 


4.072.300 


4.260.000 






Suinos 


1.503.300 


1.732.100 


1.739.800 


2.008.300 


1.960.000 




Quantidade 
(Kg) 1 


Ovinos 


6.500 


5.200 


4.700 


3.800 


4.500 






Caprinos .... 


3.400 


3.300 


3.500 


4.200 


4.000 


Produção 

de 

carne 




Total. . . . 


5.023.900 


5.486.500 


5.482.800 


6.088.600 


6.228.500 




Bovinos .... 


3.511 


3.746 


3.548 


3.869 


3.834 




Valor 

(Contos - 
de réis) 


Suinos 


2.029 


2.338 


2.262 


2.611 


2.548 




Ovinos 

Caprinos .... 


7 
3 


5 
3 


5 
4 


4 
4 


5 

4 






Total. . . . 


5.550 


6.092 


5.819 


6.488 


6.391 


Produção 


Quantidade (Kg.) 


277.280 


299.820 


294.080 


318.840 


333.200 


couros e peles 


Valor (Contos de réis) .... 


488 


525 


483 


588 


615 


(1) Os 


lados ainda esi 


ão sujeitos á retificação. 













SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PRODUÇÃO INDUSTRIAL 

I— Indústria da eletrieidade — 1936 



Especificação 



Námero de empresas 



Usinas geradoras < 



P 



fTermo elétricas. 
Fornecedoras < Hidro-elétricas . 
Soma 



Privativas -í Hidro-elétricas 
Total 



Potência total 
em K. W. 



Térmica 



Hidráulica 



Da^ usinas fornecedoras 



fDas usinas fornecedoras 
Das usinas privativas 
[ Soma 



Total 







Contínua 


! 


iNumero de usinas 
Potência em K.W. 




Térmica 


Alt. trif. 

50 ciei. 
Alt. trif. 

60 ciei. 


{ 
{ 


Número de usinas 
Potência em K W. 
Número, de usinas 
Potência em K.W. 






Outras cor- / 
rentes \ 


Número de usinas 
Potência em K.W. 






Contínua 


í 


Número de usinas 
Potência em K.W. 


Natureza da cor- - 
rente fornecida < 
ao consumo 


Hidráulica < 


Alt. trif. 

50 ciei. 
Alt. trif. 

60 ciei. 


{ 
{ 


Número de usinas 
Potência em K.W. 
Número de usinas 
Potência em K.W. 






Outras cor 
rentes 


{ 


Número de usinas 
Potência em K.W. 






Contínua 


{ 


Número de usinas 
Potência em K.W. 






Alt. trif. 
50 ciei. 


{ 


Número de usinas 
Potência em K.W. 






Alt. trif. 
60 ciei. 


í 


Número de usinas 
Potência em K.W. 






Outras cor 
rentes 


/ 


Número de usinas 
Potência em K.W. 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



67 



PRODUÇÃO INDUSTRIAL 



II — Indústrias sujeitas ao imposto de consumo 
1. Número de fábricas— 1935 



Espécies tributadas 



Número de Fábricas 



TOTAL 



COM EE6ISTR0 PAflO 



Total 



Até 6 



De mais de 6 De mais de 12 
.1* fo„„»-i-i« ™ força motr z 

alel2operarlo8 epl v va[enlB 



registro 
gratuito 



Fumo 

Bebidas . . . 

Álcool 

Fósforo 

Sal 

Calçado . ... 
Perfumaria .... 
Especialidades farmacêuticas . 
Conservas .... 
Vinagre e Azeite . 
Velas ..... 

Tecidos 

Artefátos de tecidos 

Papel 

Cartas de jogar 

Chapéus . . 

Louça e vidro 

Ferragens .... 

Café e chá 

Manteiga .... 
Móveis . . . 
Armas e munições 
Lâmpadas, pilhas etc. . 
Queijos ..... 
Tintas i . . . . 
Leques . . . 
Artefátos de borracha 
Navalhas e pincéis para barba 
Pentes, escovas, etc. 
Brinquedos . . . . 
Artefátos de couro 

Jóias 

Carbureto e cálcio . 
Aparelhos sanitários 
Ladrilhos .... 

Instrumentos de Músicas 
Máquinas fotográficas . 

Fogões 

Cimento : 

Linhas . . . 

TOTAL 



109 
2 
1 
4 



No biénio anterior 



140 
204 



131 
194 



66- 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PRODUÇÃO INDUSTRIAL 



II— Indústrias sujeitas ao imposto de consumo 
2. Quantidade dos artigos tributados — 1925/ 1935 







© u 


a n t i d a 


d e 


Produtos 


Unidade 


















I925 


1 9 ? 


19 7 5 


1, FUMO : 










Charutos 

Cigarros 

Fumo desfiado 

Rapé 


Unidade 

Maço 

Quilo 


1.753 


33.740 


1.500 
4.909 


2. BEBIDAS : 










Aguas minerais naturais .... 

Sifão, soda, xaropes para refrescos 

Cerveja . . . . . .-.."•'. 

Amer-picon, licores, etc. . ... 

Vinho de cana (Néctar) . . . 

Vinho natural de frutas 

Vinhos fermentados, espumosos . ... 

Aguardente e álcool . . . . 


Litro 


26.714 
7.345 
14.225 

154.354 


10.076 
75.592 

83.333 
10.820 


12.000 
50.000 
17.304 
20.000 

217.383 


3. FCSFOROS 


Caixa 


— 


— 


— 


4. SAL (1) 










5. CALÇADOS : 










Botas compridas para montar 

Sapatos, botinas, borzeguins . 

Chinelas, sandálias 

Sapatos e galochas de borracha 

Sapatos próprios para banho 

Polainas e perneiras 

Sapatos de ténis . 

Sapatos de peles de reptis . 








Par 


188 
35.052 
112.980 

1.579 


300 
25.567 . 
70.635 

580 


1.000 

16.200 

200.001 

287 


6. PERFUMARIAS 


. Unidade 


— ' 


14.502 


780 


7. ESPECIALIDADES FARMACÊUTICAS 


< 


(D 


4.172 


50.732 


8. CONSERVAS: 










Carne, peixe e colorantes 

Doces, balas e chocolates .... 
Biscoitos e bolachas 


Quilo 


7.018 
13.452 


31.244 


25.286 


9. VINAGRE E AZEITE : 










Vinagre . . . . . . . 




Litro 


~ 




1.666 


A'cido acético . . - . 


— 


10. VELAS : 










Velas de sebo 

Velas de estearina 

Velas de cera 


Quilo 


4.925 


1.138 


z 


11. CARTAS DE JOGAR. . 


Baralho 


— 


— 


— 


12. BENGALAS 


Unidade 


— 


— 


— 


13. TECIDOS : 










Tecidos de algodão 

Tecidos de cânhamo e juta .... 


Metro 


= 


= 


= 



(1) Nfio discriminada por Estados 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



PRODUÇÃO INDUSTRIAL 

II — Indústrias sujeitas ao imposto de consumo 
2. Quantidade dos artigos tributados — 1925 / 1935 



Produtos 



Unidade 



Quantidade 



I-970 



1 9 7 5 



Tecidos de linho . . . . 

Alpaca e flanela ...... 

Casimira e cassineta ..... 

Tecidos de seda . . . . 

Retalhos de tecidos 

Alcatifas, passadeiras, etc. .... 

14. ARTEFACTOS DE TECIDOS E PELES : 



Cobertores . . . 

Guardanapos, toalhas, etc. 

Cortinas, estores, etc. . 

Baixeiros, etc. 

Camisas .... 

Ceroulas, cuecas e calças 

Colarinhos 

Punhos .... 

Lenços .... 

Gravatas 

Suspensórios . 

Ligas .... 

Espartilhos . 

Meias . . 

Pijamas .... 

Roupas feitas 

Tapetes e capachos 

Boas, peles, etc. . 

Sacos .... 



Cintos 

Luvas . 

Fitas, alças, etc 

Rendas . 

15. PAPEL E SEUS ARTEFACTOS 

Papel para embrulho .... 

Papel de seda 

Papel para forrar casas 
Papel e envelopes para carta 

Serpentinas 

Confeti 



16. CHAPP:'US: 

Chapéus de sol e chuva 

Chapéus para cabeça, para homens 

Chapéus para senhoras . 

Bonés e gorros .... 



17. LOUÇAS E VIDROS : 

Louças de pó de pedra, branca . 
Louças de pó de pedra, com frisos 

Porcelana 

Vidros lisos e moldados 
Vidros lapidados e lavrados . 



Metro 



Quilo 
Metro 



Unidade 



Par 
Unidade 



Par 

Unidade 
Par 
Unidade 



Par 
Quilo 



Peça 
Pacote 



Quilo 



Quilo 



70 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PRODUÇÃO INDUSTRIAL 

// — Indústrias sujeitas ao imposto de consumo 
2. Quantidade dos artigos tributados — 1925 / 1935 



Produtos 



Unidade 



Quantidade 



I925 19?» 1975 



18. FERRA'GENS E ARTIGOS DE 
ALUMÍNIO: 

Parafusos, pregos, etc, de ferro . 
Parafusos, pregos, etc, de cobre . 
Dobradiças, gonzos, etc. 
Artigos de ferro e alumínio . 

19. CAFÉ' E CHA' : 

Café torrado e moído . . . 
Chá 



20. MANTEIGA 

21. MO'VEIS 

22. ARMAS E MUNIÇÕES : 



Armas de fogo, etc. . . . 
Espoletas em cartucho . 
Balas de ferro e chumbo 

23. LÂMPADAS, PILHAS, ETC. 

Lâmpadas 



Aparelhos elétricos . . . 

24. QUEIJOS E REQUEIJÕES : 

Queijo de Minas . . . 
Outras espécies .... 
Queijo desnatado . 

25. TINTAS E VERNIZES : 

Tinta para escrever 

Tinta preparada a óleo etc 

Vernizes e esmaltes 

Matérias para tinturaria 

Ceras, pomadas, etc. . 

Fitas para máquina de escrevei 

26. LEQUES . 

27. ARTEFACTOS DE BORRACHA 

Câmaras de ar para automóveis . 
Câmaras de ar para motociclos 
Pneus para automóveis. 
Pneus para motociclos . . . . 
Rodas maciças para automóveis . 

Capas e capotes 

Bolsas para água quente . . 
Cintos ....... 



Quilo 



L,igas para meias . 
Peras para businas 
Luvas para eletricistas . 
Borracha em lençol 
Mangueiras e tubos 
Passadeiras, tapetes, etc. 



Unidade 



Cento 
Quilo 



Quilo 



Par 

Unidade 
Par 
Quilo 



71.606 
1.190 



29G.483 
5.047 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



71 



PRODUÇÃO INDUSTRIAL 

H — Indústrias sujeitas ao imposto de consumo 
2. Quantidade dos artigos tributados — 1925/ 1935 





I ' 


O u 


a n t i d a 


d e 


Produtos 


Unidade 


















1935 


1 '9 1 o 


19 7 5 


28. NAVALHAS E PINCÉIS PARA BARBA: 










Navalhas 

Lâminas . . . . . 
Pincéis para barba ' 


Unidade 

Dúzia 

Unidade 


— 


■ 


= 


29. PENTES, ESCOVAS E ESPANADORES: 










Pentes . 

Escovas ........ 

Espanadores . 


< 


= 


- 


— ' 


30 BRINQUEDOS ..... 


< 


- 


- 


— 


31. ARTEFACTOS DE COURO: 










Malas, canastras, etc. ..... 

Bolsas, maletas, etc 

Pastas, álbuns, etc. 

Carteiras e porta-moedas .... 

Cintos 

Bolas de foot-ball 

Chicotes 

Cabeçadas 

Rédias, cilhas, etc 

Selins e cilhões 

Luvas para box . . ... 


Par 


= 


3.865 

2.136 

5.320 
226 


2.000 

100 

3.000 

5.000 
5.000 
4.000 
2.876 


32. CARBURETO DE CA'LCIO 


Quilo 


- 


- 


- 


33. APARELHOS SANITA'RIOS 


Unidade 


- 


— 


— , 


34. LADRILHOS E OUTROS MATERIAIS: 










Ladrilhos 

Azulejos e mosaicos 

Rodapés, frisos, etc 

Tijolos prensados 


M* 
M* 
Metro 
Unidade 


— . 


- 


— 


35. INSTRUMENTO DE MU'SICA: 










Discos e rolos para pianola .... 


: 


_ 


- 





36. FOGÕES E FOGAREIROS 




— 


— 


— 


37. MA'QUINAS FOTOGRÁFICAS, ETC: 










Máquinas fotográficas 

Papel albuminado . . . . . 


Quilo 


_ 


- 





38. CIMENTO ' 


€ 


— 


— 


— 


39. Linhas: 










Linhas para costura i 

Linhas para bordar ..... j 


Tubo 
Quilo 


= 


- 





7v 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PRODUÇÃO INDUSTRIAL 

III — Indústria açucareira — 1934 / 1936 



Especificação 



Dados numéricos 



19 3 4 



19 3 5 19 3 6 



Número de usinas 



Produção 
(Sacos de 60 



Kg.) { 



Total . 
Média por usina 



1 
1.201 
1.201 



001 
601 



ESTRADAS DE FERRO -1935 (31-XII) 

I— Extensão da rede em tráfego segundo sua composição 





Extensão 


Especificação 


Absoluta 
(Km.) 


Relativa 

% 



Total ....-'.., 


385,707 


100,00 


Segundo as estradas { Estrada de Ferro de Goiass . . . . 


385,707 


100,00 


Segundo a bitola ^ Corrente. . . .'■'.. 


385,707 , 


100,00 


Segundo a classificação específica { De propriedade da União o por ela administradas 


385,707 


100,00 


Segundo a classificação económica { De 3a. categoria 


385,707 


100,00 



II — Desenvolvimento da rede em tráfego 





Caracterização 


Es pecificaçãe 


Bitola 
00 


Regime 


Extensão 
(KmJ 


EMPRESAS DE 3a. CATEGORIA 








ESTRADA DE FERRO DE GOIAZ 








Fronteira de Minas — Leopoldo Bulhões .... 


1,00 


A. U. 


339,946 


Goiandira — Ouvidor 


1,00 


A. U. 


45,761 


Soma 


- 


- 


385,707 


Total Geral 


- 


- 


385,707 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



73 



RODOVIAÇAO 

/ — Extensão da rede rodoviária estadual — 1930 / 1936 (31-XII) 



Especificação 


Dados numéricos 


1930 1936 


Extensão das estradas de rodagem (Km.) 

( Concreto 

Discriminação dos trechos g^ e MWtado 
rodoviários segundo a cias- { KahXda ' ' ' 
sificação respectiva (Km.) | gSSSSada" \ \ \ \ 

{. Terra não melhorada . . . 


4.420,8 

589,5 
3.831,3 


8.62.3,0 

828,0 
7.795,0 



NOTA: — O plano geral adotado pelo Instituto inclue, antes deste quadro, numa tabela 
sobre f erro-carris — 1912 / 1936, a qual deixa de aparecer neste volume por serem negativas as 
informações referentes ao Estado. 



II — Automóveis e outras espécies de veículos terrestres existentes no 
município da Capital — 1936 (31-XII) 



Dados 
numéricos 



Resumo geral .< 



Veículos 
Automóveis 



Veículos a 
força animada 



Número total de veículos 



Discriminação 



Veículos para 
passageiros . 



Veículos para 
carga 



Automóveis . 
Bicicletas 

Carros a força animal 
Soma . 

Automóveis . 
Carroças de 2 ou 4 
Carros de bois . 
Carrinhos a força humana 
Soma .... 



Número total de veículos 



Discriminação 



Veículos para 
passageiros 

Veículos para 
carga 



Número total de veículos 
Bicicletas 



Discriminação 



Veículos 
a animais 



Automóveis comuns 
Auto-ônibus . 
Motociclos . 
Soma . 

Auto caminhões . 

Outras espécies . 

Soma . 



Carros para passageiros 

Carros de bois . 
Soma . 



108 

9 
35 



119 

84 



Carrinhos a força I 



para transporte de caréa 



NOTA : — O plano geral do Instituto inclue, em seguida a esta tabela, dois quadros sobre 
navegação (organização portuária e movimento marítimo) e um sobre aeronáutica civil (tráfego 
aéreo comercial), os quais deixam de aparecer neste volume por serem negativas as infor- 
mações referentes ao Eatado. 



74 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



CORREIOS E TELÉGRAFOS - 1935 

/ — Condições gerais do serviço 



E s p e 


cificaçãe 


Dados 
Numéricos 


Pessoal (funcionários de todos os quadros, inclusive interinos "prorata", etc. em 
exercício em 31 de Dezembro) ..... . 


1 

226 


Próprios nacionais ocupados { vàlcTícontos de réis) .' .* .' .' '. 


7 
23 


Diretorias regionais . 




1 


Estações (sucursais e agências) < 


Postais 

Postais telegráficas 

Postais telefónicas 

Rádio elétricas 

Telegráficas . 

Telefónicas 

Postos telefónicos . . . . . 


54 
22 
3 

1 

5 




TOTAL '."".'" 


85 




Rede postal - 


/ Em estradas de ferro . 
/ Em navegação . . 
| Motorizadas . 
1 Em bonde . 
Número de linhas' Mixtas . . . 
1 A cavalo 

1 Em carros e outros veículos ■ 

A pé . .. . 


1 
2 
10 

40 
4 
3 


Amplitude < 




\ TOTAL. 


60 






Extensão total (Km.) 

Número de condutores . . . 
Número de viagens realizadas . . . 


9.091.200 

60 
7.417 




Rede telegráfica - 


Extensão das linhas (Ms.) . . ... 
Desenvolvimento (Ms.) . 


1.863.433 
2.518.994 


( De coleta . 
Caixas postais < 

1 De distribuição i 


Quantidade . . . 

Renda (contos de réis) .... 


6 
240 


Aparelhos receptores de rádio, regist 


rados 


(D 101 


1 Renda ordinária < 
Receita J 
(contos de réis) j 


' Renda "Correios/ Correios . . . 
„,. f „ < Telégrafos . 
e Telégrafos" \ g0MA , 

Outras rendas . 

SOMA GERAL . . . .... . 


282 
224 
506 
5 
511 


, 1 Renda extraordin 
\ TOTAL 


iria 


2 
513 


De8p8Sa í Serial • 
(contos de réis) \ ^^ 





1.170 

90 

1.260 


(1) Estima 


tiva. 







SITUAÇÃO ECONÓMICA 



— 75 — 



CORREIOS E TELE'GRAFOS - 1935 



II — Tráfego postal 
1. Movimento geral 



Movimento da correspondência 



Postada e re- 
cebida 



Distribuída e 
expedida 



Em transito 



Serviço postal 



Federal 



CORRESPONDÊNCIA ORDINÁRIA 
I Cartas e ofícios . 
Impressos 
Outros objétos 

Soma . 
Cartas e ofícios . 
Impressos 
Outros objétos 

Soma . 
Cartas e ofícios . 
Impressos 
Outros objétos 

Soma . 



Particular 



Cartas e cartas bilhetes . 
Bilhetes postais .... 

Amostras 

Manuscritos, impressos e jornais 

Expressas 

Correspondência não e insuficientemente franqueada 
Soma 



De correspondência 
Das malas . 



Serviço postal 



Federal 



CORRESPONDÊNCIA REGISTRADA 
Ofícios e cartas . 
Impressos . 
Outros objétos . 

Soma . 
Ofícios e cartas . 
Impressos 
Outros objétos . 



Soma 



Particular 



Com valor decla- 
rado (Oficial e 
particular) 



Ofícios e cartas 
Impressos 
Outros objétos 
Soma . 



Cartas e cartas 
Bilhetes postais 
Manuscritos . 
Impressos 
Amostras 
Expressas 

Soma . 



"artas e ofícios 



Encomendas 



{Número . 
Importância 

( Número . 



mportância 



TOTAIS 



Da correspondência 
Das importâncias 



314 



2.218 
3.114 
116 
918 
TI4T 
3.556 



4.164 

23.699 

914 

146 

176.975 

542 

1.427 



214.233 
9.219 



3.511 

1.282 

408 



"52ÕT 

1.395 

52 

379 



1.826 

1.784 

150 

120 

"OBT 

12.847 

142 

648 

4.726 

2.160 

302 

20.825 



850:3628000 

84 

14:5498000 

32.325 
864:9128000 



730 
116 

276 



555 
13 
79 



1.122 

1.234 

180 

338 



345 



T75T 

2.174 

715 

133 



1.447 
1.188 
2.141 
1.776 



101.778 

3.123 

653 

216.159 
1.087 
4.291 

327.091 



17.837 
10.240 
2.069 



TiõT 



100.876 
2.049 



121.647 
257 



233.184 
255 



1.940 
1.045 



"3UI46- 
4.227 

748 



^893 

1.612 

57 



5.969 

2.689 

1.900 

224 



431T 




129.898 
1.099:1608000 



T761 

924 

218 

171 

IMS 

27.110 

180 

240 

2.420 

2.101 

14 

32.065 

1.485 

167:3748000 

323 
140:2288000 

40.841 
307:6028000 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



CORREIOS E TELÉGRAFOS 



II— Tráfego postal 
2. Movimento especial 



Especificação 



Dados 
Numéricos 



Correspondência | ggj" 

Serviço postal eXpedld& l Peso (Kgr.) 

Correspondência ( ° b £ s 

recebida \ gj-^ 

Títulos cobrados{ Q-^J a . \ l \ 

Carteiras de iden- í Quantidade . 

tídade fornecidas! Renda em selos . , . 



Emitidos 

Pagos 

Reembolsados 

Devolvidos 

Reexpedidos 



Vales poetais 



Quantidade 
Importância 
Prémios 

/ Quantidade 
1 Importância 

Quantidade 
Importância 

Quantidade 
Importância 



Colis Postau 



Cartas e caixas 



Internacionais / Quantidade . 
(pagos) (1) X Importância. 



Sem valor de- ( Recebidos . 
clarado |^ Expedidos 



Com valor de- 
clarado 



valor declarados 



Expedidos 



Recebidas 



Expedidas 



Quantidade 
Importância 



Quantidade 
Importância 
(Frs. ouro) 

Quantidade 
Importância 
(Frs. ouro) 

Quantidade 
Importância 
(Frs. ouro) 

Quantidade 
Importância 
(Frs. ouro) 



300$000 



8.923 

1.727:950*400 

17:3698100 



29 
5:459$100 



2 
ÍK»$000 



4 
1.017,00 



NOTA — A Diretoria Regional de Goiaz não apresentou dados sobre correspondência aérea. (1) Foi 
suspensa a emissão de vales internacionais. 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



— 77 — 



CORREIOS E TELE'GRAFOS - 1935 

III — Tráfego telegráfico 



Especificação 



numéricos 



Especificação 



numéricos 



{Transmitidos . . | 83.624 
Recebidos . . . || 109.207 
Em trânsito . . I! 109.058 




1.950.502 
2.515.554 
1.927.058 



Número médio de palavras por telegrama 




NOTA — O plano geral adotado pelo Instituto inclue, em seguida a este quadro, uma tabela sobre 
1907/1936, a qual deixa de aparecer neste volume por serem negativas as informações referen- 
ao Estado. 



7S 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PROPRIEDADE IMOBILIÁRIA 

- Transcrições de transmissões de imóveis 
1. Movimento geral— 1924/1933 



Especificação 



Número 



VALOR 

(Contos de réis) 



Movimento anual 



1924 
1925 
1926 
1927 
1928 
1929 
1930 
1931 
1932 



3.591 



2.973 
2.668 



3.747 
4.855 
4.364 
2.832 
2.354 
2.630 





1924 . . ..'■■. . . ... 


100 


100 




1925 . . . 




112 




1926 . . . . 


74 


104 




1927 . . ..,-.-. . . 


83 


103 


índices do movimen- 


1928 . . . . . . . : ,'-■'•. 


104 


134 


to anual 


1929 .... 


135 


187 




1930 


122 


163 




1931 


79 


94 




1932 


66 


64 




1933 .......... 


73 


78 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



— 79 



PROPRIEDADE IMOBILIA'RIA 

/ — Transcrições de transmissões de imóveis 
2. Movimento das transmissões por compra e venda — 1924/1933 



Especificação 



Numéricos 



1933 



f 1924 
Número de transmissões < 1929 



Valor das transmissões 
(contos de réis) 



índices 



Proporcionalidade percen- 
tual em relação ao mo- 
vimento das transmis- 
sões em geral 



Médio 



1924 
1929 



1924 
1929 



Número de transmissões^ 1929 



Valor das transmissões 



Total < 1929 
t 1933 



Médio 



1924 
1929 



Do número de 



Do valor das 
transmissões 



1924 
1929 
1933 

1924 
1929 
1933 



1.982 
3.601 
1.482 

2.273 
6.557 
1.812 

1,1 
1,8 
1,2 

100 
182 
75 



100 
164 
109 

55,2 
74,2 
56,3 

48,3 
74,6 
49,1 



— 80 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PROPRIEDADE IMOBILIÁRIA 



II — Inscrições de hipotecas convencionais 
1. Movimento geral — 1924/1933 



Especificação 



VALOR 
(Contos de réis) 





1924 .......... 


39 


353 




1925 


38 


523 




1926 ... 


83 


1.267 




1927 ...-. 


94" 


1.424 




1928 ;.-"'. . . 


93 


687 


Movimento anual < 










1929 . . .."". . ■;, . 


98 


1.450 




1980 . . . . . 


87 


768 




1931 


98 


2.170 




1932 .... 


53 


584 






43 . 


825 




f 1924 . . .'. . . . . . . . 


100 


100 




1925 .......... 


97 


148 




1926 . . .'.;,-. . . ... 


213 


359 




1927 . .... . . . . 


241 


403 


Indiees do movimen- 


1928 '.'■■:.. 


238 


195 


to anual 


1929 . . . 


251 


411 




1930 


223 


218 




1 
1931 . . . . . 


251 


615 




1932 


136 


165 




1938 .......... 


110 


234 











SITUAÇÃO ECONÓMICA 



-81 — 



PROPRIEDADE IMOBILIA'RIA 



// — Inscrições de hipotecas convencionais 
2. Movimento discriminado — 1933 



Especificação 


NÚMERO 


VALOR 
(Contos de réis) 


TOTAIS . . 


43 


825:265$000 


Discriminação : 






Até 6 meses 


5 


61:626$000 




Mais de 6 meses a 1 ano 






17 


258:528$000 




« « 1 a 2 anos . 






10 


254:395$000 




« « 2 « 3 < 






7 


143:716$000 


Segundo o prazo dos contratos 


« « 3 « 4 « 






1 


34:000$000 




« « 4 «c 5 « 






— 


— 




« « 5 « 15 « 






1 


50:000$000 




« « 15 anos . 






— 


— 




Indeterminado ou não discriminado 


2 


23:000$000 




Até 5% ao ano 


- 


— 




Mais de 5 a 10% ao ano 


• 


16 


364:760$000 


Segundo a taxa de juros 
dos contratos 


« « 10 « 15% « < 
« < 15 « 20% « « 
* « 20 « 25% < « 




9 
2 
4 


207:000$000 
ll:000$000 
22:138$000 




< 25% ao ano . 




1 


2:688$000 




Não estipulada ou não discriminada 


11 


217:679$000 




í Até 500$ 


— 


_ 




Mais de 500$ a 1:000$ . 


1 


922$000 




< « 1:000$ « 5:000$ . 


12 


38:136$000 


Segundo o valor dos contratos < 


< « 5:000$ « 10:000$ . 
« « 10:000$ « 50:000$ . 


9 
16 


71:606$000 
337:895$000 




« « 50:000$ « 100:000$ >. 


5 


376:706$00O 




< « 100:000$ 


_ 


— 




Não declarado ou não discriminado 


— 


- 


i Imóveis rurais 

Segundo a natureza dos imóveis J OJli „ 

onerados i « wt>anos 

t Não discriminados .... 


20 
23 

- 


428:587$000 
396:678$000 


( Estabelecimentos bancários 


1 


50:000$000 


Segundo a natureza dos credores*! Credores particulares .... 


42 


775:265$000 


1 Não discriminados .... 


- 





NOTA — O plano geral adotado pelo Instituto inclue, em seguida a esta tabela, um quadro sobre 
propriedade intelectual 1935/1936, o qual deixa de aparecer neste volume por serem negativas as informa- 
ções referentes ao Estado. 



-82 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



MOVIMENTO BANCA'RIO-1936 (31 - XII) 

/ — Resumo do ativo e passivo dos estabelecimentos bancários 
em funcionamento 



Especificação 



Valeres (em centos de réis) 



Bancos 



nacionais | estrangeiros 



TOTAL 



A T I V 









1 — Capital a realizar . . . . 


— 


- 


- 




5.577 




5.577 


— por descontos 


2.141 


.— 


2.141 


— em conta corrente 


3.436 


- 


3.436 


3 — Letras e efeitos a receber . . . . 


3.330 


- ■ 


3.330 


4 — Caixa matriz, agencias, filiais, etc 


1.732 


- 


1.732 




2.063 


— 


2.063 


— em moeda corrente no Banco . 


2.063 


2.063 


— em moedas de ouro ...... 


- 


. ~ 


- 


— em outras espécies no banco . 


- 


- 


- ' 


— ■ no Banco do Brasil 


- 


■ - 


- 


— em outros baneos • 


- 


- 


- 




2.868 


- 


2.868 








Total do ativo 


15.570 


- 


15.570 



1 — Capital . 


— 


- 


— 


2 — Fundos de reserva . 


— 


- 


- 


3 — Depósitos á vista . 


2.978 


- 


2.978 


— em conta corrente com juros .... 


438 


— 


438 


— em conta corrente limitada 


2.263 


- 


2.263 


— em conta corrente sem juros .... 


277 


- 


277 


4 — Depósitos a prazo fixo ....... 


2.135 


- 


2.135 


5 — Caixa matriz, agencias, filiais, etc 


1.378 


- 


1.378 


6 — Lucros e perdas . 


101 


- 


101 


7 — Diversas contas 


8.978 


— ; 


8.978 


Total do passivo , 


15.570 


- 


15.570 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



MOVIMENTO BANCA'RIO - 1936 ( 31 - XII ) 

II— Relação nominal dos estabelecimentos bancários em funcionamento 



BANCOS 



Estabelecimentos em funcionamento 



Categoria 



Sede 



Capital 
(Contes de réis) 



N. de urdem 



BANCOS NACIONAI 



1. Banco do Brasil .... 


Sucursal 


Ipamerí . . . 


2. Banco Comércio Indústria de Mi- 
nas Gerais .... 


« 


Ipamerí . . . . 


3. Banco Hipotecário e Agrícola do 
Estado de Minas Gerais . 


« ' 


Anápolis 




R E S 


U M 



Capita] nacional . 

Capital estrangeiro 

TOTAL . 



III — Número de estabelecimentos bancários em funcionamento, por sedes 





Número de estabelecimentos em 


funcionamento 


SE'DES 


BANCOS NACIOXAIS 


Bancos 
Estrangeiros 




Matrizes 


SUCURSAIS 


TOTAL 


Total Geral 




Banco 

do 

Brasil 


Outros 

Bancos 




Goiaz 

Anápolis 

Ipamerí 


— 


1 


1 
1 


1 
2 


— ■ 


1 
2 


TOTAL 


- 


1 


2 


3 


. — 


3 



Nota : — O plano geral adotado pelo Instituto inclue,- em seguida a este quadro, uma tabela 
sobre casas de penhores a qual deixa de aparecer neste volume por serem negativas as informações refe- 
rentes ao ~~ 



84 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



COME'RCIO-1936 



Preços correntes dos principais géneros alimentícios no comércio 

varejista da cidade de Anápolis (*) 

1. Primeiro simestre 













P r e ç 


es médios 






Géneros 


Unidade 


Janeiro 


Fevereiro 


Marco 


Abril 


Haio 


Junho 


No Semestre 


Açúcar cristal . . 


Quilo 


18500 


1$500 


18500 


18500 


18500 


18500 


18500 


Arrosi .... 


• 


$700 


$700 


$700 


$700 


18000 


18000 


8800 


Azeite doce . . 


Litro 


n$ooo 


118000 


118000 


118000 


118000 


118000 


118000 


Bacalhau . . . 


Quilo 


48000 


48000 


4$000 


48000 


48000 ' 


48000 


48000 


Banha .... 






38800 


58000 


4$500 


48500 


48500 


58000 


48550 


Batata .... 






$400 


$400 


$400 


$400 


8400 


84Ò0 


8400 


Café em pó . . 






18000 


18000 


18000 


18000 


18000 


18000 


18000 


Carne verde . . 






1$000 


1$000 


18000 


18000 


18000 


18000 


1$000 


Carne de porco . 






1$800 


1$800 


18800 


18800 


18800 


28000 


1$830 


Cebola do R. Grande 






2$000 


28000 


28000 


28000. 


28000 


28000 


28000 


Farinha de mandioca 






$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


Farinha de trigo . 






1$500 


1$500 


18500 


18500 


18500 


18500 


18500 


Feijão .... 






$530 


$530 


$530 


$530 


$670 


$670- 


$580 


Leite 


Litro 


$600 


$600 


$600 


. 8600 


$600 


8600 


$600 


Macarrão em pacote 


Quilo 


2$000 


28000 


2.8000 


28000 


28000 


28000 


28000 


Manteiga . . . 


« 


6$000 


68000 


68000 


68000 


68000 


78000 


6$170 


Milho .... 


« 


$300 


$300 


8300 


8300 


8300 


8350 


$310 


Ovos 


Dúzia 


1$000 


18000 


18000 


18000 


18000 


18000 


18000 


Pão 


Quilo 


3$000 


3$000 


38000 


38000 


38000 


3$000 


3$000 


Queijo .... 


< 


2$000 


28000 


28000 


28500 


28500 


38000 


28330 


Sal 


« 


$700 


$700 


$700 


$700 


$700 


$700 


$700 


Toucinho fresco . 


• 


3$000 


38000 


38000 


38000 


38000 


38500 


38080 


Xarque .... 


* 


2$000 


28000 


28000 


28000 


28000 


18800 


18970 



NOTA — O plano geral adotado pelo Instituto inclue, antes desta tabela, dez quadros sobre exportação e 
importação, os quais deixam de aparecer neste volume por serem negativas as informações referentes ao Estado. 
(*) Na falta de dados da Capital. 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



85 — 



COME'RCíO-1936 



Preços correntes dos principais géneros alimentícios no comércio 

varejista da cidade de Anápolis {*) 

2. Segundo simestre 









Unidade 






P r e ç 


os médios. 






Géneros 


Julho 


Agosto 


Setembro 


Outubro 


Novembro 


Dezembro 


No Semestre 


Açúcar cristal 






Quilo 


1$500 


1$500 


1$500 


1$500 


1$500 


1$500 


1$500 


Arroz . . 






t 


1$200 


1$200 


1$300 


1$500 


1$500 


1$500 


1$370 


Azeite doce 






Litro 


111000 


11$000 


12$000 


12$000 


12$000 


12$000 


11$670 


Bacalhau . 






Quilo 


4$000 


4$000 


4$000 


4$000 


4$000 


4$000 


4$000 










5$500 


5$500 


5S300 


5$200 


5$200 


5$300 


5$330 










$400 


$400 


$400 


$400 


$400 


$400 




Café em pó 








1$000 


1$000 


1$000 


1$200 


1$200 


1$400 


1$130 


Carne verde 








1$000 


1$000 


1$500 


1$500 


1$500 


1$500 


1$330 


Carne de porco . 






2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


2$200 


2$200 


2$070 


Cebola do R. Grande 




2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


Farinha de mandioca 


. 


$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


Farinha de trigo . . 




1$500 


1$500 


1$500 


1$500 


1$500 


1$500 


l$5O0 






$670 


$530 


$530 


$530 


$530 


$530 




Leite 


Litro 


$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


$600 


Macarrão em pacote 


Quilo 


2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


Manteiga .... 


« 


7$000 


7$000 


7$000 


7$000 


8$000 


810.00 


7$330 


Milho 


« 


$350 


. $350 


$350 


$350 


$350 


$350 


$350 


Ovos 


Dúzia 


1$000 


1$000 


1$000 


1$000 


1$000 


1$000 


1$000 


Pão 


Quilo 


3$000 


3$000 


3$000 


3$000 


3$000 


3$000 


3$000 


Queijo 


« 


3$000 


3$000 


3$000 


2$500 


2$000 


2$000 


2$580 


Sal ...... 


« 


$700 


$700 


$700 


$700 


$700 


$700 


$700 


Toucinho fresco . . 


« 


3$500 


3$500 


3$500 


4$000 


51000 


4$000 


3$920 


Xarque 




2$000 


2$000 


2$500 


2$500 


2$800 


2$800 


2$430 



(*) Na falta de dudos da Capitel. 



86- 



SINOPSB ESTATÍSTICA DO ESTADO 



COME'RClO-1936 



Preços correntes dos principais géneros alimentícios no comércio 

varejista da cidade de Anápolis (*) 

3. Resumo anual 







Unidade 






P r e ç 


es médios 






G ê n c r • s 




Por trimestre 




Besnmo das variaçóe 


mensais 




r. Trimestre 


2-. Trimestre 


3'. Trimestre 


4*. Trimestre 


Mínima 


Máxima 


Média geral 


Açúcar cristal . . . 


Quilo 


18500 


18500 


1$500 


1$500 






1$500 






, 


$700 


$900 


1$230 


18500 


$700 


18500 


18080 


Azeite doce 




Litro 


118000 


118000 


118330 


128000 


11S000 


128CO0 


118330 


Bacalhau . 




Quilo 


48000 


48000 


4$000 


48000 


- - 


- 


48000 


Banha . . 




< 


4$430 


4$670 


58430 


58230 


38800 


58500 


48940 






* 


$400 


$400 


$400 


$400 






8400 


Café em pó 




< 


18000 


18000 


1$000 


18270 


18000 


18400 


18070 


Carne verde 




< 


18000 


1$000 


18170 


18500 


18000 


18500 


1$170 


Carne de porco . . 


< 


1$800 


1$870 


2$000 


28130- 


18800 


28200 


1$950 


Cebola do R. Grande 




2$000 


2$000 


28000 


28000 


- 


- 


28000 


Farinha de mandioca 


< 


8600 


$600 


$600 


8600 


- 


- 


$600 


Farinha de trigo . . 


< 


18500 


1$500 


18500 


18500 


- 


- " 


18500 


Feijão 


« 


$530 


$620 


$580 


' $530 


8530 


$670. 


$570 


Leite. . • , . . . 


Litro 


$600 


$600 


$600 


$600 


-" 


- . 


$600 


Macarrão em pacote 


Quilo 


2$000 


2$000 


2$000 


2$000 


- 


- 


2$000 


Manteiga .... 


« 


6$000 


6S330 


7$000 


7$670 


68000 


88000 


6$750 


Milho ...... 


« 


$300 


$320 


$350 


$350 


$300 


$350 


$330 


OVOR 


Dúzia 


1$000 


1$000 


1$000 


18000 


- 


- 


18000 


Pão 


Quilo 


31000 


31000 


38000 


38000 


- 


- 


38000 


Queijo 


« 


2$000 


2S670 


3$000 


28170 


28000 


38000 


28460 


Sal 


« 


$700 


$700 


$700 


$700 


- 


- 


8700 


Toucinho fresco . . 


« 


38000 


38170 


38500 


48430 


38000 


58000 


3S500 


Xarque . . . . . 


* 


2$000 


1$930 


28170 


28700 


1$800 


28800 


28200 



(*) Na falta de dados da Capital. 



SITUAÇÃO ECONÓMICA 



87- 



SAL A' RIOS- 1935 / 1936 



Preços correntes d 


3 t) 


aba 


lho rura 


l, sem sustento 


, nos 


principaii 


ofíc 


ios 




I 








5 a 1 


á r i 


5 






oftcios 


Forma de 
pagamento 




1 9 


? 5 




1 


1 9 


7 6 






Mais 
frequente 


Máximo 


Mínimo 


Médio 


liais 
frequente 


Máximo 


Mínimo 


Médio 


Aradores 


Diário 


5$0 


10$0 


3$0 


5$3 


6$0 


10$0 


4$0 


680 


Trabalhadores de enxada (homens) 


< 


2S6 


5$0 


2$0 


2S8 


2$5 


5$5 


1$8 


380 


Trabalhadores de enxada (mulheres) 


c 


1«5 


3$5 


ISO 


«9 


2$2 


3$0 


158 


280 


Trabalhadores de enxada (menores) 


« 


1$0 


4$0 


$5 


1$3 


1*6 


2$0 


ISO 


l$õ 


Trabalhadores avulsos . . . . 


« 


'2$8 


385 


2$0 


2S8 


2$5 


580 


283 


3$0 


Cortadores de cana 








« 


3$0 


7S0 


210 


3$7 


2$0 


380 


118 


2*2 


Colhedores de café . 








« ' 


5$0 


6$0 


3$0 


3$5 


6$0 


780 


380 


488 


Tratadores de animais 








« 


4$0 


10$0 


2$0 


4$9 


4S5 


10$ 


310 


580 


Carreiros 








i l 


5$0 


20$0 


4$0 


6S2 


5$8 


1880 


5*0 


585 


Lenhadores 








« 


2$5 


8$0 


185 


3*53 


3$0 


680 


2.10 


4$5 


Campeiros 








« 


4$0 


10$0 


2$0 


5$5 


5$6 


880 


280 


4$0 


Tropeiros 








« 


5$0 


6$0 


2$8 


3$5 


5$0 


7$0 


3S0 


5$2 


Carpinteiros . 








' 


10$0 


25S0 


3S0 


1888 


10S0 


25S0 


3$5 


485 


Pedreiros 








I c 


10$0 


25S50 


3$0 


10$3 


9$5 


18$0 


382 


10$2 


Serventes de pedreiro 








« 


4$5 


10$0 


2$2 


3$9 


4$5 


1080 


380 


485 


Ferreiros 








I c 


10$0 


25$0 


5$0 


10$7 


10$5 


2580 


6$1 


n$o 


Maquinistas . 








i 


9$5 


1580 


6S0 


9$6 


1210 


15$0 


780 


1080 


Chauffeurs - . . 








« 


10$0 


20» 


5$5 


10S2 


11S3 


2080 


588 


11S5 


Administradores 








Mensal 


200$0 


360S0 


166S7 


218$8 


310S0 


40080 


18080 


33080 


Ajudantes de Administradores 




« 


1203JO 


200$0 


110S0 


133$1 


180S0 


25080 


15080 


175S0 


Guarda-Livros 




4 


34010 


900S0 


130$0 


339S60 


340S0 


90010 


18880 


35080 



RENDIMENTOS- 1928 / 1936 

Arrecadação do imposto cedular e global sobre a renda 





Arrecadação 


A n © s 


Arrecadação 


A n o s 


Conos de réis 


Números índices 
(1928 = 100) 


Contos do réis 


Números índices 
(1928 = 100) 


1928 .... 

1929 . . 

1930 .... 

1931 . . . . 

1932 .... 


92 
111 
115 
160 
139 


100 
121 
125 
174 
151 


1933 (1) 

1934 (2) 

1935 . . .'■■• 

1936 ...... 


136 
181 
205 
293 


148 
197 
223 
318 



(1) — Quinze meses (Janeiro de 



a Março de 1934). (2)— Nove meses (Abril a Dezembro). 



Sitciaçôa Saciai 



SITUAÇÃO SOCIAL 



-91 



MELHORAMENTOS URBANOS —1936 (31 - XII) 

Serviços de abastecimento d' água potável, de esgotos sanitários 
e de iluminação pública, existentes nas sedes municipais 



specificação 



Numéricos 



MOVIMENTO GERAL DO INQUE'RITO 



Municípios / 
existentes 



Não informantes 



r 

1% 

(N. 

1% 



55 
100,00 





Total . 




1% 


55 






100,00 


RESULTADOS DO INQUE'RITO 










De abastecimento d' água, esgotos e iluminação pública 


f, 

1% 


~ 






De abastecimento d'água e iluminação pública 


f 


3 
5,45 




Em cujas se- 
des havia < 


De abastecimento d'água, somente 


<, 


- 




serviços 




i% 


— 


Municípios 
informantes 




De iluminação pública, somente . 




23 

41,82 






Soma 


i:- 


26 








t% 


47,27 




Em cujas sádes não havia nenhum dos serviços considerados 


|N. 


29 






1% 


52,73 




Total ■ . 


r 


55 






100,00 



92 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



ASSISTÊNCJA MÉDICO- SANITÁRIA 1933/1935 

/ — Número dos estabelecimentos de assistência 



Especificação 



Dados munéricss 



1933 1934 1935 



Estabelecimentos 
arrolados 



I Segundo o tipo ) £ipo monobloco 



I dr"cônstrVâr Í Tipo pavilionar 

l ( íipo nao especificado 



Não incluídos na estatística 
Total geral 



Estabelecimentos 
informantes 



Total 



Segundo a 
localização 



Segundo a enti- 
dade mantene- 
dora 



Segundo o desti-J 
no da assistência] 



Existentes na Capital 
Existentes no interior 



Oficiais 



! Federais 
Estaduais 
Municipais 
Soma . 



Particulares . 
Franqueados ao público. 



de j 

5S J 



Oficiais 
— ) Particulares 



Segundo a moda- í Somente com internamento 
lidade da assis- < Também sem internamento 
' Somente sem internamento 

/ . De clínica geral 



Segundo a especi-j 
alidade da assis- ( 

tência De clínicas 

j especializadas 



' Médico-cirúrgica 

Ginecológica e obstétrlea 

Doenças tropicais 
Tisiológica . 
Leprológiea . 
Sifiligráfica . 
Pediátrica . 
Neuropsiquiáti iea 
Outras clínicas 



Segunda a idade/ £fa adultos te crianças. . 

dos enfermos \ Somente para adultos . . 

' Somente para crianças . 

a„„,^j^ „ „„ ( P ara ambos os sexos 

d g o" enfermo"! Sómente P ala ° sex0 masculino 



Somente para o sexo feminino . 



SITUAÇÃO SOCIAL 



— 93 — 



ASSISTÊNCIA MÉDICO-SANITÁRIA - 1933/1935 

1 — Número dos Estabelecimentos de Assistência (concl.) 



Especificação 


1 Dados numéricos 


1 1933 


1934 


1935 


Estabeleci- 
mentos infor- 
mantes 


í Somente a título gratuito . . . 
e custo° ° < Prestando J Somen te a título oneroso . . . 
da assistência j socorros 1 ((( . ■ „ , 

1 A título gratuito e a título oneroso 


! 

4 

1 
1 

2 
2 
2 


3 

2 

2 
2 
1 


'4 

2 
2 


( Concl. ) 


Segundo os 1 , 

meios de s ) Mantidos com recursos próprios 
manutenção I Particulares n 

/ Mantidos com o auxílio do Poder Público 


2 

2 



77 — Capacidade dos Estabelecimentos de Assistência 



Especificação 



Dados numéricos 



1933 1934 1935 



Estabeleci- 
mentos 
informantes 



Capacidade 
dos estabele- 
cimentos 



Em geral 

Á fllie Se referem OS / Sobre serviços com internamento . . . 
(ladOS lio IjOadrO l Sobre serviços sem internamento . . . 

Enfermarias e dependências análogas . . 

Com interna- I Quartos para doentes 

mento | Pavilhões de observação ou de isolamento 
Leitos 



Sem interna- 
mento 



Compartimento para estadia provisória de doentes 
Leitos 



III— Principais instalações existentes nos estabelecimentos de assistência 



Especificação 


1 Dadi 


s numéricos 


1933 


1934 


1935 


Estabelecimen- < 




! 6 

: 

i 

i 

2 
5 
2 
1 


5 
5 
5 

1 

1 
2 

3 

3 

1 

1 


6 




4 




' Salas de operações 


4 
1 










Gabinetes <^ De elec l t ° roter P a p ia ; ] ; | ; [ [ \ \ \ \ 


1 


Instalações 


K Dentários 


3 






3 




Levanderias 

Desinfetórios 


1 
1 
1 
















94 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



ASSISTÊNCIA MÉDICO- SANITÁRIA -1933/1935 

IV — Efetivos do pessoal nos estabelecimentos de assistência 



Especificada 



Dados numéricos 



1933 1934 1935 



Estabelecimentos informantes 
Clínica geral 



Efetivos do 
corpo clínico 






Clínicas 
especializadas 



Cirurgiões . . . . 

Dermatologistas 

Oftalmo-oto-rino-laringologistas 

Urologistas 

Tisiologistas 

Pediatras 

Neuropsiquiatras 
Outras especialidade! 



Total 



7 6 





Farmacêuticos . . . . . . . . 


5 


3 


3 




Dentistas . . . . . . . ... 


1 


- 


1 




Internos (académicos) . . ... 


_ 


- 


- 


Efetivos dos co- 
laboradores e 
auxiliares dos 
serviços clí- 
nicos 


Parteiras 

Enfermeiros 


: 


2 
5 


2 

6 


Enfermeiras . . 


11 


7 


14 




Religiosas . . . .-.-.- 


3 


3 


3 




Outros auxiliares . . 


10 


1 


7 




Total 


37 


21 


36 




■ 









SITUAÇÃO SOCIAL 



95 



ASSISTÊNCIA MÉDICO - SANITÁRIA - 1933/1935 

V— Movimento dos estabelecimentos de assistência com internamento 



Especificação 



Dados 



1933 1934 1935 



Número de estabelecimentos . 



Enfermos so- 
corridos du- 
rante o ano 



Enfermos en- 
trados duran- 
te o ano 



Vindos do ano 
anterior 



Entrados du- 
rante o ano 



Masculinos , 
Femininos 
Soma 



Masculinos , 
Femininos . 
Soma 



34 30 



846 

209 

1.055 



Masculinos . 
Femininos . 
Soma 



884 

248 

1.132 



Total 



Segundo a í^l . [ 
inaae ^ Sem e8 pecificaçfto 



1.030 
25 



■s=su.{£SU 



1.045 
10 



Segundo as 
clínicas 



' De doenças tropicais 

Tisiológica 

Dentária e estomatológica 

Urológica 

Oftalmo-oto-rino-laringológica 

Siffligráfica 

Leprológica . 
Neuropsiquiátrica 
Radiológica e radioterápica . 
Ginecológica . 

Obstétrica 

Cirúrgica geral .... 

Pediátrica 

Geral 

Não especificadas . 



623 
250 



265 280 
960 941 



870 86S 
10 



94 
15 
16 

6 
51 
64 
36 
12 

1 
40 
13 
121 
19 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



ASSISTÊNCIA MÉDICO - SANITÁRIA - 1933 / 1935 

VI — Movimento dos estabelecimentos de assistência sem internamento 



specificaç 



Dados numéricos 



1933 1934 1935 



Em geral 



Estabelecimen- 
tos com servi- J 

ço de ambula- j Q ue forneceram í Sobre o movimento de enfermos- 
tório I informações \ Sobre o movimento dos serviços 



Enfermos socor- 

ridos^durante 

o ano 



Segundo o sexo 



Segundo a idade 



Masculinos . 
Femininos . 
Sem discriminação 

Adultos 
Crianças 
Sem discriminação 



jEs 
(Se 



■ Brasileiros . 
Segundo a nac.o- \ Estrangeiros . . 
nalidude 1 gem discriminftçáo 



Segundo as clí- 
nicas 



De doenças tropicais . 

Tisiológica . . . . 

Estomatológica . . ' . 

Urológica .... 

Oftalmo-oto-rino-iaringològica 

Dermato-sifiligráfica . 

Néuropsiquiátrica 

Radiológica e radioterápica . 

Ginecológica 

Cirúrgica 

Pediátrica . . . . . 

Geral . . ... 

Sem discriminação 



45 
23 

6.623 



6.623 
3.539 



2 

2.800 



( Consulta» .....' |j 6.580 

Movimento anual J Receitas aviadas | G.851 

cl oi principais ser- J Curativos . . . . . . . . ... 

viços prestados í Intervenções cirúrgicas . ... . . . 

ao público I Exames radiológicos . . . . . . 

I Exames de laboratório 



205 

75 

12.823 



20 
12.823 



10.440 

10 

25 

188 

58 

1.595 

2 

598 
187 



1.106 
22 



7.693 
5.130 



12.823 
10.366 



166 

37 

1.563 



SITUAÇÃO SOCIAL 



97 



DESPESAS PÚBLICAS COM A ASSISTÊNCIA 
MÉDICO- SANITÁRIA - 1932/1934 

/ — Discriminação, segundo as principais rubricas 



Despesas 



Especificação 



Federais 



Estaduais Municipais 



Total 



Subvenções e auxílios 
Total 



Pessoal 


- 


71:4725000 


3:1258000 


74:5978000 


Material 


- 


26:343$000 


4508000 


26:793$000 


Sem especificação . 


- 


- 


1:7808000 


l:780$000 


Soma . . . . . 


- 


97:8158000 


5:3558000 


103:1708000 




5:803S955 


18:0005000 


4:6808000 


28:4835955 










5:8038955 


115:815$000 


10:035$000 


131:6538955 











Pessoal . : . . . 


- 


116:4328000 


- 


116:4328000 


Custeio 


Material 

Sem especificação . 


— 


20:8858000 


: 


20:8858000 




Soma ..... 


- 


137:3178000 


- 


137:3178000 


Subvenções e am 




26:2728000 


18:0008000 


6:1338000 


50:4058000 








Total. . . . 


26:2728000 


155:3178000 


6U338000 


187:7228000 


EM 


1934 






Pessoal ..... 


- 


118:2038000 


- 


118:2038000 


Custeio 


Material 

Sem especificação . 


— 


4:9408000 


2:5988000 


4:9408000 
2:5988000 




Soma 


- 


123:1438000 


2:5988000 


125:7418000 


Subvenções e auj 
Tot< 




4:ooo$ooo 


12:0008000 


13:5098000 


29:5098000 


ti 






4:0008000 


135:1438000 


16:1078000 


155:2508000 



NOTA — Não forneceram dados relativos á despesa geral em 1932 os seguintes municípios : Pal- 
ma, São Domingos e Sítio d' Abadia, faltando também os que se referem ás despesas com saúde pública 
nos municípios de Bôs Vista do Tocantins, Couto Magalhães, Palma e São Domingos. 



-96 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DESPESAS. PÚBLICAS COM A ASSISTÊNCIA 
MÉDICO - SANITÁRIA - 1932/1934 

// — Discriminação, segundo a finalidade 



Especificação 



Despesas 



Federais 



Estaduais 



Municipais 



Total 



Em 19 3 2 



Custeio 



Administração central, servi- 
ços gerais e institutos 
científicos . 

Assistência hospitalar oficial 

Outros serviços de assistência 
sanitária . ... 



Soma 



Subvenções e auxílios 
Total 



97:815$000 
18:000$000 



5:355$000 

4: 



103:1708000 
28:4838955 



Em 19 3 3 



Administração central, servi- 
ços gerais e institutos 
científicos . . . i 

Assistência hospitalar oficial j 

Outros serviços de assistência 
sanitária . . . . ! 



Soma 



Subvenções e auxílios 
Total 



69:5778000 



137:3178000 
' 18:0008000 



:1338000 



:133$000 



69:5778000 

67:7405000 

137:3178000 
50:4058000 



187:7228000 



Em 19 3 4 



Custeio 



Administração central, servi- 
ços gerais e institutos 
científicos 




45:5308000 




45:5308000 


Assistência hospitalar oficial 




- 


- 


- 


Outros serviços de assistência 
sanitária .... 




77:6138000 


2:5988000 


80:2118000 


Soma . 




123:1438000 


2:5988000 


125:7418000 


auxílios 


4:0008000 


12:0008000 


13:5098000 


29:5008000 


tal 


4:0008000 


135:1438000 


16:1078000 


155:2508000 



NOTA — Não forneceram dados relativos á despesa geral em 1932 03 seguintes municípios : Pal- 
ma, São Domingos e Sítio d' Abadia, faltando também os que se referem ás despesas com saúde pública 
noB municípios de Bôa Vista do Tocantins, Couto Magalhães, Palma e São Domingos. 



SITUAÇÃO SOCIAL 



ASILOS E RECOLHIMENTOS— 1932/1934 

Número de instituições e de asilados 



Especificação 



Dados numéricos 



1932 1933 193* 



Número de 
estabelecimentos 



Segundo a depen- 
dência adminis- 
trativa 



f Federais 

Estaduais 

Municipais 



Subvencionadas . 
Não subvencionadas 



Subvencionadas . 
Não subvencionadas 
Soma . 



Sub-v 

Não subvencionadas 

Soma . 



Segundo os fins a ( 
que se destinam 



Vida contemplativa . 

Amparo a inválidos da Pátria 

Regeneração social 

Amparo á infância 

« a moças pobres 
« á mendicidade 
« a cegos . 
« a surdos-mudos 
« a morféticos . 
i a psicopatas . 



Estabelecimentos informantes 



Movimento 
geral do ano 



Pessoas interna- 
das 



Existentes em I o . de Janeiro 
Entradas .... 
Falecidas ... 



Existentes em 31 de Dezembro 



12 

I 6 



Discriminação 
das pessoas inter- 
nadas em 
31 - XII 



Segundo os fins 
dos estabeleci- 
mentos em que ■ 
se encontra- 
vam 



Vida contemplativa 

Amparo a inválidos da Pátria 

Regeneração social 

Amparo á infância 

a moças pobres 
á mendicidade 
a cegos . 
à surdos-mudos 
a morféticos . 
a psicopatas . 



18 19 



100 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL 

Caixa económica federal — 1934 / 1935 



Especificação 



Dados munéricos 



Em 19 3 4 
Saldo dos depósitos em 1.° de Janeiro ( Contos de réis ) 



I Entradas 
Movimento anual dos l 

depósitos / Juros capitalizados 

( Contos de réis ) 

Retiradas 



Saldo dos depósitos em 31 de Dezembro ( Contos de réis ) 
Diferença das entradas sobre as retiradas ( Contos de réis ) 



Movimento anual de 
cadernetas 



Resgatadas . . 

Emitidas 

Em circulação a 31 de Dezembro 



Em 19 3 5 
Saldo dos depósitos em 1.° de Janeiro (Contos de réis) 



917 
123 
523 



93 

150 

2.727 

2.750 



Entradas 
Movimento anual dos 

depósitos / Juros capitaneados 

(Contos de réis) I 

i Retiradas 



784 
145 
648 



Saldo dos depósitos em 31 de Dezembro ( Contos de réis ) 
Diferença das entradas sobre as retiradas (Contos de réis) . 



,031 



Movimento anual de 
cadernetas 



Resgatadas . . . 

Emitidas . . 

Em circulação a 31 de Dezembro . 



97 

172 

2.802 



NOTAS : — I E' anexa á Delegacia Fiscal a caixa económica federal que funciona no Estado. — II O pla- 
no geral adotado pelo Instituto inclue, em seguida a esta tabela, um quadro sobre cooperativas 
arroladas no Ministério da Agricultura— 1936, o qual deixa de aparecer neste volume por serem 
negativas as informações referentes ao Estado. 



SITUAÇÃO SOCIAL 



101 



TRABALHO 

/— Serviço de identificação proãssional — 1933 / 1936 



Especific 



ç a o 



Dados 
numéricas 





Número de carteiras 
expedidas 

Número de livros 
registrados 

Carteiras profissio- 
nais expedidas e re- < 
gigtros efetuados 

Renda arrecadada < 


í 1933 . 




| 

6 




1934 . 




62 




1 1935 . 




153 




| 1936 . 




214 


Principais aspectos 

do movimento geral - 

1933 / 1936 


1 Total . 
1933 . 




435 




| 1934 . 




2 




' 1935 . 








1 1936 . 




39 


Discriminação do 
movimento de < 
1936 


s Total . 

Número de cartei- J 
ras expedidas í 

Número de registros / 
efetuados | 

Pela expedição de ( 

carteiras profis- < 

sionais ( 

Pelos registros í 
efetuados ^ 

Total . 


las. Vias. 
2as. Vias. 
Total 

De empregadores . 
De químicos . 

las. Vias . 
2as. Vias . 
Soma 

De empregadores . 
De químicos . 


80 
214 
214 

39 

l:070$000 
1:0708000 

370S000 
1:440*000 











II— Convenções de trabalho — 1936 

Distribuição das convenções realizadas pela Inspetoria Federal do Trabalho, 

segundo o tipo convencional e os grupos de empregados abrangidos 



s p e c i 



Número de 
convenções 



Segundo o ti- ( Entre um empregador e seus empregados 

po conven- -J Entre um ou mais empregadores ou uma ou mais organizações de empregados 

cional ( Entre organizações patronais e organizações de empregados 



Segundo os 
grupos de em- 
pregados 

abrangidos 



la 5 . 

6 a 10 . 
11 a 50 . 
51 a 100 . 

Mais de 100 



— Í02 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



TRABALHO 

III — Sindicatos oficialmente reconhecidos — 1921 / 1936 



Especificação 



CLASSISICAÇÃO SEGUNDO A ESPÉCIE E O ANO DO RECONHECIMENTO : 



Sindicatos 
inscritos 



Sindicatos 
existentes 



De empregados < 1936 



De 1931 a 1935 
Total ! 



De 
empregadores ^ 



De profissões 
liberais 



De trabalhado- \ 

res por < 

conta própria ( 



l 1931 
' 1936 



1931 a 1935 
1636 

Total 

1931 a 1935 
1936 

Total 



Em geral 



De empregados < 1936 



1931 a 1935 
1636 

Total 



\ 1931 a 1935 



Total 



De 
empregadores 



De profissões 
liberais 



De trabalhado- 
res por 
conta própria 



Em geral 



1931 a 1935 
1936 

Total 



1931 a 1935 
1936 

Total 



1931 a 1935 
1936 

Total 



\ 1931 a 1935 

< 1936 

/ Total 



Situação Cultural 



SITUAÇÃO CULTURAL 



107 



EDUCAÇÃO- 1932/1934 

/ — Ensino em geral 
1. Unidades escolares 



Especificaçã 



Resultados 



1933 



1934 



TOTAL 



DISCRIMINAÇÃO 



Segundo o sexo dos / £ am ° sexo masculino 

alunos 1 £ ara ° T feimnin ° 

I Para ambos os sexos 



/' í Federal 

a , , ,. . \ Ensino público < Estadual 

Segundo a dependência ) ] Municipal 
administrativa do ensino } 

' Ensino particular . 



Segundo a natureza 
do ensino 



Segundo o tipo do 
ensino 



Segund 

ensino 



o o grau do J 
snsino j 



Segundo a padroniza- ( 
çao do ensino J 



Segundo o destino 
do ensino 



Ensino comum . 
Ensino supletivo 
Ensino emendativo 



Ensino geral 
Ensino semi- 
Ensino especializado . 

Ensino elementar 

Ensino secundário ou médio 

Ensino superior 



Ensino oficial ou oficializado 
livre 



Ensino civil 
Ensino militar 



Ensino primário 
Ensino secundário . 
Ensino doméstico 
Segundo as categorias / £ ns l no técnico industrial 
Ar, mo ,w * Ensino comercial . 



do ensino 



Ensino artístico. 
Ensino magisterial 
Ensino superior 
Outros ensinos . 



414 
2 



66 
64 
290 



219 
114 



400 
17 



400 
17 



345 
75 



1 

17fi 
148 



425 



410 
19 
11 



414 
24 
2 



340 
100 



402 
4 
1 
l 



— 108 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



ED.UCAÇAO- 1932 / 1934 

/ — Ensino em geral 
2. Corpo docente 



Especificação 



R e s u ltades 



1932 



1933 



DISC R IMINAÇ.ÀO 



Segundo o sexo 



Segundo a dependência 
administrativa do 



Segundo a natureza 
do ensino 



Segundo o tipo 
do ensino 



Segundo o grau 
do ensino 



Segundo a padroniza- 
ção do ensino 



Segundo o destino 
do ensino 



Segundo as categorias 
do ensino 



Sexo masculino 
Sexo feminino 



í Federal 

Ensino público •< Estadual 

( Municipal 

Ensino particular 



Ensino comum . 
Ensino supletivo 
Ensino emendativo. 



Ensino geral 

Ensino semi-especializado . 

Ensino especializado . 



Ensino elementar 

Ensino secundário ou médio 

Ensino superior 



Ensino oficial ou ofiçialiaado 
Ensino livre 



Ensino civil 
Ensino militar 



primário 
Ensino secundário 
Ensino doméstico 
Ensino técnico industrial 
Ensino comercial 
Ensino artístico 
Ensino magisterial 
Ensino superior 
Outros ensinos . 



307 
437 



118 
219 



737 
7 



122 



571 
143 
30 



149 
744 



561 
55 



9 
437 
147 



153 
5 



643 
150 



139 



625 
43 
4 



105 
33 

7 



971 



10 

429 



346 



951 
20 



177 

25 



754 
183 
34 



749 
222 



720 
44 
2 
10 
12 
14 

121 
34 
14 



SITUAÇÃO CULTURAL 



— 109 — 



EDUCAÇÃO- 1932/1934 

/ — Ensino em Geral 
3. Matrícula geral 



Especificação 



Resultad 



1932 



1933 



TOTAL 



DISCRIMINAÇÃO 



Segundo o sexo < 



Segundo a dependência ) 
administrativa do ensino S 



Sexo masculino 
Sexo feminino 



í Federal 
Ensino público ■< Estadual 
( Municipal 



Ensino particular . 



Segundo a natureza 
do ensino 



Segundo o tipo do 
ensino 



Segundo' o grau 
ensino 



do j 



Segundo a padroniza- í 
ção do ensino y 



Segundo o destino / 
do ensino y 



Segundo as categorias 
do ensino 



Ensino comum . 
Ensino supletivo 
Ensino emendativo 



Ensino geral 

Ensino semi-espeeializado 

Ensino especializado . 



Ensino elementar 

Ensino secundário ou médio 

Ensino superior 



Ensino oficial ou oficializado 
Ensino livre 



Ensino civil 
Ensino militar 



Ensino primário 
Ensino secundário 
Ensino doméstico 
Ensino técnico industrial 
Ensino comercial 
Ensino artístico. 
Ensino magisterial . 
Ensino superior 
Outros ensinos . 



12.882 
9.773 



14.789 
4.505 



3.198 



22.558 
97 



22.189 
466 



21.914 
688 
53 



19.615 
3.040 



21.743 
430 

163 



235 
53 
31 



255 
16.113 
5.237 



23.562 
501 



3.340 
673 
50 



23.277 
716 
70 



21.919 
2.144 



42 
255 



— HO 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



E D U C A Ç A O -1932/ 1934 

/ — Ensino em geral 
4. Matrícula efetiva 



specificaç 



Resu Itados 



1932 



1934 



DISCRIMINAÇÃO 
Segundo o sexo < 



Sexo masculino 
Sexo feminino 



Segundo a dependência) Ensino públ: 
administrativa do ( 
ensino i 



íco < 



Federal 



Municipal 



Ensino particular 



Segundo a natureza ) £ ns í no c °Tf ' 
g Ho ^Z, { Ensmo supletivo 

Ensino emendativo. 



I 



Segundo o tipo \ f ns ! no geral 

do ensino 1 ^smo ^mi-especializado 

' Ensino especiahzado . 



Segund< 
do 



, ( Ensino elementar 

ensino "i Ensino secundário ou médio 

( Ensino superior 



Segundo a padroniza- í Ensino oficial ou oficializado 
ç5o do ensino \ Ensino livre ... 



Segundo o destino 
do eniino- 



Segundo as categorias 
do ensino 



Ensino civil 
Ensino militar 



Ensino primário 

Ensino secundário 

Ensino doméstico 

Ensino técnico industrial 

Ensino comercial 

Ensino artístico 

Ensino magisterial . 

Ensino superior 

Outros ensinos . 



23.858 



13.164 
10.694 



152 
12.984 
6.842 



23.188 
670 



22.945 
719 
194 



904 



20.473 
3.385 



22.537 
397 

14 
152 

19 

71 
464 

59 
145 



NOTA— Referem-se apenas ao ensino primário os resultados da apuração da matrícula efetiva nos 
anos do 1932 o 1933, razfio por que deixam de ser preenchidas no presente quadro as colunas respectivas. 



SITUAÇÃO CULTURAL 



— 111 — 



EDUCAÇÃO" 1932 / 1934 



/ - Ensino em Geral 
5. Freqiiencia 



Especificação 



Resultados 



19 3 2 193 3 



1934 



DISCRIMINAÇÃO 



Segundo o 6exo < 



Segundo a dependência , 
administrativa do ensino ' 



Segundo a natureza 
do ensino 



Segundo o tipo do 
ensino 



Segundo o grau do 
ensino 



Segundo a padroniza- ( 
ção do ensino y 



Segundo o destino 
do ensino 



Segundo as categorias 
do ensino 



Sexo masculino 
Sexo feminino 



Federal 
Ensino público ■{ Estadual 
Municipal 



Ensino particular 



Ensino comum . 
Ensino supletivo 
Ensino emendativo 



Ensino geral 

Ensino semi-especializado 

Ensino especializado . 



Ensino elementar 

Ensino secundário ou médio 

Ensino superior 



Ensino oficial ou oficializado 
Ensino livre 



Ensino civil 
Ensino militar 



Ensino primário 
Ensino secundário 
Ensino doméstico 
Ensino técnico industrial 
Ensino comercial 
Ensino artístico. 
Ensino magisterial . 
Ensino superior 
Outros ensinos . 



9.854 
7.122 



64 
11.007 
2.996 



16 401 
75 



I 1 16.126 
350 



15.775 
652 
49 



14.215 
2.261 



15.703 
411 



9.313 
7.312 



82 
10.637 
3.866 



16.355 
270 



16.100 
475 
50 



15.889 
673 



14.886 
1.739 



15.741 
359 
42 
82 



70 
9.823 
5.467 



18.257 
460 



17.919 
614 
184 



872 
52 



15.852 
2.865 



14 
70 
19 
71 
449 



— 112 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



E D U C A Ç A O -1932/1934 

/ — Ensino em geral 
6. Aprovações em geral 



Especificação 



Resultados 



1932 1933 



DISCRIMINAÇÃO 

a , í Sexo masculino 

Segundo o sexo <J gexo feminJno 



Segundo a dependência \ Ensino público < Estadual 
adminiitrativa do l Municipal 

Ensino particular 



^oVnsiní™ \ i-in^upleZõ : 
do ensino 1 Ensm0 ex £ enàlLtivo . . 



o o tipo 
do ensino 



Segundo o grau 
do ensino 



Ensino geral . . . 
Ensino semi-especializado . 
Ensino especializado . 



Ensino elementar 

Ensino secundário ou médio 

Ensino superior 



Segundo a padroniza- í E; 
ção do ensino | E 



Ensino oficial ou oficializado 
Ensino livre 



Segundo o destino 
do ensino 



í E 

i ■ 



Ensino civil 
Ensino 'militar 



Segundo as categorias 
do ensino 



Ensino primário 
Ensino secundário 
Ensino doméstico 
Ensino técnico industrial 
Ensino comercial 
Ensino artístico 
Ensino magisterial 
Ensino superior 
Outros ensinos . 



5.595 

24 
6.395 
3.355 

2.486 
11.894 



11.590 
573 

97 



11.430 
780 
50 



10.264 
1.996 



12.260 



2 

24 
19 
4 

456 
50 
115 



NOTA — Deixam de ser preenchidas as colunas referentes ás aprovações em geral em 1932 e 1933, 
por não ter sido possível levar a termo a apuração relativa ao primeiro dos citados anos e por se refe- 
rirem apenas ao ensino primário os resultados obtidos em 1933. 



SITUAÇÃO CULTURAL 



— 113 — 



EDUCAÇÃO 1932/1934 

/ — Ensino em Geral 
7. Conclusões de curso 



Especificação 



Resultados 



1932 



1933 



TOTAL 



DISCRIMINAÇÃO 



Segundo o sexo < 

Segundo a dependência j 
administrativa do ensinou 



Segundo a natureza 
do ensino 



Segundo o tipo do 
ensino 



Sexo masculino 
Sexo feminino 



í Federal 
Ensino público < Estadual 

( Municipal . 



Ensino particular 



Ensino comum . 
Ensino supletivo 



o grau do j 
sino | 



Segundo a padroniza- / 
ção do ensino | 



Segundo o destino 
do ensino 



Segundo as categorias 
do 



Ensino geral 

Ensino semi-especializado . 

Ensino especializado . 



Ensino elementar 

Ensino secundário ou médio 

Ensino superior 



Ensino oficial ou oficializada 
Ensino livre 



Ensino civil 
Ensino militar 



Ensino primário 

Ensino secundário 

Ensino doméstico 

Ensino técnico industrial 

Ensino comercial 

Ensino artístico. 

Ensino magisterial 

Ensino superior 

Outros ensinos . 



856 



413 
443 



597 
142 



117 



855 
1 



784 
72 



753 

89 
14 



782 
74 



753 
31 



587 



420 
504 



.102 

81 



)90 1.199 

85 117 

11 - 



969 946 

217 370 



1.087 
15 



114 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



EDUCAÇÃO- 1932 / 1934 



II— Ensino primário geral (comum e supletivo) 
1. Estabelecimentos escolares 



Especificaçã 



Resultados 



1932 



1933 



1934 



Estabelecimentos que ministram ensino primário geral : 



I Federais 
Públicos \ Estaduais 
I Municipais 



Particu- 
lares 



Em geral . . . 

De ensino gratuito . 



Sendo • 



Subvenci- J 
onados j 



Pela União. 
'I Pelo Estado 



Pelos Municípios 



Soma geral 






Tendo simulta- 
neamente 
cursos 



I Pre-primáiio e fundamental 

< Fundamental e complementar 

I Pré-primário, fundamental e complementar 



c ; on -J Especiali-Í técnico, 
juntamente \ 2a( j ^ Pedagógico 



De outros ramoi 



Superior geral 



225 
94 



225 
94 
75 



216 
113 



13 
391 



215 
113 



173 

147 



171 
147 
73 



. 






SITUAÇÃO CULTURAL 



115 — 



E D U C A Ç À 0-1932/1934 

II — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
2. Prédios Escolares 



Especificação 



Resultados 



1932 



Da SDÍãO íeaerais . 

Estaduais ou municipais 

Em que funcionaram*! Particulares 
organizações esco- j 

lares Soma . 

DO Estado Estaduais . 

federais ou municipais 

Em que funcionarams Particulares 
organizações esco- I 

lares Soma 

DOS Municípios Municipais . . 

1 Federais ou estaduais . 

\ Em que f uncionarams Particulares 
organizações esco- I 

lares I Soma . 



De particulares 

Em que fuocionaram 
organizações esco- 
lares 



Em (oral " 

Em relação as enti- 
dades mantenedoras; 



Particu- 
lares 



A título gratuito 
A título oneroso 

Da mesma entidade proprietária 

08 Olta / A título gratuito 
\ A título oneroso 



Soma 



colares que nelas 
funcionaram 



Próprios 



Cedfe . 
gratuitamente 



Arrendados 



Públicos . 
Particulares 

Para escolas públicas . 
Para escolas particulares 

Para escolas públicas . 
Para escolas particulares 



300 
52 



23 
375 



2 

346 



— lia 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



E D U CAÇA O — 1932/1934 

II— Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
3. Aparelhamento escolar 





E s p e c i 










R 


esultadc 


s 






f i c a ç ã e 


Anos 


Ensino 
federal 


Ensino 
estadual 


Ensino 

municipal 


Ensino 

particular 


TOTAL 




a 


Para os professores . . 


t 


1932 
1933 
1934 




6 
5 
11 


- 


3 
6 
13 


9 
11 
24 




Bibliotecas • 








. 














Para os alunos . . . 


:! 


1932 
1933 
1934 




5 
4 
6 


. 


i 

9 


l 

15 




Museus . . 




1 


1932 
1933 
1934 


- 


- 




- 


- 




Laboratórios e 


gabinetes 


] 


1932 
1933 
1934 


- 


_ 
I 


— . 


1 
3 


1 
3 


Estabeleci- 
mentos j 
que \ 
possuíam 




ProjeçÔes 
luminosas 


Fixas . . 


■! 


1932 
1933 
1934 


- 


1 
1 


~ 


1 


1 
2 








Animadas . 


•i 


1932 
1933 
1934 


= 


.- 


l 


1 
1 


1 
2 




, Aparelha- 
mento 
especial para: 


Trabalhos práticos de 
agricultura 


\ 


1932 
1933 
1934 
















Outros trabalhos naturais 


! 


1932 
1933 
1934 


= 


2 
2 
2 


l 


3 
6 
10 


5 
8 
13 




s 


Educação física 


í 


1932 
1933 
1934 




1 
1 
2 


~ 


2 
5 
9 


3 
6 
11 



SITUAÇÃO CULTURAL 



117 



E D U C A Ç À O -1932/1934 

II — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
4. Instituições escolares 



. 




R 


emltado 


• 


Especificação 


Anos 


Ensino 
federal 


Ensino- Ensino Ensino | TflT .. 
es!adual manieipa! particular] . "• 



Estabeleci- 
mentos que -^ 
possuíam 


Instituições 

intra-escola- • 

res 

Instituições 
peri-escolares 


Clubes de leitura . . . .« 

Auditórios ■l 

Pelotões de saúde . . .\ 
Organizações de escotismo-? 
Clubes desportivos . . .) 
Ligas de bondade . . .<' 
Diversas < 

Associações de pais e < 
professores J 

Conselhos escolares . . ./ 

Caixas escolares . . . .} 

Fundos escolares . . . .< 

Diversas < 


1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 

1932 
1933 
1934 


— 
— 


1 

— 

! 

1 

13 
16 
17 

9 
8 
13 


- 

— 
_ 

z 

- 

1 

1 

1 
1 


1 

1 
2 

1 
1 

1 
1 
1 


1 
1 
3 

1 
1 

1 
1 

1 

1 
1 

1 

14 
17 
17 

10 
9 
13 

_ 



118 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



EDUCAÇÃO- 1932/1934 



Ensino Primário Geral (Comum e. Supletivo) 
8. Unidades escolares 



Especific 



Resultados 



1932 



1933 



19 34 



Segundo a depen- 
dência adminis- < 
trativa 



Públicas 



Particulares. 



t Federais 
< Estaduais 
( Municipais 



225 
94 



216 
113 



173 

147 



^doa^ S££J. 

lizaçao S Rurftis 



Segundo o tipo 



Segundo as con- 
dições de fun- 
cionamento 



Segundo os 
tumos 



Segundo o custo _| 
do ensino 



Grupos escolares . 
Escolas agrupadas 
Escolas singulares 



Funcionando 



em um s 
turno 



k outras 

4 Instituições não 



Pela manha 
Durante o dia 
A' tarde 



94 
156 



24 

1 

371 



Funcionando \ feia manha e durante o dia 

em dois \ Durante o dia e á tarde 
turnos ' Pela manhã e á tarde . 



Funcionando em três turnos 



2 

382 
5 



De matrícula gratuita 
De matrícula remunerada 



327 

68 



103 

117 



31 
371 



SITUAÇÃO CULTURAL 



119 



E D U C A Ç À — 1932/1934 

II — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
5. Unidades escolares 



specificaçãe 



Reitiltadoí 




Segundo 
natureza do 
ensino 



Do ensino / Maternal 
pré-primário \ Infantil 



De ensino fun- / Comum 



damental 



Supletivo 



Segundo o sexo 
dos alunos 



complementar \ Vocacional 



De 1 ano ou período . 
De 2 anos ou períodos 
De 3 anos ou períodos 
De 4 anos ou perídoos 
De 5 anos ou períodos 



Masculinas 
Femininas 
Mixtas 



Segundo alidade) £ ara cr j an « as 4 
dos alunos \ £ ara adolescentes 
Para adultos 



Segundo o sexo 

e a especialização^ 

pedagógica dos 

diretores 



Dirigidas por homens 
Dirigidas por mulheres 



Dirigidas por normalistas . 
Dirigidas por não normalistas 



120 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



E OU CAÇÃO- 1932/1934 



II — Ensino primário geral (comum e supletivo) 
6. Turnos 



specificação 



e sal ta d o i 



1932 



1933 



Segundo a 
dependência 
administrati- 



Federais 



Municipais 



Segundo a \ Na zona urbana . 
localização j Na zona distrital . 
f Na zona rural 



Segundo o 
tipo 



Segundo 
Turnos que condições de 
funcionaram / funcionamen- < 
nas unidades V to 



Segundo a. 
do 



Grupos escolares . 
Escolas agrupadas . 
Escolas singulares . 



A outras unidades 
escolares . 



A instituições não 
didáticas . 



De ensino / Maternal 

pré-primário \ Infantil . 

De ensino / Comum 

fundamental l Supletivo 



De ensino / Pré-vocacional 
e6IDpleiD5Dlar l Vocacional . 



iv g ^Í° 2 I Masculinas 

sexos dos alu- 1 Feminina8 

nos a que se 1 Mintas 

destinam ■ ''"'" 



Segundo o í £ ela manhã 
horário \ Durante o du 
I A' tarde . 



1 
} 20 



9 

887 

7 



222 
114 



382 

7 



NOTA — Figuram em branco, na presente "separata", todas as discriminações cuja totalização pa- 
o Brasil não foi possível por deficiência de informação de algumas Unidades Políticas. 



SITUAÇÃO CULTURAL 



121 



E DU CAÇÀO- 1932/1934 

// — Ensino primário geral (comum e supletivo) 
7. Classes 



Especificação 



Resultados 



1932 



1933 



1934 



Turnos que 

funcionaram / 

nas unidades V 

escolares 



P TOTAL 



Segundo a 
dependência 
administrati- 



Segundo a 
localização 



Segundo o 
tipo 



Segundo as 
condições de 
funcionamen- 



Segundo a 

natureza do 

ensino 



Segundo os 
sexos dos alu- 
nos a que se 
destinam 



Federais 

Estaduais 

Municipais 



Particulares 



Na zona urbana 
Na zona distrital 
Na zona 'rural 



Grupos escolares 
Escolas agrupadas 
Escolas singulares 



A outras unidades 
escolares . 



A instituições não 
didáticas . 



De ensino / Maternal 
pré-primário \ Infantil. 



De ensino / Comum 
fundamental X Supletivo 



De ensino / Pré-vocacional 
V Vocacional . 



Masculinas 
Femininas 
Mixtas 



Is 



NOTA — Vide nota do quadro 6. 



122 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



EDUCAÇÃO- 1932/1934 



11 — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
8. Pessoal docente 











R e s 


u 1 t a 


d s 






Especificação 


19 3 2 




19 3 3 






19 3 4 






Sexo mas- 
culino 


Sexo fe- 
minino 


Tolal 


Sexo mas- 
culino 


Sexo fe- 
minino 


Total 


Sexo mas- 
culino 


Sexo ie- 
minino 


Total 


TOTAL 


182 


379 


561 


207 


418 


625 


232 


488 


720 


1 *£" tei : • 

Segundo a de- P [Municipal . 
pendência ad-< V 
ministrativa 1 


99 
46 


237 

64 


336 
110 


99 
82 


280 
58 


379 . 

140 


94 

95 


277 

81 


371 
177 


I No ensino particular . . '-. 


37 


78 


115 


26 


80 


106 


42 


130 


172 


i Nos estabelecimentos 
i urbanos 


75 


233 


308 


81 


313 


394 


96 


390 


486 


Segundo a lo- 1 
calização das / Nos estabelecimentos 

unidades es- j distritais 

colares j 


36 


61 


97 


- 
42 


58 


100 


•57' 


59 


116. 


I Nos estabelecimentos 
\ rurais 


71 


85 


156 


84 


47. 


131 


| 79 


39 


118 


/ No ensino \ Maternal . . 
1 pré-primário j Infantil . . 


= 


8 


■ 
8 




6 


~ 6 


z 


9 


9 


* Sft^J No ensino J Comum . . 
ensTno S fundamental ) Supletivo . . 


167 
1 


331 


498 
1 


191 
3 


353 
2 


544 
5 


214 


408 


622 


' No ensino j Pré-vocacion. 
1 COmpiSISOntar | Vocacional 


}» 


40 


54 


13 


57 


'0 


U 


70 


79 


espS d ;açL^ Noimalist - 

; p P ed C a g 6gir) Nâ0 ™ listas • • ■ • 


11 
171 


147 
232 


158 
403 


17 
190 


231 

187 


248 
377 


18 
214 


272 
216 


290 
430 


Segundo a ) Catedráticos 

categoria ^Auxiliares 


182 


370 
9 


552 
9 


198 
9 


372 
46 


570 
55 


220 

12 


421 
67 


641 
79 



SITUAÇÃO CU LTURAL 



— 123 



£ D U C A Ç À O -1932/1934 

// — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
9. Matrícula geral 





ecificaçãe 


Resultados 


E s p 


19 3 2 


19 3 3 , 19 3 4 




Sexo Sexo 
masculino feminino 


Total 


Sexo Sexo 
masculino feminino 


Total 


1 Sexo 
jmascuiino 


Sexo 
feminino 


Total 




' TOTAL 


12.252 


9.491 


21.74Í 


I 
1 
i 

1 12.967 


9.9S9 


22.956 


! 

j 13.637 


11.090 


24.727 


Em geral • 


/Em unidades 

I escolares mas- 

1 culinas ou fe- 

Sendo ] millin as . . 


2.644 


2.203 


4.847 


| 3.584 


2.680 


6.264 


i 

i 3.504 


2.738 


6.242 




1 Em unidades 
1 escolares mix- 

\tas . . - . . 


9.608 


7.28É 


16.896 


9.383 


7.309 


16.692 


! 10.133 


8.352 


18.485 


Segundo a 
dependência 


xt„ „„ •-,„ 1 Federal . . 

N °*E° ^Estadual . . 

P úbllC0 1 Municipal. . 


7.861 
2.852 


6.579 
1.629 


-■ 
14.440 
4.481 


8.870 
3.081 


6.891 
2.149 


15.761 
5.23C 


7.658 
4.372 


6.565 
2.912 


14.223 

7.284 


va das uni- 
dades esco- 
lares 
























No ensino particular . . . 


1.539 


1.283 


2.822 


1.016 


94S 


1.965 


1.607 


1.613 


3.220 


Segundo a lo- 
calização das 
unidades ' 
escolares 


Na zona urbana . . . . 
Na zona distrital . . . . 
Na zona rural . . . ■ . . 


5.767 
2.482 
4.003 


5.294 
1.887 
2.3K 


11.061 
4.368 
6.313 


6.768 
2.8C2 
3.387 


5.711 

2.128 
2.150 


12.479 
4.936 
5.547 


7.326 
3.040 
3.271 


6.757 

2.382 
1.951 


14.083 
5.422 
5.222 




' No ensino /Maternal . . 
pré-primário | Infantil . . 


68 


68 


136 


37 


73 


110 


43 


80 


133 


Segundo a 

natureza do < 

ensino 


No ensino 1 Comum . . 
fundamental j Supletivo . . 


12.003 
81 


9.198 


21.201 
81 


473 


9.599 
20 


21.876 
493 


12.898 
572 


10.622 
24 


23.520 
596 




No ensino /PrHOCaCÍOnal . . 
. Complementar \ Vocacional . 


[ 100 


225 


325j 


180 


297 


477 


j 124 


354 


478 



124 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 






E D U C A Ç À O -1932/1934 

// — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
10. Matrícula efetiva 





ecificaçãe 


Resultados 


E s p 




19 3 2 


19 3 3 


19 3 4 




Sexo 

masculino 


Sexo 
feminino 


Total 


Sexo 

masculino 


Sexo 

feminino 


Tolal 


Sexo 
masculino 


Sexo 

feminino 


Total 




' TOTAL 


11.165 


8.556 


li 

19.721 11.944 


9.398 


21.342 


12.401 


10.136 


22.537 


Em geral < 


/Em unidades 

1 escolares mas- 

1 culinas Ou fe- 

Sendo pai™ 3 . • ■ 


2.410 


1.999 


4.409 


3.357 


2.560 


5.917 


3.224 


2.508 


5.732 




|Em unidades 
I escolares mix- 

\tas . . . . 


8.755 


6.557 


15.312 


8.587 


6.838 


15.425 


9.177 


7.628 


16.805 


Segundo a 
dependência 
administrai.!- _ 
va das uni- 
dades esco- 
lares 


N ^f ° ISSai : : 

P úbhco (Municipal. . 


7.232 
2.472 


5.932 
1.399 




13.164 
3.871 


8.096 
2.856 


• 6.468 
1.999 


14.564 
4.855 


6,797 
4.067 


5.823 
2.754 


12.620 
6.821 




No ensino particular . ... . 


1.461 


1.225 


2.686 


992 


931 


1.923 


1.537 


•1.559 


3.096 


Segundo a lo- 
calização das 
unidades 
escolares 


Na zona urbana .... 
Na zona distrital . . . . 
Na zona rural 


5.346 
2.205 
3.614 


4.836 
1.665 
2.055 


10.182 
3.870 
5.669 


6.167 
2.641 
3.136 


5.375 
2.024 
1.999 


11.542 
4.665 
5.135 


6.559 
2.779 
3.063 


6.058 
2.221 
1.857 


12.617 
5.000 
4.920 




No ensino f Maternal . . 
pré-primário | Infantil . . 


66 


59 


- 
125 


87 


69 


106 


43 


86 


129 


Segundo a 
natureza do < 
, ensino 


No ensino J Comum . . 
fundamental ) Supletivo . . 


10.926 
77 


8.277 


19.203 

77 


11.414 
324 


9.024 
20 


20.438 
344 


11.707 
527 


9.672 
24 


21.379 
551 




No ensino J Pl'8-Y0eaeÍ0naJ . . 
Mplsnientar \Vocacional . 


| 96 


220 


316 


169 


285 


454 


j 124 


354 


478 



SITUAÇÃO CULTURAL 



125 



E D U C A Ç Â 0-1932/1934 

II — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
11. Freqiiencia média 





ecificaçãe 


Resultados 


E s p 


19 3 2 


19 3 3 


19 3 4 




Sexo Sexo 
masculino feminino 


Total 


Sexo 

masciilinc 


Sexo 
feminino 


Total 


Sexo 
maseulin 


Sexo 
feminino 


Total 




' TOTAL 


8.851 


6.852 


15.703 


8.799 


6.942 


15.741 


: 9.642 


7.886 


17.528 


Em geral < 


/Em unidades 

1 escolares mas- 

1 culinas ou fe- 

c . Imininas . . 
Sendo / 


1.940 


1.636 


3.576 


2.490 


2.009 


4.499 


2.804 


2.057 


4.361 




JEm unidades 
1 escolares mix- 
\tas . . . . 


6.911 


5.216 


12.127 


6.309 


4.933 


11.242 


7.338 


5.829 


13.167 


Segundo a 
dependência 
administrati- 


publlC0 | Municipal. . 


5.844 
1.907 


4.828 
1.073 


10.672 
2.980 


5.728 
2.2.70 


4.583 
1.589 


10.311 
3.859 


5.042 
3.310 


4.445 
2.136 


9.487 
5.446 


va das uni- 
dades esco- 
lares 
























No ensino particular. . . 


1.100 


951 


2.051 


801 


770 


1.571 


1.290 


1.305 


2.595 


Segundo a lo- 
calização das 
unidades 
escolares 


Na zona urbana .... 
Na zona distrital .... 
Na zona rural 


4.323 
1.758 
2.770 


3.889 
1.325 
1.638 


8.212 
3.083 
4.408 


4.605 
1.813 
2.381 


4.044 
1.437 
1.461 


8.649 
3.250 
3.842 


5.012 
2.105 
2.525 


4.761 
1.659 
1.466 


9.773 
3.764 
3.991 




No ensino ("Maternal . . 
pré-primário ^Infantil . . 


46 


42 


88 


35 


51 


"■ 


33 


66 


99 


Segundo a 

natureza do < 

ensino 


No ensino j Comum . . 
fundamental | Supletivo . . 


8.667 
63 


6.630 


15.297 
63 


8.381 
244 


6.621 
18 


15.002 
262 


9.171 
331 


7.486 
20 


16.657 
351 




No ensino í PfHOeacional . . 

, eomplementar \Vocacionai . 


f » 


180 


1 
255| 


139 


252 


391 


| 107 


314 


421 



126 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



E D U C A Ç Ã O -1932/1934 



11 — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
12. Aprovações em geral 







Resultados 


Especificação 


19 3 2 


19 3 3 


19 3 4 




Sexo mas- 
culino 


Sexo fe- 
minino 


Total 


Sexo mas- 
culino 


Sexo fe- 
minino 


Total 


Sexo mas- 
culino 


Sexo fe- 
minino 


Total 


TOTAL 








5.632 


4.470 


10.102 


6.135 


5.162 


11.297 


Segundo a de- 
pendência ad- 
ministrativa { 
das unidades 
escolares 


N ô a =° ta. • • 

P abhc ° 1 Municipal , 

No ensino particular . . . 








3.518 
1.582 

532 


2.084 
1.111 

555 


6.322 
2.693 

1.087 


3.268 
1.981 

886 


2.867 
1.354 

941 


6.135 
3.335 

1.827 


l Na zona urbana . . . . 








3.031 


2.691 


5.722 


3.399 


3.283 


6.682 


Segundo a lo- j 

cal ífSf odas Na zona distrital . . . . 
unidades es- | 

colares 1 








1.101 


832 


1.933 


1.273 


975 


2.248 


I Na zona rural . . . . . 








1.500 


947 


2.447 


1.463 


904 


2.3G7 


í No ensino J Maternal . . 
1 pré-primário j Infantil . . 








26 


44 


70 


28 


53 


81 


Segundo 1 
a natureza do ' No ensino J Comum . . 
ensino \ fundamental | Supletivo . . 








5.542 


4.225 


9.767 


5.775 
264 


4.842 

12 


10.617 
276 


1 No ensino complementar . . 








64 


201 


265 


68 


255 


323 



NOTAS — I. Não tendo sido previsto no plano estabelecido pelo Convénio Estatístico de 1931, o 
computo das "promoções" em unidades escolares exclusivamente destinadas ao sexo masculino ou ao sexo fe- 
minino deixam de figurar neste quadro — cujos registros representam a soma das "promoções" e "conclusões" 
— as discriminações respectivas, constantes dos quadros referentes á matrícula, frequência e conclusões de 
curso. II. Vide nota inserta no quadro 6. 



SITUAÇÃO CULTURAL 



— 127 — 



Ê D U C A Ç Ã O -1932/1934 

77 — Ensino Primário Geral (Comum e Supletivo) 
13. Conclusões de curso 





ecificaçãc 








Resulte 


dos 








E s p 


1 9 S2 




19 3 3 




1 


19 3 4 






Sexo 
mascoliao 


Sexo 
feminino 


Total 


Sexo 

masculino 


Sexo 


Total 


Sexo 
maseuifno 


Sexo 
feminino 


Total 




' TOTAL 


372 


381 


753 


558 


529 


1.087 


615 


488 


1.103 


Em geral < 


/Em unidades 
1 escolares mas- 
1 culinas ou fe- 

j Imininas . 

Sendo / 


72 


109 


181 


8, 


149 


236 


92 


125 


217 




IEm unidades 
I escolares mix- 

\tas . . . 


800 


272 


572 


471 


380 


851 


523 


363 


886 


Segundo a 
dependência 
administrati- 
va das uni- 
dades esco- 
lares 


No u e b r o Í£Sai : • 

P úbllC0 [Municipal. 


267 
80 


281 
62 


548 
142 


— 
181 
297 


201 
207 


382 
504 


125 


221 

101 


609 
226 




No ensino particular . . . 


25 


38 


63 


80 


121 


201 


102 


166 


268 


Segundo a lo- 
calização das 
unidades 
escolares 


Na zona urbana . . . . 
Na zona distrital . . . . 
Na zona rural 


219 
76 

77 


233 

77 
71 


452 
153 

148 


240 
80 
238 


310 

57 
162 


550 
137 

400 


538 
5 

72 


428 
9 

51 


966 
14 
123 




No ensino JMaternal . . 
pré-primário | Infantil . . 


5 


6 


"> 


9 


7 


16 


10 


10 


20 


Segundo a 

natureza do < 

ensino 


No ensino j Comum . . 
fundamental j Supletivo . . 


359 
1 


340 


699 
1 


523 


436 


959 


317 

264 


350 
12 


667 
276 




No ensino í Pre-Yoeacíonal • . 
complementar \Vocacionai . 


\ 1 


35 


42 


26 


86 


112 


| 24 


116 


140 



— 128 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



BIBLIOTECAS -1934/1935 

Número de instituições e efetivos bibliográficos 



Especificação 



numéricos 



LEVANTAMENTO 
DE 1934 

Instituições 
informantes 



LEVANTAMENTO 
DE 1935 



Instituições 
informantes 



Franquiadas 
ao público 



Privativas de 
serviços pú- 



blicos 



Privativas de j 
corporações < 
particulares I 

Privativas de í 

educandários < 

(D 1 



Total geral 



Número de ins- 1 
tituições 1 



Efetivos bibli- / 
ográficos \ 



Número de ins- 
tituições 



Efetivos bibli- / 
ográficos \ 



Número de instituições . 

Efetivos bibli- / Volumes . 
ográficos V Peças avulsas 

Número de instituições . 

Efetivos bibli- ( Volumes . 
ográficos \ Peças avulsas 



Federais . 
Estaduais . 
Municipais 
Particulares 
Total. 

Volumes . 
Peças avulsas 

Federais . 
Estaduais . 
Municipais 
Total 

Volumes . 
Peças avulsas 



Número de instituições 

etivos bit 
ográficos 



Efetivos bibli- f Volumes . 

I Peça» avulsas 



{Federais . ■'.' 
Estaduais . 
Municipais 
Particulares . 
Total. . 

{Federais . . . 
Estaduais. 
Municipais 
■ 
Total. 

Privativas de corporações particulares 
Privativas de educandários (1) . 

Total geral. 



(1) — Não computadas as bibliotecas pertencentes a estabelecimentos de ensino primário, as quais 
:no objéto de inquérito especial. 



SITUAÇÃO CULTURAL 



129 



DIVERSÕES- 1934 

Teatros e outras casas de espetáculos 



specificaçã© 



Dados numéricos 



Número de esta- 
belecimentos 



Teatros 
Cine-teatros 
Cinemas . 
Total 



Teatros 
Cine-teatros 
Cinemas . 
Total 



DADOS DOS ESTABELECIMENTOS INFORMANTES 



Em frisas e camarotes 

Na plateia 

Em balcões 

Em varandas e galerias 



Total 



Segundo a cate- 
goria 



Pessoal administrativo 
Operadores cinematográficos . 
Maquinistas, eletricistas e operários 

Músicos 

De outras categorias 



431 
5.951 



Movimento anual< 



Segundo o sexo 



J Homens 
1 Mulheres 



Número de 
espectadores 



De óperas e operetas 
De dramas 

De comédias e sainetes 
De revistas 

De sessões cinematográfii 
De outros géneros . 
Total 



De óperas e operetas 
De dramas 

De comédias e sainetes . 
De revistas 

De sessões cinematográficas 
De outros géneros 
Total 



109 
4 



2.395 

8 

2.408 



470 
1.718 

318.408 

1.784 

322.380 



— 130 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



IMPRENSA PERIÓDICA 1934 



Periódicos arrolados, segundo a sede, a dependência administrativa 
e a tiragem média 



Especificação 



numéricos 



Número total 



Discriminação 



Segundo a 
sede 



Segundo a de- 
pendência 
administrativa 



Na Capital 
No Interior 



Da União . 
Do Estado . 
Dos Municípios 



Soma 



Particulares 



egundo a 
tiragem 
média 



Até 1.000 exemplares 

De 1.001 a 2.000 exemplares 

« 2.001 « 5.000 

« 5.001 « 10.000 

« 10.001 «20.000 

« 20.001 « 50.000 

« mais de 50.000 « 



Não declarada 



NOTA — O plano geral adotado pelo Instituto inclúe, em seguida a esta tabela, um qua- 
dro sobre rádio-difusâo cultural, o qual deixa de aparecer neste volume por serem negativas 
as informações referentes ao Estado. 



SITUAÇÃO CULTURAL 



131 



DESPESAS PÚBLICAS COM A ASSISTÊNCIA 
CULTURAL - 1932 / 1934 

/ — Discriminação, segundo as principais rubricas 



Especificação 


D e s p 


e s a s 












Federais 


Estaduais 


Municipais 


Total 


Em 


1932 




( Pessoal 

J Material 

Custeio < ge m especificação 


129:5328121 
19:6258700 




155:8888000 
104:7228000 
22:9008000 




\ Soma 


149:1578821 


1.369:3358000 


283:5108000 


1.802:0028821 


Subvenções e auxílios ... . . 


- 


14:3778000 


26:4458000 


40:8228000 


Total 


149:1578821 


1.383:7128000 


309:9558000 


1.842:8248821 


Em 1933 (2) 




( Pessoal . . . . 

1 Material 

Custeio < g em especificação 

t Soma 


187:5091000 
30:0988000 


1.414:7048000 
113:3208000 
22:5378000 


202:3128000 
83:4678000 
8:2718000 


1.804:5258000 
176:8858000 
30:8088000 


217:607$000 


1.550:5618000 


244:0508000 


2.012:2188000 


Subvenções e auxílios 


7:8698000 


39:8008000 


31:0288000 


78:6978000 


Total 


225:4768000 


1.590:3618000 


275:0788000 


2.090:9158000 


Em 1 


934 (3) 




í Pessoal 

1 Material 

Custeio < g em especificação . . . 


1 69:0998000 
22:6988000 


1.227:1068000 
83:8248000 
9:2888000 


288:4908000 
26:2678000 
7K6778000 


1.584:6958000 
132:7898000 
80:9658000 


1 Soma 


91:7978000 


1.320:2188000 


386:4348000 


1.798:4498000 


Subvenções e auxílios 


- 


39:3498000 


47:1638000 


86:5128000 


Total 


91:7978000 


1.359:5678000 


433:5978000 


1.884:9618000 



(1) — Não forneceram dados relativos ás despesas com a educação pública os seguintes municípios: 
Bôa Vista do Tocantins, Conceição, Couto Magalhães, Palma e São Domingos. — (2) Período financei- 
ro de 15 meses — I o . de Janeiro de 1933 a 31 de Março de 1934. — (3) Período financeiro de 9 meses — 
1°. de Abril a 31 de Dezembro de 1934. 



132 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



DESPESAS PÚBLICAS COM A ASSISTÊNCIA 
CULTURAL - 1932/1934 

7/ — Discriminação, segundo a finalidade 



s peei Meação 



Despesas 



Federais 



Estaduais Municipais 



Total 



Administração central, serviços gerais e ins- 
tituições culturais 



Ensino 



Primário geral . 
Secundário geral 
Outros ramos . 



Outras despesas 
Total . 



149:157$821 



1.383:7128000 



309:9558000 1.842:8248821 



Em 1933 (2) 



Administração central, serviços gerais e ins- 
tituições culturais 



{Primário geral . 
Secundário geral 
Outros ramos . 



Outras despesas 
Total . 



84:7668000 



132:8418000 

7: 



225:4768000 



22:5378000 

1.135:0008000 
246:8048000 
181:0208000 14:7498000 328:6108000 



229:3018800 1.364:3018000 
246:8048000 



5:0008000 31:0288000 43:8978000 



1.590:3618000 275:07880002.090:9158000 



Em 1934 (3) 



Administração central, serviços gerais e ins- 
tituições culturais . 



í Primário geral 
Ensino l Secundário geral 
t Outros ramos . 



Outras despesas 
Total . 



91:7978000 



246:2138000 
158:1168000 



2008000 



16:1008000 



366:7618000 1.306:0998000 
246:213*000 
19:4738000 

47:1638000 



1.359:5678000 433:5978000 



1.884:9618000 



(1) — Não forneceram dados relativos ás despesas com a educação pública os seguintes municípios: 
Bôa Vista do Tocantins, Conceição, Couto Magalhães, Palma e São Domingos. — (2) Período financei- 
ro de 15 meses — I o . de Janeiro de 1933 a 31 de Março de 1934. — (3) Período financeiro de 9 meses — 
I o . de Abril a 31 de Dezembro de 1934. 



SITUAÇÃO CULTURAL 



133 



CULTOS- 1933 / 1934 

/ — Culto católico 







Dados numéricos 


- 


1933 


1934 


Divisão 
eclesiástica 

Movimento 
religioso 


I Arquidioceses 

n ,„„ i- 1 Dioceses 

Grandes J p relazias ... . . 
circunscnçoes j PrefeiW 

1 Total . ... 

1 Paróquias ... 

Pequenas ) Curatos . ' 

circunscrições | Capelas curadas .... 
[ Total 

í Sexo masculino ..... 

Batizados \ Sexo feminino . . . ' . 

| Sem discriminação .... 

[ Total 


1 
l 
3 

5 

82 
1 

83 

2.361 
2.396 
15.547 
20.304 

3.513 


1 
1 
2 

4 , 

84 
1 

85 

2.689 
2.832 
15.953 
21.474 

3.911 




Extremas-unções 

,. Encomendações ........ 


759 
749 


923 
408 . 



// 


— Culto 


protestante 






E s p e c i f i 


c a ç ã c 




Dados numéricos 


19 3 3 


19 3 4 




12 

871 

64 
64 

m 


12 




967 




79 




97 


Conversões g en ° di^riminação '.'.'.'.'. '. '. 




\ Total 


176 



Batizados 



Sexo masculino 
Sexo feminino . 
Sem discriminação 
Total . 



Sexo masculino 
Consagrações \ Sexo feminino . 
fúnebres < Sem discriminação 

Total . 



51 
56 

107 

12 

2 



134 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



. SUICÍDIOS - 1934 

Número de ocorrências, por sexos 



Especificação 



Coeficiente de informações (%) 



Número de 
atentado» 



Sexo masculino . . . . . J 10 

Sexo feminino . . • . . . j 1 

il 

Total ' .' . ' 11 



{Sexo masculino 
Sexo feminino . 
Total 



Sexo masculino 
Sexo feminino . 
Total 






Relação 



Sexo masculino 
Sexo feminino . 
Total 



/ Sexo masculino 

Tentativa» de suicídio ' Sexo feminino . 

[ Total ..'■■■. 



Sexo masculino 
Sexo feminino . 
Total 



90,91 

9,09 

100,00 



90,91 

9,09 

100,00 



Sttuaçãa ttdfníaistratfoa e SWítica 



SITUAÇÃO ADMINISTRATIVA E POLÍTICA 



139 



FINANÇAS PÚBLICAS 

/ — Finanças Federais no Estado — 1936 
1. Receita arrecadada 



Títulos 



Importâncias 

(Contos de réis) 



Renda ordinária- 



Renda dos 
impostos 



Importação, entradas, saídas e estadia 
navios 

Imposto de consumo . 

Imposto sobre circulação . 

Imposto sobre a renda 

Imposto sobre loteria» .... 

Diversas rendas ..... 
Soma 



Rendas patrimoniais 

Rendas industriais 

Total 



Renda extraordinária . 
Renda com aplicação especial 

Total geral 



483 
527 
297 

37 
1.444 



598 
2.042 



2. Despesa efetuada 





Títulos 


Importâncias 

(Contos de réis) 


Ministérios < 


Fazenda ........... 

Justiça e Negócios Interiores 

Relações Exteriores 

Educação e Saúde Pública 

Trabalho, Indústria e Comércio 

Viação e Obras Públicas 

Marinha 

Guerra . . . . 

Agricultura 

Total 


1.422 
297 

139 

68 

1.354 

1 

208 




3.479 



NOTA — No balanço de 1936, não foram discriminadas por Estados as despesas dos Ministérios 
da Marinha e da Guerra, as quais só figuram nos lançamentos do Distrito Federal. 



— 140 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



FINANÇAS PÚBLICAS 



II — Finanças Estaduais 
1. Receita orçada — 1936/1937 



19 3 6 



9 3 7 



Contos de réis | 



I! Contos de réis 



RENDA DOS IMPOSTOS 



De exportação 

De indústrias e profissões 

De produção e consumo 

De transmissão de propriedade 

Imposto territorial. 

Imposto sobre a renda 

De selo . 

De viação e transporte 

De vendas mercantis 

Outros impostos 



TOTAL 



DIVERSAS RENDAS 



Renda industrial . 

Renda patrimonial. . . . , 

Renda extraordinária 

Dívida ativa . 

Contribuição do Governo Federal , 

Contribuição dos Municípios . 

Outras rendas . 



TOTAL 

TOTAL GERAL. 



532 
222 
925 



513 
54 



175 

1.216 

371 

341 



39,3 
5,7 
2,4 



3.777 
497 



613 
510 



77,5 



1,9 
13,0 
4.0 
3,6 



22,5' 
100,0 



183 

16 

1.527 

341 



40,5 
5,3 
1,4 
9,2 
6,6 

5,5 
1,0 



22,1 
100,0 



2. Despesa fixada — 1936 / 1937 




t i » « i . . « • 3 6 


19 3 7 


li Cantos de réis | % 


II Contos de réis 1 % 



Poder Executivo e Secretarias de Estado 

Poder Legislativo . 

Justiça e Magistratura . 

Defesa e Segurança Pública 

Instrução Pública . 

Saúde Pública e Assistência 

Obras Públicas e Viação 

Serviço da Dívida Externa 

Serviço da Dívida Interna Consolidada 

Serviço da Dívida. Flutuante 

Juros diversos ..... 

Exercícios findos, reposições e restituiçõei 

Arrecadação de Rendas . . 

Inativos 

Subvenções e auxílios . 

Desenvolvimento da produção e propaganda 

Outras despesas 



TOTAL 




SITUAÇÃO ADMINISTRATIVA E POLÍTICA 



141 



FINANÇAS PUBLICAS 



II — Finanças Estaduais 
3. Receita arrecadada e despesa efetuada — 1907 / 1936 



ANOS 



Receita 
arrecadada 

Contos de réis j 



Despesa 

efetuada 



Contos de réis 



1907 

1908 

19 9 

1910 

19 11. 


914 
978 
674 
881 
1.000 


987 

1.031 

973 

978 

1.280 


1912. 


1.084 


1.023 


1913 


1.340 


1.287 


1914 


1.093 


1.325 


19 15. 


1.037 


1.004 


19 16. 


1.567 


1.556 




1.056 


1.144 


índice 

1917 


100 
1.942 


100 
1.614 


19 18. . . . . 


2.308 


2.053 


19 19. 


2.866 




1920 


2 730 


2 804 


19 2 1. 


2.380 


3.046 


1922. .. 


3.097 


2.613 


1923. 


3.890 


3.036 


19 2 4 

19 2 5 


4.321 


3.554 
5.473 




3.885 
3.276 


5.459 
3.130 


índice . . 


310 


274 


1928. . . 


5.704 


5.296 








19 3 






1931 




5.816 


1932 


5.418 


6.076 


1933 




7.870 


19 34 


7.985 


8.378 


1936 


11.136 


10.047 
10.669 


Média 


6.803 


7.125 


índice 


644 


623 



142 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



F1WANÇAS PUBLICAS 

III — Finanças Municipais — 1907 / 1936 
Receita arrecadada e despesa efetuada 



ANOS 



Receita 
arrecadada 



Contos de réis 



19 7. 

19 8. 

19 9. 

19 10. 

19 11. 

19 12. 

19 13. 

19 14. 

19 15. 
1916. 

Média 

índice 



19 17 

19 18 

19 19 

19 2 

19 2 1 

19 2 2 

19 2 3 

19 2 4 

19 2 5 

19 2 6 



Média 
índice 



19 2 7 . 

19 2 8 . 

19 2 9 . 

19 3 . 

19 3 1 . 

19 3 2 . 

19 3 3 . 

19 3 4 . 

19 3 5 . 
1 9 3 6(1) 



Média 
índice 



245 
314 
318 
375 
378 
443 
472 
499 
435 
456 



807 
833 
768 
1.063 
1.147 
1.257 
1.401 

902 

229 



1.548 
2.036 
2.065 
2.082 
2.524 
2.632 
2.891 
3.118 
3.217 
3.905 

2.602 

060 



(1) — Dados sujeitos a ratificação. 



SITUAÇÃO ADMINISTRATIVA E POLÍTICA 



143 — 



FINANÇAS PÚBLICAS 



IV— Finanças federais, estaduais e municipais (resumo) — 1935 
Receita arrecadada e despesa efetuada 



Especificação 



Receita 



Despesa 



Contos de réis 



Por 100 do total 



Por habitante 



Contos 



Por 100 do total 



Por Km2. 



Por habitante 



Í União , 
Estado . 
Municípios 

[ Total . 

( União . 
Estado . 
<J Municípios 

l Total . 

r União . 
Estado . 
-: Municípios 

[ Total 

Í União . 
Estado . 
-v Municípios 

l Total . 

União . 
Estado . 
Municípios 

Total . 

( União . 
V Estado . 

<^ Municípios 

( Total . 

/ União . 
\ Estado . 

/ Municípios 

( Total . 

União . 
Estado . 
Municípios 

Total . 



— 144 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



SEGURANÇA PÚBLICA — 1935 

Polícia Militar 



Especificação 



Dados numéricos 



completo Estado efetivo 



Composição dos efetivos 
segundo os quadros * 



Praças 



Composição dos efetivos 

segundo as categorias 

e os postos 



Praças 
Total 



Estado Maior. 
Infantaria 
Cavalaria 
Saúde . . 
Diversos serviços 



Soma 



Estado Maior. 
Infantaria 
Cavalaria 
Saúde . 
Diversos serviços 



Soma 



Estado Maior. 
Infantaria 
Cavalaria 
Saúde . 
Diversos serviços 

Soma 



Coronéis . 
Tenentes Coronéis 
Majores . 
Capitães . 
Primeiros Tenentes 
Segundos Tenentes 



706 
1 



NOTA — O plano geral adotado pelo Instituto inclue, em seguida, a este quadro, três tabelas so- 
bre "Guarda Civil", "Inspetoria de Veículos" e "Bombeiros", as quais deixam de aparecer neste volume 
por serem negativas as informações referentes ao Estado. 



SITUAÇÃO ADMINISTRATIVA E POLÍTICA 



145 



REPRESSÃO 

/ — Prisões existentes — 1936 



E s p e c i f 



cação 



■ 



Gados numéricos 



Número 
de prisões 
existentes 



/ Penitenciárias . 
' Casas de Correção . 

Casas de Detenção . 

Presídios . 

4 Manicômios judiciários 
Colónias correcionais 
Escolas de reforma . 
Reformatórios agrícolas 
Presídios militares . 

Total 



II— Número de condenados existentes em 30 de Junho de 1934 


Especificação 


Dados numéricos 



Número de 
condenados 
existentes 



f Total 



Segundo o 
Tórgão da 
condenação 



Segundo o sexo<^ 



Segundo as 
idades 



Segundo as 
infrações 



Segundo as 



Pela justiça / 
civil V 



Federal 
Local . 



Pela justiça militar . 

A^„u„„ ( Homens 
Adultos { Mulheres 

Menores de 20 a 18 anos (sem espeeiíicaçío) 

De 18 a 20 anos 

De 21 a 30 anos 

De 31 a 50 anos 

De mais de 50 anos .... 
Não declarada 

Homicídios e tentativas de homicídio 
Lesões corporais . . . . 

Latrocínio 

Furto 

Roubo . . 

Violência carnal 

Outras e não especificadas . 

Até 1 ano 

Mais de 1 a menos de 4 

De 4 anos a menos de 6 . . 

Ee 6 anos a menos de 10 

De 10 anos a menos de 20 . 

De 20 anos e mais 

Não declarada . . . 



146 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



REPRESENTAÇÃO POLÍTICA 

/ — Eleição do Poder Legislativo da União — 1934 (14 — X) 



Especificação 



População calculada em 31— XII— 1933 (a) . 

Número de eleitores (b) 

, 100 b 
Coeficiente 



Eleitorado inscrito em 
31-VIIÍ-1934 



Comparecimento 



Número de votantes (c) 
I Coeficiente [ ] 



II — Constituição do Poder Legislativo — 1937 



Especificação 



numéricos 



Poder Legislativo Federal < 


Senadores . ... .'..'. 
Deputados . . . .""•■.. . . 


2 

4 




Deputados Gerais (representantes do povo) 


24 


Poder Legislativo Estadual < 


Deputados Classistas (representantes das orga- 
nizações profissionais) 


3 




Total . . . . . . .:" , 


27 



Apêndice 



APÊNDICE 



151 



O ESTADO E BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificação 



Resultados numéricos 



Do Brasil Do Estado 



Relação % dos re- 
sultados do Estado 
sabre os do Brasil 



Situação fíiíca 



Distàneias entre as í Direção N.—S 
linbas extremas \ 

(Km.) I Direção L.— O. 



Extensão da linha divisória (Km.) 
Total . 



A'rea territo- 
rial (Kim.) 



Cenozóica 



Segundo as 
eras geoló- 
gicas 



Segundo as 
bacias hidro- 
gráficas 



Segundo o 

revestimento 

florístico 



Paleozóica . 
Proterozóica 
Arqueozóica . 
Indeterminada 



Do Amazonas . 
Do Nordeste 
Do São Francisco 
Do Leste . 
Do Paraguai 
Do Paraná 
Do Uruguai 
Do Suleste 



Matas 
Cerrados . 
Caatingas . 
Vegetação litorânea 
Campos 

Campos inundáveis 
Pantanais . 
Outras áreas 



Energia hidráulica (H. P.) 

Rede meteorológica e hidrométrica federal — Número de estações (1936) 



Divisão ter- 
ritorial 
(31-XII-936] 



Judici- 
árias 



Número 
de 
circunscri- 
ções 



{ 



Comarcas 
Termos . 
Distritos . 



Adminís- J cípi 

trativas 



Í M . ("Tendo por sede cidades 
m y^-\ Tendo por sede vilas . 
cinios I o, f_ , 



iDist 



4.317,8 

4.334,3 

20.129 

8.511.189 



2.156.265 

1.459.341 

933.444 

309.377 

2.755.018 

897.744 

4.819.819 
886.581 
580.757 
607.505 
352.300 
903.293 
158.351 
202.583 

5.325.433 
1.272.146 
669.262 
143.674 
805.433 
133.709 
126.201 
35.331 

19.516.750 
924 

778 
1.231 
5.033 

1.044 
434 

1.478 



5.094 
660.193 



44.800 
118.320 

27.040 
145.280 
324.753 

525.813 



134.380 



251.! 
248.336 1 
68.783 

80.177 
2.951 
8.437 



1.110.200 
12 

27! 
55| 
163 

33 
22 
55 

163 



NOTA : — Veja-se no texto a significação precisa das estatísticas resumidas neste 
apêndice. 



152 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



O ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificaçãc 



Do Brasil Do Estado 



Relação % dos re- 
sultados do Estado 
sobre os do Brasil 



Divisão 

territorial 

(31-XII-936) 

(concl) 



População em 
31-X1I-936 < 



A'rea média 
das circuns- 
crições 
(Knu) 



Judiciárias 



Comarcas . 
Termos. . 
Distritos . 

Municípios 
Distritos . 



Situação demográfica 



Média por 
circunscrição 



Registro Civil 
(1934) 



ão j 

1 Nascimentos < 



Divisão judiei 



Divisão 



aria< 



Comarcas 

Termos. 

Distritos 



{Municípios 
Distritos . 



Nascidos vivos . 
Nascidos mortos 
Total .... 



Casamentos 
0'bitos. , 



Entrada de imigrantes e trabalhadores encaminhados pelo Departa- 
mento Nacional do Trabalho (1936) . 



Situação económica 



Principais 
produtos da 
indústria ex- 
trativa mine- 
ral (1935) 



Quantidade 



Valor 

(Contos de 

réis) 



Aço (Ton.) 

Carvão (Ton.) 

Cimento (Ton.) .... 
Ferro gusa (Ton.). . . . 
Ferro laminado (Ton.) . . 
Manganês (Ton) .... 
Ouro (prod. das minas) (Gr.) 

Sal (Ton.) 

Total . 



Aço ...... 

Carvão 

Cimento 

Ferro gusa .... 
Ferro laminado . . 
Manganês .... 
Ouro (prod. das minas) 

Sal 

Total 



10.940 
6.914 
1.691 

5.759 
2.082 



54.492 
34.440 
8.423 



933.864 
29.677 
963.541 

136.556 
357.488 



64 
825 
366 
64 
52 
60 
3.712 
277 
1.710 



24.452 
12.004 
4.050 

12.004 
4.050 



28.001 
13.746 
4. 



15.267 

94 

15.361 

2.167 
2.6;7: 



APÊNDICE 



— 153 



O ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 





E s p c c i f 1 




Resultados numéricos |fWa«» % te ri- 








oUlldlWS UU tSldUU 








lo Brasil 


Do Estado ! sobre os do Brasil 






í Babassú 


29.780 


1.058!. 3,55 






Borracha. 


16.288 






Castanha 


51.097 


_ \. 




Quantidade 1 


Cera de carnaúba . 


7.785 


— 1 — 




(Ton) 


Erva-mate . . 


83.545 


— i — 






Madeiras (1) . 


338.921 


1.058p 0,20 


Principais produ- 




1 Total .... 


527.416 


tos da indústria 










extrativa vegetal' 










(1935) 




Babassú 


12.708 


741 5,83 






Borracha I 


47.480 


— j 






Castanha. . 


71.842 


— 1 


— 




Valor 


Cera de Carnaúba . 


35.028 










(Contos de réis) 


Erva-mate .'.... 


42.885 


— ■ 


_ 






Madeiras 


69.818 


— 


— 






Total ■ 


279.761 


741 


0,26 



Principais produ- 
tos agrícolas < 
(1935) 



Quantidade 



Abacaxi (Frutos) . 

Açúcar (Sc. 60 Kg.) 

Aguardente (L ) 

Álcool (L.) 

Alfafa (Ton.) . 

Algodão (caroço de) (Ton.) 

Algodão (rama) (Ton.) . 

Arroz (Sc. 60 Kg ) . 

Aveia (Kg) . 

Banana (Cachos) . 

Batata (Ton ) . 

Cacau (Sc. 60 Kg). 

Café (Sc 60 Kg ) . 

Cana de açúcar (Ton.) . 

Centeio (Kg ) . 

Cevada (Kg) . 

Coco (Frutos). 

Farinha de mandioca (Si. 60 KQ.) 

Feijão (Sc. 60 Kg) 

Fumo (Kg) . 

Laranja (Caixas) . 

Mandioca (Ton ) . 

Milho (Sc. 60 Kg). 

Trigo (Kg.) . 

Uva (Kg) . 

Vinho (L) 



83.167.500 

19.250.700 

113.461.000 

52.059.300 

146.760 

693.714 

297.306 

22.779.500 

13.352.000 

72.488.800 

358.928 

2.118.600 

18-931.200 

16.680.570 

15.926.000 

9.733.000 

133.677.000 

15.357.800 

13.633.500 

101.814.700 

32.753.100 

4.541.000 

98.881.800 

145.130.000 

231.900.000 

76.220.000 



333.000 
273.700 
700.000 
20.000' ! 



675.000, 
1.600 



70.000 
327.700 



405.000 
400.000! 

1.420.000 
25.300j 
121.500 

3.520.000 



0,40 
1,42 
0,62 
0,40 



0,93 
0,45 



0,37 
1,96 



2,64 
2,93 
1,39 
0,07 
2,68 
3,56 






(1) — Os dados relativos á produção de madeiras referem-se apenas á exportação e comércio de cabotagem. 



154 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



O ESTADO E BRASIL 

Breve confronto estatístico 









Resultados namoricos 


Relação % dos re- 




Espicifi 


cação 














811113008 00 bSladO 








Do Brasil 


Do Estado 


sabre os do Brasil 






Abacaxi 


22.125 


67 


0,30 






Açúcar . 






707.913 


10.674 


1,51 






Aguardente , 






.79.435 


525 


0,66 






Álcool 






37.708 


18 


0,05 






Alfafa . 






32.114 


— 


_ 






Algodão (caroço de) 






242.786 


— 


— 






Algodão (rama) 






973.366 


— 


. — 






Arroz 






451.303 


19.958 


4,42 






Aveia 






4.540 


- 


— 






Banana . 






110.699 


878 


0,79 






Batata . 






136.299 


- 512 


0,38 


Principais pro- 
produtos agrícp- 
las (1935) ' 


Valor 
(Contos de réis) ' 


Cacau 

Café . . . 
Cana de açúcar 
Centeio . 






126.504 
1.588.835 

4.892 


4.620 


0,29 


(Concl.) 




Cevada . 






3.486 


_ 


_ 






Coco 






26.931 


— 


— 






Farinha de mandioca 






243.031 


4.860 


2,00 






Feijão . 






286.998 


7.200 
3.834 


2,51 






Fumo . . . 






158.031 


2,43 






Laranja . 






'382.052 


228 


0,06 






Mandioca 






— 


— 


— 






Milho 






1.112.418 


38.016 


3,42 






Trigo 






49.121 


— 


— 






Uva 






— 


— . 


— ■ 






Vinho 






48.296 


-. — 


— 




. 


Total . 






6.828.883 


91.309 


■ 1,34 






Bovino 


- 
40.513.900 


4.000.000 


9,87 






Equinos . 






6.051.700 


268.000 


4,43 




Kfetivo do gado 
existente 


Asininos e muares 






3.233.000 


106.000 


3,28 




Suínos 






23.182.500 


1.011.200 


4,36 




(Cab.) 


Caprinos ... 






5.871.300 


66.400 


1,18 




Lanígeros 




12.645.100 


100.000 


0,79 




. 


Total . 




Í91.497.500 


5.551.600 


6,07 


População pe- 










cuária 










(1935) 




i 










t Bovinos 4.906.024 


397.589 


8,10 






Equinos . 




i 871.667 


31.360 


3,60 




Valor do gado 
existente 


Asininos e muares 




ii 669.364 


29.564 


4,42 




Suínos . 




;: 777.792 


19.141 


2,46 




(Contos de réis) 


Caprinos . 




43.909 


490 


1,12 




Lanígeros . . 






127.377 


540 


0,42 




. 


\ Total . 






7.396.133 


478.684 


6,47 



APÊNDICE 



155 — 



O ESTADO Ê O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificação 



Besnltados numéricos 



Do Brasil Do Estado 



Relação % dos re- 
sultados do Estado 
sobre os do Drasil 



Gado abatido nos 

matadouros 

municipais 

(1934) 



Número de 
cabeças 



Quantidade da 

carne produzida ■ 

(Kg.) 



Valor da carne 

produzida 
(Contos i" 



Bovinos 
Suinos . 
Ovinos . 
Caprinos. 

Total . 

Bovinos 
Suinos . 
Ovinos. 
Caprinos 

Total . 



de réis) I 



Bovinos 
Suinos . 
Ovinos . 
Caprinos 

Total . 



Produção de 
couros e peles 



Quantidade (Kg 
Valor (Contos de réis) 



Número de empresas . 



Indústria de 

eletricidade 

(1936) 



Indústrias sujei- 1 
tas ao imposto de< 
consumo (1935) 

Indústria açuca-/ 
reira (1936) \ 



Estradas de ferro 

(31— XII— 935) 

(Km) 



Estradas de 

rodagem 

(31— XII— 936) 

(Km.) 



Usinas geradoras< 



Das quais, hidro-elétrieas 



Potência total / Total . 

(K.W.) \ Da qual, hidráulica 



Número total de fábricas 
Sendo i 



Com registro pago 
Com registro gratuito 



Número de usinas 
Produção (Sacos de 60 kg.) 



Extensão total em tráfego 

Sendo 
Extensão total 



{ De 1 

{ De2 
t De 3 



categoria . 

2 a . categoria . 

categoria . 



I Leito revestido 
Sendo | Leito de terra 



2.480.469 

1.837.833 

361.030 

328.443 

5.007.775 

425.404.200 

134.366.900 

6.222.300 

2.742.500 

568.735.900 

.530.936 

218.107 

8.509 



30.059.300 
81.728 



1.022 
1.227 



852.192 
711.787 



32.591 
26.090 



295 
11.198.62! 



23.960,792 
4.029,332 
5.340,570 



28.716 

27.358 

254 

499 

56.827 

4.072.300 

2.008.300 

3.800' 

4.200 



I.61L 

• 4 

4 



,840l 



1.773 
1.594 



210| 
489 

1 
601 

385,707! 

í! 



385,707 
192.612,1 1 8.623,0 : 



6.984,9 
185.627,2 



1,16- 
1,49 
0,07 
0,15 

1,13 

0,96 
1,49 
0,06 
0,15 

1,07 

0,73 
1,20 
0,05 
0,11 

0,85 

1,06 

0,72 



2,25 



2,12 
3,45 



0,21 
0,22 



0,64 
1,87 



0,34 
0,01 



7,22 
4,48 



— 156 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



O ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificaçãc 



Resultados numéricos \ Mi ^ % d08 re ' 
jsultados do Estado 
sobre os do Brasil 



Do Brasil Do Estado 



Movimento ma- 
rítimo 
(1934) 



Correios e telé- 
grafos 
(1935) 



Embarcações 
nacionais 



Embarcações 
estrangeiras 



Total 



Número . 
Tonelagem 



Número . 
Tonelagem 



Número . 
Tonelagem 



Saídas 



Embarcações J Número . 

nacionais j Tenelagem 

Embarcações j Número . 

estrangeiras ) Tonelagem 



Total 



Número . 
Tonelagem 



Estações 



Postais 

Postais-telegráficas 
Postais-telefônicas 
Rádio-elétricas . 
Telegráficas 
Telefónicas . 
Postos telefónicos 



Total . 



t>„a~ +„i / Número de 'ilibas 
Rede postal { Extensão total (Km ) 



Pede telegráfica / Extensã ° das linh as (ms ) 
Kede teiegruica <^ Desenvolvimento (ms } 



Correspondência/ Postada e recebida . 
postal Y Distribuída e expedida 



Correspondência 
telegráfica 



Telegramas 
Palavras 



I Transmitidos 

| Recebidos 

j Transmitidas 

l Recebidas . 



Receita (Contos de réis) 
(Contos de réis) 



Transcrições de em gera i 

transmissões I 



Número 

Valor (Contos de réis) 



( Transmissões / N 

í Ni 
compra e venda \ Valor (Contos de réis) 



de imóveis | 
(19 3 3) I Transmissões por/ Número 



23.842 
I 18.425.075 



•30.251 
44.530.584 



18.417.536 

6.424 
26.154.464 

30.262 
44.572.000 



2.184 
1.662 
309 
41 
55 
55 
149 

4.455' 



60.485.585 
117.738.605 



1.109.331.330 

980.625.252 



8.928.075 
12.737.657 



164.752.167 



89.440 
124.636 



145.254 

1.472.378 



102.272 
731.601 



60; 
9.091.200 



1.863.433 
"2.518.994 



246.558|! 
462.885' 



83.624 
109.207: 

1.950.502J 

2.515.554 



1.482 

1.812; 



APÊNDICE 



-157 



O ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificação 



Resultados namoricos Waçio % dos re- 

i soltados do Estado 

Do Brasil | Do Estado \ sobre os do Brasil 



Inscrições de hi- 
potecas conven- 
cionais 
(1933) 



Valor (Contos de réis) 



Movimento 

bancário 

(31— XII— 936) 



1 <^ Es 
l Tc 



■vr , ■ nacionais 



Casas de Pe- 
nhores 
(1934) 



Exportação de 

cabotagem 

(1936) 



Exportação para 

o Exterior 

(1936) 



Ativo 
(Contos de réis) 



Passivo 
(Contos de réis) 



Capital a realizar . 

Empréstimos . 

Letras e efeitos a receber 

Caixa 

Diversas contas 

Total 



Capital . 

Fundos de reserva . 
Depósitos á vista . 
Depósitos a prazo fixo 
Lucros e perdas 
Diversas contas 
Total . ... 



telas emiti- / Quantidade 
das \ 



Cautelas 
resgatadas 



Quantidade 
(Kg) 



Valor 
(Mil réis) 



Quantidade 
(Kg) 



Valor (Contos de réis) 

Quantidade 

Valor (Contos de réis) 



Animais vivos 
Matérias primas 
Manufaturas . 
Artigos de alimentação 

ragens . 
Total 



Animais vivos. 
Matérias primas 
Manufaturas , 
Artigos de alimentação 

ragens . 
Total 



Animais e seus produtos 
Minerais e seus produtos 
Vegetais e seus produtos 



13.997 
549.949 



93.850 

7.717.720 

3.693.503 

1.509.082 

20.154.559 

33.168.714 



1.036.439; 
742.325 
5.955.883 
2.375.168 
46.956 
23.010.943 
33.168.714 



434.382 
76.330 



736.970 
592.772.459 
373.241.621 

1.398.570:756 
2.365.321.806 

2.214.826 
648.019.939 
1.932.113.637 

1.212,101,267 
. 3,794,449,669 

194.643.327 
301.250.740 
2.612833.299 
3.108.727366 



5.577; 
3.330, 
2.063 
4.600! 
15.570 

- 

2.978 
2.135' 
101! 
10.356 
15.570; 
I 



158 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



O ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



f i 



Resultados numéricos 



Brasil 



Da Estado 



Relação % dos re- 
sultados do Estado 
sobre os do Brasil 



Exportação para 
o Exterior 



(Concl.) 



Importação de 

cabotagem 

(1936) 



Importação do 
Exterior 
(1934) 



Valor 
( Mil réis ) 



Quantidade 
(Kg) 



Valor 
(Mil réis) 



Quantidade 
(Kg.) 



Valor 
( Mil réis) 



Animais e seus produtos 
Minerais e 6eus produtos 
Vegetais e seus produtos 

Total 

Animais vivos . 
Matérias primas 
Manufaturas . 
Artigos de alimentação e 

ragens . 
Total 



Animais vivos 
Matérias primas 
Manufaturas . 
Artigos de alimentação e 

ragens . 
Total 



Animais vivos 
Matérias primas 
Manufaturas . 
Artigos de alimentação 

ragens . 
Total . 



Animais vivos 
Matérias primas 
Manufaturas . 
Artigos de alimentação 



Total 



for-; 



.468.323.184 
31.956.610 
!l 4 395.155.392 
JJ4.895.435.096 
j 
736.970i 
592.772.459! 
373.241.621 1 

1.398.570756 
2.365.321.806 

2.214.826 
648.019.939 
1.932.113637 



1.212.101.267 
3.794.449.669 



Rendimentos— Arrecadação do imposto cedular e global sobre a ren- 
da, em conto» de réis 



Melhoramentos 

urbanos 
(31— XII— 936) 



Situação social 
Municípios não informantes . 



Municí- 
pios infor- 
mantes 



Em cujas 
sedes 

havia ser- 
viços 



De abastecimento d'água, 
esgotos e iluminação 
pública 

De abastecimento d'água 
e iluminação pública 

De abastecimento d 'água 
somente 



2.888.829.439 
521.207.609 

1.052.663.926 
4.467.629.842 

7.771.084 
1.251.720.108 
2.104.544.339 

904.631.163 
4.268.666.694 



180.600! 



APÊNDICE 



— 159 



O ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificação 



Resultados numéricos 



Os Brasil ; Do Eslado 



Relação % dos re- 
bitados do Estado 
sobre os do Brasil 



Melhoramen- 
tos urbanos 
(31-XII-936) 
(Concl.) 



Municípios 

informantes 

(Concl.) 



'Em cujas se 
des havia 



De iluminação pública, 

somente 

serviços 1 

(Concl.) ISoma 

Em cujas sedes não havia nenhum dos 
serviços considerados . . . . 



* Estabelecimentos arrolados 



Assistência . 
médico-sani- { 
tária (1935) 



Capacidade 
dos estabele- 
cimentos 
informantes 



Principais 
instalações 

nos estabe- 
lecimentos 

informantes 



Pessoal nos 
estabeleci- 
mentos 
informantes 



Enfermarias e dependen- 
I cias análogas. 
Com interna- ' Quartos para doentes . 
mento j Pavilhões de observação 

/ ou de isolamento . I 1.241 
I Leitos ... .1 73.973 

I Compartimentos para 
estadia provisória 
de doentes . . I 124 

Leitos . ' 412 



Gabinetes 



Laboratório de análises 
Farmácias 



Corpo clínico 



Colaborado- 
res e auxi- 
liares dos 
serviços clí- 
nicos 



Farmacêuticos 
Dentistas 

Internos (académicos) 
Parteiras 
Enfermeiro! . 
Enfermeiras . 
Religiosas 
Outros auxiliares . 
Total . 



BnfermOS SOCOrrl- / / Masculinos 

dOS duraille O ano N Com inter- \ Femininos 
DOS estai). ) namento 1 



Iníorroaiiles 



709 
1.211 



243 



1.258 



Salas de operações . - . . . 1.598 

IDe raios X . 
De radioterapia 
De electroterapia 
Dentários 



100 
244 
257 

546 

587 



6.493 

670 

383 
515 
284 
2.409 
2.672 
2.045 
4.355 
13.333 



319.154 
222.722 



23 



20 
161 



3,24 
2,15 

11,93 
0,48 



1,61 
0,22 



0,25 
0,35 



0,41 
0,39 



0,55 
0,51 



0,45 
0,26 

0,70 
0,25 
0,52 
0,15 
0,16 
0,27 



0,21 
0.13 



Total 



160 — 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



O. ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificação 



Hesnllatlos numéricos 



Do Brasil Do 



Relação % dos re- 
filados do Estado 
sobre os do Brasil 



Assistência 

médico-sanitá- 

ria (1935) 

(Concl.) 



Despesas pú- 
blicas com a 

assistência 
médicosanitá- 

ria em 1934 
(Mil réis) 



Asilos e reco- 
lhimentos 
(1934) 



Enfermos socorridos í Sem 
durante o aso nos I infprníl 
sstab. informantes ) ^S 
(Concl.) ( ment0 



Masculino 
Femininos 

Sem discriminação 
Total 



Consultas . 
Receitas aviadas . 
Curativos . 
"j Intervenções cirúrgicas 



Principais serviços 

prestados ao público 

nos estab- infor- 



Federais (1) 

Estaduais 

Municipais 

Total 



N.°de 
instituições 



/ Arroladas . 
V Informantes 



Pessoas internadas nos estabelecimentos in- 
formantes em 31-XII . • . 



Cadernetas em circulação 



2.214.355 
1.544.017 



3.758.372 



5.165.816 

3.021.056 

3.121.585 

116.917 

110.268 

647.314 



84.327.553 
70.347.883 
35.889.225 



Caixa Econó- 
mica Federal 
(31-XII-935) [ Saldo dos depósitos (Contos de réis) 



|2) 1.146.761 
2)1.137, 




7.i 
5.130 



12.823 
12.823 



4.000 
135.143 
16.107 

155.250 



158 



.031 



(1)— O exercício abrangeu somente 9 meses (Abril a Dezembro). 

(2)— Excluindo os dados da Caixa do Paraná, que não prestou a informação. 



APÊNDICE 



161 — 



O ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificaçã 



Resultados numéricos 



Do Brasil Do Estado 



JRelação % dos re- 
sultados do Estado 
sobre os do Brasil 



Convenções de trabalho realizadas em 
rais do Trabalho. 



3, pelas Inspetorias Fede- 



ofiei- 
almente reconhe- 
cidos 
(31— XII— 936) 



Total dos sindicatos existentes 



{De empregados . 
De empregadores. 
De profissões 
De trabalhadores por conta própria 
Total 



(1) 6.722 
1.321 



Situação cultural 



Educação 
(1934) 



Ensino 
primário 



Ensino 
doméstico 



Ensino técni- 
co industrial 



Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral . 
Matrícula efetiva. 
Frqúencia . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 

Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral . 
Matrícula efetiva. 
Frequência . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 

Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral . 
Matrícula efetiva. 
Frequência . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 

Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral . 
Matrícula efetiva. 
Frequência . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 



30.733 


402 


60.186 


72C 


2.408.4461 


24.727 


2.032.429J 


22.537 


1.602.8371 


17.528 


978.976! 


11.297 


148.493; 


1.103 



474. 

6.819; 
79.055 
75.455! 
70.177 
63.626' 

9.269 ! 

416Í 
1.353] 
26.41 lj 
24.424 
21.150 
13.162 



137 
1.028 
16.186 
13.807 
12.505 
6.943 
1.472 



1 

10 
218 
152 

70 

241 



(1)— As informações relativas aos Estados da Baía, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco e Sergipe 
não foram fornecidas pelas respectivas Inspetorias Regionais do Trabalho. As do Amazonas, Acre, Ma- 
ranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Sta. Catarina referem-se somente ao 2 o . semestre; as do Paraná 
e Piauí, somente ao I o . semestre. 



162 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



O ESTADO E O BRASIL 



Breve confronto estatístico 



e c i f i c 



Resultados numéricos f^ % d» 8 pe ' 
==== t imitados do Estado 
Do Estado sobre os do Brasil 



Ensino 
comercial 



Educação 
(1934) 

(Coi-híI.) 



Ensino 
magisterial 



Ensino 
superior 



Ensino de 

outras 
categorias 



Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral , 
Matrícula efetlva. 
Frequência . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 



Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral . 
Matrícula efetiva . 
Freqtiencia . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 



Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral . 
Matrícula efetiva. 
Freqtiencia . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 



Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral . 
Matrícula efetiva. 
Frequência . . •'• 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 



Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral 
Matrícula efetiva. 
Frequência . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 



Unidades escolares 
Corpo docente 
Matrícula geral . 
Matrícula efetiva, 
Frequência . 
Aprovações em geral 
Conclusões de curso 



466 
3.594 
23.084 
20.893 
19.350; 
16.587 
4.632 

í 
409 
.1.019 
11.1301 
10.578| 
9.706; 
7.695 
3.310 



30.877 
29.813 
28.028 
26.530 
7.250 



251 
3.657 
26.263 
25.207 
23.484 
21.877 
3.041 



700 
3.270 
55.304 
48.131 
42.787 
19.569 
10.195 



33.952 
84.729 
2.676.756 
2.280.737 
1.829.024 
1.154.965 
194.285 



13 
121 
486 
464 
449 
456, 

73 



440 

971 
26.158 
23.858 
18.717 
12.260 
1.316 || 



APÊNDICE 



163 — 



O ESTADO E O BRASIL 



Breve confronto estatístico 



E s p e c i f 



Besoltados numéricos jjBelação % dos re- 

— sultados do Estado 



Do Brasil j Do Estado jj sobre os do Brasil 





( Instituições informantes 


1.257 


12 


0,95 


Bibliotecas 


I 




i 


(1934) 


Efetivos / Volumes 

[ bibliográficos \ Peças avulsas . . . 


4.752.402 
1.129.311 


14.541 
2.401 


! 0,31 
0,21 




Número de / Arrolados . 
estabelecimentos! Informantes . . . . 


1.535 
1.114 


32 
18 


2,08 
1,62 


Teatros e outras 

casas de 

espetáculos 

(1934) 


/ Número de lugares . 

*. , \ Pessoal 

Dados dos estab.y 
informantes \ 

1 MOVlmeil- / N ° de espetáculos . 
\ * tO anual \ N.° de espectadores . 


633.816 
5.503 

417.021 
68.957.811 


6.848: 1,08 
113 2,05 

2.408 0,58 
322.380! 0,47 


Imprensa periódica — Número total de periódicos arrolados (1934) 
Rádio-difusão— Número de empresas rádio-difusóras (30-VI-937) . 


2.002 
59 


33 


1,65 

— 


Despesas públi- 
cas com a assis- 
tência cultural 
em 1934 


' Federais (1) 

i Estaduais 

Municipais 


46.371.022 
217.348.149 
75.205.979 


91.797 

1.359.567 

433.597 


0,20 
0,63 
0,58 


(Mil réis) 


' Total 


338.925.150 


1.884.961 


0,56 


Culto católico 
(1934) 


1 Grandes circunscrições (Arqui- 
| dioceses, dioceses, prelazias 
Divisão eclesi- 1 e prefeituras) . 

ástica j Pequenas circunscrições (Paró- 
1 quias, curatos e capelas 
curadas) . 


91 
2.982 


4 

85 


4,40 
2,85 




( Batizados' . 
Movimento J Casamentos . . . . 
religioso | Extremas-unções 
v Encomendações 


1.226.442 
204.215 
123.441 
78.030 


21.474 

3.911 

923 

408 


1,75 
1,92 
0,75 
0,52 


Culto protestante 
(1934) 


Número de igrejas . . . . . . 

Número de pessoas filiadas 

Conversões .. .1 

Batizados . 

Casamentos . 

Consagrações fúnebres 


778 
144.640 
10.925 
14.763 
2.419 
2.552 


12 
967 
176 
107 

12 
9 


1,54 
0,67 
1,61 
0,72 
0,50 
0,35 




Número total de atestados . 


1.846 


11 


0,60 


Suicídios e ten- 
tativas de 
suicídios 


Segundo o / Fatais j 

resultado \ Frustros 


1.232i 
614 


' i 1 ! 


0,89 


((1934) 


Segundo o sexo ( Praticados por homens . 
. dos autores \ Praticados por mulheres . 


1.026: 

820 


10 

1; 


0,97 
0,12 



(1) O exercício abrangeu somente 9 meses (Abril a Dezembro). Nfto distribuida regi- 
onalmente a importância de 3.937:620$000. 



164 



SINOPSE ESTATÍSTICA DO ESTADO 



O ESTADO E O BRASIL 

Breve confronto estatístico 



Especificação 


Resultados numéricos '[Relação % dos re- 


Do Brasil 


Do Estado ' sobre os do Brasil 


Situação adminíjtratí va • política 







Finanças 
públicas 
(1935) 



Federal 

Receita arrecadada I Estadual . 
(Contos de réis) \ Municipal . 



Federal 

Despesa efetuada I Estadual . 
(Contos de réis) 1 Municipal . 



«o». Q«^. í Polícia militar (Estado efetivo) . 

Dúblt^a * Guarda civil (Estado efetivo) 

ncmV 1 Inspetoria de veículos (Estado efetivo). 

Viaao; i Bombeir09 (Estado efetivo) . 



Prisões existentes (1936) 

Número de condenados existentes em 30 — VI — 934 



TS°vn /?T der - / Editores inscritos 
Legislativo daUniao j Eleitores votanteg 



Representação 
política 



Constituição do Po- 
der Legislativo 
(1937) 



í Deputados pelo 
Da União< eleitorado. 
[.Senadores . 

{Deputados pelo 
eleitorado. 
Deputados pe- 
las organizações 
classistas . 



2.722.693 
1.626.722 

750.149 


2.027 
9.600 
3.217 


0,07 
0,59 
0,43 


5.099.564 


14.844 


0,29 


! 2.872.001 

1.752.858 

769.916 


2.189 
10.047 
3.359 


0,08 
0,57 
0,44 


5.394.775 


15.595 


0,29 


. 41.617 
8.481 
1.491 
3.411 


727 


1,75 


j 1.503 
6.212 


a 


3,66 
0,56 


i 2.659.221 
1.992.949 


33.691 
23.325 


1,27 
1,17 


(1) 250 
42 


4 
2 


1,60 
4,76 


663 


24 


3,62 


120 


3 


2,50 



(1) — Completam a representação nacional os 50 deputados pelas organizações classistas. 



foi. f 






-4 



01 



cow 






.10 



(73 



3 Este livro' deve ser devolvido na úl- 
tima data carimbada 










|^P , 






































































































íBÍ 


' 






Blr^ 







— — — jl 



Biblioteca do Ministério da Fazenda 



7.023 - 48 
roiás (estac 



318.171 



■17 



Depsttt. Ests 



Sinopae estatiatica do 



(n. 



>37) 



Esta livro d«v© ser devolvido na OH 

data. carimbada